Copa América

Gonzalo Jara, fora da Copa América

Zagueiro chileno foi punido por cutucar o traseiro do atacante uruguaio Edinson Cavani

Cavani dizendo ao árbitro o que Jara havia feito.
Cavani dizendo ao árbitro o que Jara havia feito.

O zagueiro chileno Gonzalo Jara, um dos protagonistas involuntários dessa Copa América, foi punido com três partidas de suspensão por seu comportamento de quarta-feira, quando cutucou o traseiro do atacante uruguaio Edinson Cavani e se jogou no chão fingindo uma agressão. Segundo Sandro Rebollo, assistente do técnico uruguaio Óscar Tabárez, o zagueiro também ironizou a prisão do pai de Cavani no dia anterior após atropelar, bêbado, um motociclista. “Jara lhe disse que seu pai ficaria 20 anos na prisão”, afirmou Rebollo. “Para mim é muito mais grave do que o que aconteceu na foto”.

O Tribunal de Disciplina da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol), puniu o jogador após a denúncia feita pela Associação Uruguaia de Futebol, segundo a qual Jara incorreu em uma conduta antidesportiva contra o atacante da Celeste sem que fosse advertido em campo pelo árbitro da partida, o brasileiro Sandro Meira Ricci. A Conmebol aplicou, além disso, uma multa de 7.500 dólares (23.479,50 reais). O Chile tem duas partidas a fazer no torneio, de modo que a punição se estenderá aos jogos seguintes do calendário FIFA. A Federação chilena ainda não decidiu se apresentará recurso ou não. A Conmebol, entretanto, postergou para depois do torneio a avaliação da denúncia feita pela Federação chilena contra vários jogadores uruguaios pela confusão após o final da partida.

Mais informações