Seleccione Edição
Login

Jogadores para ficar de olho na Copa América

Selecionamos uma lista de jogadores que podem ser destaque no campeonato

Lucas Biglia

Lucas Biglia. ampliar foto
Lucas Biglia.

Consagração tardia

Lucas Biglia é um caso de sucesso tardio aos 29 anos. O volante, como tantos outros jovens na Argentina, deixou o ninho logo cedo rumo à Europa. Mas o que parecia ser uma escala temporária, o Anderlecht, tornou-se sua casa durante sete anos, até conseguir mais destaque e ser contratado pelo Lazio, em 2013. Nesses dois anos, deu o passo adiante sinalizado por seu potencial. Especialmente na última Copa do Mundo. Começou como substituto, mas acabou como titular (aproveitando a lesão de Di María) e jogou todas as partidas. Como Sabella e Martino, é o parceiro fixo de Mascherano no duplo pivot, o apoio de Di María, Messi, Pastore e Aguero ou Tévez no ataque. Está se recuperando de uma lesão. Tem avó italiana e dupla cidadania.

Marcos Rojo

Marcos Vermelho. ampliar foto
Marcos Vermelho.

Com vontade de mostrar o que sabe

O Manchester United pagou 20 milhões de euros (70 milhões de reais) para o Sporting de Lisboa, em meados do ano passado, para a contratação de Marcos Rojo, lateral-esquerdo que também pode jogar como centro-esquerda. Com Van Gaal quase não jogou, e esteve envolvido em um escândalo sexual. Chega com vontade de mostrar o que sabe.

Danilo

Velocidade sem freio pela lateral

O Real Madrid saiu na frente do Barcelona e pagou 31,5 milhões de euros (110 milhões de reais) para contratar o lateral brasileiro, de 23 anos, vendido pelo Porto (que já havia desembolsado 13 milhões de euros ao Santos em 2012). Foi convocado 13 vezes para jogar na seleção brasileira e cobriu a lacuna de Dani Alves, brigado com Dunga. Embora tenha dito estar mais feliz como volante, perto do gol, como lateral direito apresenta um grande instinto de defesa e uma boa atuação no ataque. Sobe e desce sem parar. Alguns o comparam a Maicon, embora não tenha tanta potência, mas uma maior habilidade nos lançamentos. À sua velocidade, soma-se um porte de 1,84 metro e muita personalidade. Já no Santos, com 18 anos, jogava com mais maturidade do que a idade mostrada em seu RG.

Lodeiro

Lodeiro.
Lodeiro.

Outro estilo de camisa 10 sul-americano

"O 10 do Boca Juniors sempre será de Riquelme. Só o pedi por um tempinho", diz Nicolas Lodeiro sobre o número que veste na equipe argentina. Embora, ao contrário do típico número 10 sul-americano, o uruguaio, meio-campista ou volante de esquerda, se desloque bastante, se empenhe muitas vezes na defesa e, por sua vez, faça poucos gols. Lodeiro se destaca mais por sua visão de jogo e no drible. Depois de passar pelo Ajax, Botafogo e Corinthians, este volante de família galega retornou ao Boca aos 26 anos. Com a seleção do Uruguai, teve altos e baixos: nas quartas de final na Copa do Mundo de 2010, foi expulso aos 15 minutos de sua estreia depois de receber dois cartões amarelos ("o pior dia da minha vida") e ganhou a Copa América de 2011.

Teófilo Gutiérrez

A dupla explosiva de Falcao

Teófilo Gutiérrez. ampliar foto
Teófilo Gutiérrez.

A elegância e delicadeza de Teofilo Gutierrez combina bem com a capacidade de finalização de Falcao no ataque colombiano. O atacante do River Plate, de 30 anos, é capaz de voltar alguns metros em sua posição para participar da elaboração da jogada. Com a equipe argentina, marcou oito gols e fez três assistências em 17 jogos este ano. Em contra, destaca-se sua personalidade explosiva, que lhe causou problemas de indisciplina: no Racing, sacou uma pistola BB no meio de uma discussão. Também tem problemas de concentração. É capaz de marcar grandes gols, mas também de perder os fáceis. Melhor jogador da América do Sul em 2014, já jogou na Colômbia, Argentina, Turquia e México. Com personalidade forte, conquista a simpatia dos torcedores.

Bacca

Um símbolo do crescimento

Um dos jogadores que melhor simboliza o crescimento dessa nova geração colombiana, Bacca, 28 anos, que joga no Sevilla, venceu duas vezes a Liga Europa. Com olho clínico, o clube andaluz pagou 7 milhões de euros pelo jogador ao Bruges, da Bélgica. Em duas temporadas, marcou 49 gols.

Jesús Coroa. ampliar foto
Jesús Coroa.

Jesús Corona

Recém-chegado da Europa

A aposta do México pela Copa Ouro deixou os astecas sem seus melhores jogadores para a Copa América. Jesús Corona, atacante de 22 anos do Twente, da Holanda, é um desses jogadores chamados às pressas para cobrir as ausências de peso. Corona está entre os únicos quatro jogadores convocados por Piojo Herrera que jogam na Europa, ao lado de Raúl Jiménez (Atlético), Aquino (Rayo) e Rafa Márquez (Verona). Além disso, acaba de chegar à seleção: estreou com os mais experientes em 12 de novembro de 2014, em uma impressionante vitória contra a Holanda, por 3-2. A partir da lateral, Corona é mais assistente do que artilheiro. Em sua curta carreira, totaliza mais assistências do que gols marcados. Este ano foi incluído na equipe ideal do campeonato holandês.

Claudio Pizarro, em um treinamento com Peru ampliar foto
Claudio Pizarro, em um treinamento com Peru REUTERS

David Pizarro

O retorno de um clássico

David Pizarro vive uma segunda etapa no Chile, aos 35 anos. O meio-campista do Fiorentina, que também jogou no Udinese, Roma (capitão depois de Totti), Inter e Manchester City, abriu mão de jogar na seleção entre 2005 e 2013 por considerar que não havia profissionalismo suficiente. Jogou na Copa América de 1999.

MAIS INFORMAÇÕES