Comunicação

BuzzFeed planeja sua entrada na Bolsa

A empresa de comunicação busca liquidez para financiar sua expansão internacional

Redação de BuzzFeed em Manhattan.
Redação de BuzzFeed em Manhattan.BRENDAN MCDERMID (REUTERS)

O BuzzFeed logo será uma sociedade de ações. Pelo menos é a segunda vez em poucos meses que um de seus principais executivos diz que antevê a nova empresa de comunicação disputando investidores de Wall Street com grupos tradicionais como o The New York Times e o conglomerado Time Warner. Quem fez o anúncio foi o diretor-presidente Jonah Peretti.

Ele participou na tarde desta quarta-feira da Code Conference, onde disse que já esta sendo planejada a oferta pública de ações da companhia. No ano passado, a mesma coisa já havia sido indicada pelo presidente da empresa, Greg Coleman, numa entrevista ao AdAge, ao dizer que estavam abertos à ideia de abrir o capital da empresa no mercado nova-iorquino.

MAIS INFORMAÇÕES

O comentário de Peretti, portanto, vai além da mera intenção, porque a máquina que deve preparar a colocação já está em funcionamento. A decisão tem lógica, porque, como explicou o diretor-presidente, o site está se expandindo internacionalmente e, para financiar esse crescimento, necessita de liquidez maior do que a obtida nas rodadas de captação que consegue fazer por si mesmo.

Ainda se conhece pouco sobre os negócios do BuzzFeed. A empresa conta com aproximadamente 900 empregados, gerou 100 milhões de dólares em faturamento em 2014 e seu conteúdo soma mais de 200 milhões de acessos por mês. Um dos objetivos para ganhar escala é ampliar a cobertura de informação tecnológica. É uma aposta similar à que a Vox Media acaba de fazer ao comprar a ReCode.

A ambição de Peretti e Coleman é fazer do BuzzFeed uma empresa relevante nos negócios de comunicação. Ganhando escala, poderá também ganhar acesso a uma parte maior do mercado da publicidade online. Se a operação tiver sucesso, poderá levar outras empresas do digital a se mexer, como o Business Insider ou mesmo o Huffington Post, se este se separar da AOL depois de incorporar-se à Verizon.

A empresa conta com cerca de 900 empregados, gerou 100 milhões de dólares em faturamento em 2014 e soma mais de 200 milhões de acessos por mês

Até que o BuzzFeed peça autorização ao regulador para abrir capital em Wall Street não se saberá o valor oficial do negócio nem se é realmente uma empresa rentável, como diz ser. Peretti comentou na Code Conference que, além de focar na ampliação de sua presença internacional, a empresa está muito empenhada em crescer em plataformas múltiplas e reforçar o segmento de produção de conteúdo audiovisual.

“Isso nos trará maior diversificação”, disse à plateia, o que, por sua vez, permitirá que a companhia tenha um negócio mais previsível para o investidor que quiser comprar ações. Peretti começou a construir o BuzzFeed quando trabalhava para Arianna Huffington. Agora se calcula que seu valor está por volta dos 850 milhões de dólares (cerca de 2,6 bilhões de reais), apenas três vezes menos do que a editora do The New York Times.

Entre os investidores privados do BuzzFeed está Andreessen Horowitz, que em agosto passado injetou 50 milhões de dólares na empresa. É a última referência que se tem para avaliar o valor da empresa, cujo faturamento continua sendo quase 30 vezes inferior aos da Time Inc., que publica as revistas Time, Sports Illustrated e Fortune, entre mais de 90 títulos. A Vox Media vale cerca de 380 milhões de dólares.