Turismo

Brasil e México, os destinos mais visitados da América Latina

Turismo é responsável por seis milhões de empregos na região

Vista noturna do Rio de Janeiro.
Vista noturna do Rio de Janeiro. Antonio Lacerda (Efe)

Brasil e México estão à frente em termos de viagens e turismo sustentável na América Latina, segundo o Índice de Competitividade em Viagens e Turismo de 2015 do Fórum Econômico Mundial, publicado na terça-feira na Suíça. O relatório avalia o potencial para gerar benefícios econômicos e sociais através desse setor em 141 países, dos quais o Brasil ocupa o posto 28 e o México, o 30. Dois países centro-americanos também aparecem entre os 50 primeiros da classificação: o Panamá, na posição 34, e a Costa Rica, na 42.

No Brasil, o turismo foi impulsionado pela realização da Copa do Mundo – que aconteceu entre os dias 12 de junho e 13 de julho de 2014 –, que recebeu investimentos milionários para melhorar a infraestrutura e a mobilidade no país. Um gasto público que levantou uma onda de protestos – 18,6% da população é pobre – exigindo melhor educação e saúde.

No caso do México, sua vantagem em relação ao resto dos países da região é a riqueza em recursos naturais (ocupa o quarto lugar em nível mundo) e culturais (décimo primeiro lugar). Em 2014, a renda gerada pelo turismo no país representou 8,4% do PIB.

Mais informações

O turismo cria emprego para mais de seis milhões de pessoas na América Latina. A região recebeu em 2013 mais de 80 milhões de visitantes internacionais. Grande parte do desenvolvimento do setor está ligado ao aumento da mobilidade entre países da região, onde o gasto em turismo aumentou 40% desde 2010.

Apesar disso, nem todos os países souberam explorar da mesma forma seus atrativos turísticos. No relatório, quatro países latino-americanos entraram na lista do 40 que priorizaram o incentivo às viagens e ao turismo: República Dominicana (sétimo lugar), Costa Rica (22), Panamá (25) e México (32).

“A América Latina não alcançou todo seu potencial turístico. É preciso que os países adotem as medidas necessárias a longo prazo”, avisa Roberto Crotti, economista do Fórum Econômico Mundial. O relatório afirma que, se a região se esforçar para garantir a segurança de seus visitantes e melhorar sua infraestrutura, poderá aumentar a renda que ganha com o turismo. Promover o patrimônio cultural e proteger o meio ambiente são também ações centrais para transformar os países em lugares mais atrativos. Da mesma forma, investir em avanços tecnológicos é crucial, já que cada vez mais os turistas planejam suas viagens pela Internet.

Embora as economias avançadas continuem entre os principais destinos turísticos, os mercados emergentes estão subindo, pouco a pouco. Além do Brasil e do México, apareceram nos 50 primeiros lugares, China (na posição 17), Malásia (25), Rússia (45) e África do Sul (48).