Drake, o homem que Madonna beijou

O rapper diz que sua cara de nojo foi um mal-entendido, e que não rejeitou a cantora

O beijo de Madonna em Drake.
O beijo de Madonna em Drake.CORDON

“Não interpretem mal meu choque. Consegui beijar a rainha e me sentirei feliz por toda a vida por isso. Obrigado Madonna.” O rapper Drake tentou com essa mensagem no Instagram resolver a polêmica provocada pelo beijo dado nele por Ciccone, durante o show do cantor canadense no festival Coachella, no domingo passado. A rainha do pop apareceu no meio da apresentação do rapper e se debruçou sobre ele apaixonadamente.

Drake faz cara de nojo depois do beijo.
Drake faz cara de nojo depois do beijo.CORDON

Quando a cena terminou, foi possível ver o evidente gesto de nojo de Drake. Embora ambos tenham esclarecido que foi um mal-entendido, ocorreu o inevitável. Uma avalanche de piadas nas redes sociais focadas nos 56 anos dela e nos 28 dele; mensagens dos fãs da diva com insultos contra o rapper por sua cara estranha e, especialmente, uma enorme repercussão para um artista que, como Madonna, desde o começo da carreira tem convivido tanto com a polêmica quanto com o sucesso.

Mais informações

Aubrey Drake Graham começou como ator de televisão na sequência da série Degrassi, intitulada The Next Generation. Depois de cinco temporadas, entrou para o rap e lançou seu primeiro demo em 2006. Deu o grande salto três anos depois, ao assinar com o selo de Lil Wayne, com o qual lançou três discos que alcançaram o primeiro lugar e venderam sete milhões de cópias. Conseguiu um Grammy e bateu vários recordes na Billboard. Mas esse sucesso tão precoce e esmagador também atraiu críticas, com letras intimistas, canções que falam de sentimentos e que incluem melodias além de rimas.

Declarações como “me considero a primeira pessoa que conseguiu fazer rap e cantar ao mesmo tempo” o confrontaram com os defensores do hip hop tradicional. Por se mostrar sensível foi chamado de “suave”, e acusado de ser um produto pré-fabricado para agradar as mulheres; depois vieram os rumores sobre sua suposta homossexualidade.

Apesar de tudo isso, Drake escolheu seguir seu caminho como rapper pouco ortodoxo e decidido a revolucionar um gênero em grande parte machista e homofóbico. Talvez tenha sido isso o que chamou a atenção de Madonna, com a qual estava há um tempo flertando nas redes sociais, depois de lhe dedicar uma canção com o nome da cantora em seu novo álbum If You’re Reading This It’s Too Late. Era a canção que interpretava quando ela apareceu e o beijou e, além dos motivos pelos quais fez aquela cara (ela sugeriu que o teria mordido porque ele queria puxar seu cabelo, enquanto ele culpou o batom pastoso da cantora), Drake reagiu rápido para aproveitar o momento. Acaba de anunciar uma turnê e o lançamento de seu novo trabalho em CD.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: