Apple

O chefe da Apple doará sua fortuna

Tim Cook seguirá exemplo de outros multimilionários como Bill Gates e Warren Buffett

Tim Cook, CEO da Apple.
Tim Cook, CEO da Apple.David Paul Morris (Bloomberg)

Tim Cook não aparece nas listas de multimilionários da Forbes. A fortuna pessoal do executivo-chefe da Apple, no entanto, chega a 785 milhões de dólares (2,54 bilhões de reais), quando se leva em conta as ações sob seu controle na empresa de Cupertino. O CEO fala agora, em uma  entrevista à revista Fortune, que sua intenção é doar todo esse dinheiro, salvo uma quantidade que quer reservar para o sustento de um sobrinho.

A conversa com a publicação é muito extensa e aborda algumas questões sociais. Com suas palavras, quer provocar um efeito cascata que desencadeie uma mudança geral. Cook segue assim o exemplo de outras grandes figuras do universo corporativo norte-americano que se comprometeram a doar em vida mais da metade de sua fortuna. Os representantes da causa são Bill Gates e Warren Buffet, que há cinco anos criaram a iniciativa “Giving Pledge” (Compromisso de Doação).

Mais informações

O primeiro e o terceiro homem mais ricos do mundo deram esse primeiro passo com outras grandes figuras da filantropia, como Michael Bloomberg e Larry Ellison, aos quais se seguiram o fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, e o da Tesla, Elon Musk, entre outras figuras do setor tecnológico. Essa iniciativa conta no momento com cerca de 130 signatários.

Tim Cook apresenta agora suas intenções espontaneamente, embora sem dar muitos detalhes de como e quando fará isso. Essa também não é a primeira vez que menciona publicamente o sobrinho, de 10 anos. Já falara dele antes em uma intervenção em Nova York durante atos para pedir uma mobilização dos cidadãos em relação ao desafio representado pelas mudanças climáticas.

Cook passou a comandar a Apple algumas semanas antes da morte de Steve Jobs, em outubro de 2011. A publicação da entrevista coincide com a chegada às livrarias da última biografia dedicada ao fundador da empresa que fabrica o iPhone e os computadores Mac, na qual se conta que seu sucessor lhe chegou a oferecer a metade de seu fígado para tentar salvá-lo do câncer.