FÓRMULA 1 | GRANDE PRÊMIO DE ALEMANHA

Rosberg também manda em casa

O alemão crava a quinta 'pole' da temporada, à frente das Williams de Bottas e Massa Fernando Alonso largará em sétimo e Hamilton sofre um acidente que o deixa em 15º lugar

Rosberg em Hockenheim.
Rosberg em Hockenheim.Dan Istitene (Getty)

A supressão do FRIC, um sistema que garante a estabilidade do carro ao frear, parece ter causado algum prejuízo à equipe da Mercedes. Mas não o suficiente para perder o domínio que exerce até agora nos treinos classificatórios e nas corridas disputadas. Hamilton sofreu um acidente e ficou fora da luta pela pole position em Hockenheim. Mas seu companheiro de equipe, Nico Rosberg, fez valer o potencial do carro e o pilotou com precisão para obter a primeira posição no grid de largada. Seu tempo de 1 m e 16.5 s foi o melhor do fim de semana e permitiu que ele superasse Valteri Bottas (da Williams) por apenas dois décimos e Felipe Massa (também da Williams) por cinco. Esta é a nona pole de Rosberg, a quinta desta temporada.

Suprimindo o FRIC, a FIA parece ter conseguido reduzir a distância entre as Mercedes e seus perseguidores. A maioria dos carros já estava utilizando o sistema, mas os alemães eram os que o haviam desenvolvido melhor, integrando-o como um elemento a mais de seu esquema aerodinâmico. Contudo, a superioridade da equipe era tão brutal que ninguém conseguiu ainda igualar seus tempos. Curiosamente, agora seu principal rival não é nem a Red Bull nem a Ferrari. Os únicos carros que perseguiram as Mercedes e se aproximaram perigosamente delas foram as duas Williams. Bottas ficou a dois décimos e Massa a cinco. Por outro lado, as duas Red Bull ocuparam a quinta e a sexta posição, a um segundo do líder, atrás de Kevin Magnussen (quarto).

Fernando Alonso, por sua vez, ocupará a sétima posição, a 1.1s de Rosberg. O espanhol mostrou satisfação pelo resultado. “Considero muito boa a sétima posição… Principalmente porque meu companheiro ficou muito atrás”, comentou. “Não acredito que a ausência do FRIC tenha tido grande influência, as saídas de pista se deveram mais ao excesso de calor, que afeta muito o rendimento dos pneus. Minha expectativa é lutar contra as Red Bull. Acredito que as Mercedes e as Williams estão à frente. O objetivo é terminar entre os cinco primeiros”.

O carro de Hamilton é retirado depois do acidente.
O carro de Hamilton é retirado depois do acidente.Dan Istitene (Getty)

A primeira sessão de classificação já trouxe a surpresa mais importante do dia. O piloto britânico Lewis Hamilton, segundo no Campeonato Mundial, perdeu o controle da sua Mercedes ao frear na curva 13 e sua roda dianteira direita ficou bloqueada por causa de um problema no disco de freio. Como consequência, o carro rodou duas vezes e bateu violentamente nas telas de proteção. O carro ficou bastante destruído, mas Hamilton não sofreu nada. “Algo não funcionou quando pisei no freio”, afirmou o britânico pelo rádio à equipe. “Mas estou bem. Tentarei relaxar e fazer uma boa largada”. A equipe logo confirmou o problema no disco. O acidente dá certa vantagem a seu companheiro de equipe, Nico Rosberg, que em Silverstone se viu obrigado a abandonar a prova quando ocupava a primeira posição.

A surpresa foi enorme porque todo mundo dava por certo que as duas Mercedes ocupariam a primeira fila. Entretanto, poucos minutos depois, no fim da segunda sessão, novos elementos para a análise se juntavam à situação de Hamilton. O finlandês Kimi Raikkonen não conseguia colocar sua Ferrari na sessão decisiva e caía eliminado, e o mesmo ocorria com o britânico Jenson Button. O piloto da McLaren largará na 11ª posição, enquanto Raikkonen ficará na 12ª. “Não conseguimos encontrar o melhor acerto”, disse o ferrarista. Hamilton, que já anunciou que a batida não o impedirá de correr, sairá na 15º posição graças ao tempo que marcou antes de sofrer o acidente.