Rosberg quebra a sequência de Hamilton

A Mercedes consegue a quinta dobradinha consecutiva, enquanto Ricciardo fica em terceiro e, Alonso, em quarto

Rosberg lidera a corrida à frente de Hamilton.
Rosberg lidera a corrida à frente de Hamilton.Clive Mason (Getty)

Monte Carlo deixou sua marca no Mundial como acontece todo ano. Desta vez não contrariou as previsões porque nem choveu, nem houve incidentes significativos. O carro de segurança apareceu duas vezes e com isso não houve muitas ultrapassagens e, por sua vez, vários pilotos abandonaram a prova, entre eles Sebastian Vettel, na sétima volta com evidentes problemas com o propulsor. No entanto, nada disso perturbou o resultado final. As duas Mercedes dominaram a corrida do princípio ao fim e, como tem acontecido durante esta temporada, a questão era apenas qual de seus dois pilotos seria o vencedor.

Ninguém pôde evitar a quinta dobradinha consecutiva da Mercedes, que continua arrasando

Desta vez, Rosberg largava com a vantagem de ter conseguido a pole position no sábado e, em Mônaco, esse feito costuma ser dominante. No entanto, ter Hamilton colado no retrovisor cria certa angústia em qualquer piloto. O alemão, porém, conduziu de forma impecável, mantendo-se sempre na primeira posição, e completou a corrida como começou, quer dizer, liderando o Grande Prêmio. Portanto, Rosberg, de 28 anos, conseguiu quebrar a excelente sequência de quatro vitórias consecutivas de seu companheiro de equipe, Lewis Hamilton, e com o resultado de hoje recuperou a liderança na classificação do Mundial. O que ninguém conseguiu evitar foi a quinta dobradinha consecutiva da marca alemã, que está arrasando nesta primeira parte do campeonato.

Rosberg tinha muitos motivos para estar contente no final da corrida. Durante a semana, Hamilton provocou uma guerra de declarações com a clara intenção de desestabilizar seu companheiro. Lhe jogou na cara sua condição de milionário desde a infância e que havia tido uma vida muito confortável em comparação com a sua, para concluir que essas circunstâncias o tornaram mais forte mentalmente. Rosberg não respondeu à alfinetada. Deixou para a corrida. E sua resposta chegou na pista. De alguma forma, lhe respondeu em Mônaco: “Sou tão forte e tão bom piloto como você”.

Sua vitória foi incontestável. Saiu em primeiro e nunca abandonou a posição, nem sequer quando trocou os pneus no momento em que o carro de segurança entrava na pista, depois de um acidente com Sutil, que bateu com o carro nas grades de proteção. Todos os carros entraram no box ao mesmo tempo. E Hamilton queixou-se de que o obrigaram a fazê-lo. Mas a equipe quis preservar as posições de seus dois pilotos e assim garantir a dobradinha. A corrida não teve cor. Estava decidida desde o início.

Nada mudou. A Mercedes continua dominando com folga, a Red Bull a persegue e a Ferrari persegue a Red Bull

Para quem vinha atrás, as coisas também foram definidas bem cedo. Na largada, Vettel e Raikkonen ganharam posições e alcançaram o terceiro e o quarto lugares respectivamente, enquanto Alonso ficava com a sexta posição. No entanto, o alemão está tendo problemas em todas as corridas desta temporada e Mônaco não foi uma exceção. Ao final de três voltas, seu carro começou a perder potência, e depois de passar pelo box, Vettel acabou abandonando na sétima volta com problemas no propulsor. Kimi Raikkonen se manteve na terceira posição, até que seu carro se chocou com um Marussia, depois de passar pelo box, e se viu obrigado a entrar novamente com duas voltas de atraso, perdendo suas opções: ficou com as últimas posições. E deixou o terreno livre aos seus adversários, Ricciardo e Alonso. O asturiano correu tranquilo, sabendo que tentar o quarto lugar seria uma missão impossível. Portanto, conformou-se e garantiu dois pontos. Ricciardo, por sua vez, viu a possibilidade de atacar Hamilton nas últimas voltas, quando o britânico enfrentou problemas com seu carro, e ofereceu um duelo interessante... Mas não conseguiu a ultrapassagem.

Nada mudou. A Mercedes continua dominando com folga, a Red Bull a persegue e a Ferrari persegue a Red Bull. Mas, desta vez, na lanterninha houve uma novidade: Bianchi acabou em oitavo e conseguiu somar os primeiros pontos para a Marussia. Claro que isso foi possível com as oito desistências da corrida!