Uma foto sobre a emigração ganha o World Press Photo de 2013

A imagem do norte-americano John Stanmeyer foi publicada pela revista National Geographic Um grupo de pessoas aparece buscando sinal para seus celulares na costa de Djibuti, África

A fotografia do norte-americano John Stanmeyer, ganhadora do World Press Photo.
A fotografia do norte-americano John Stanmeyer, ganhadora do World Press Photo.

A melhor foto do ano de 2013 foi feita pelo fotógrafo norte-americano John Stanmeyer para a revista National Geographic. Foi o que decidiu o júri do concurso World Press Photo, ao escolher sua imagem de um grupo de emigrantes somalis buscando sinal para seus telefones celulares na costa de Djibuti. Tomada de noite no Chifre da África, região leste do continente, a instantânea capta a tentativa do grupo de se colocar em contato com suas famílias em uma área onde também se reúnem etíopes e eritreus em busca de trabalho.

“A foto é uma soma de muitas histórias. Trata sobre a emigração, pobreza e globalização, mas também sobre a tecnologia, desenraizamento e humanidade. É sutil e poética, ao mesmo tempo que intensa e com significado”, segundo Jillian Edelstein, membro do júri.

Neste ano, as regras de seleção mudaram devido à polêmica desatada pelos supostos retoques aplicados à imagem ganhadora de 2012 do fotógrafo sueco Paul Hansen. Ele foi acusado de ter feito uma montagem acoplando várias fotografias para conseguir o efeito dramático desejado. Seu retrato dos cadáveres cobertos de Suhaib e Mohamed, duas crianças, quando eram levados para seus enterros em Gaza, foi criticado porque parecia o resultado de duas fotos tomadas em diferentes momentos. O júri pesquisou o caso e chegou à conclusão de que não houve fraude, mas, sim, algo de pós-produção. “Se retocou a cor e o tom global, mas nada mais”, disseram na época. Para evitar novos sobressaltos, exigiu-se agora aos autores a entrega de seus negativos sem o tratamento para comparar com a foto recebida. “Esperamos que os repórteres gráficos profissionais respeitem as normas éticas jornalísticas, e não alterem conteúdos agregando ou tirando elementos”, assinalou a direção do concurso em dezembro passado.

O ganhador receberá 10.000 euros em efetivo, uma câmera Canon profissional e um jogo de lentes. Os três primeiros lugares em todas as categorias levarão 1.500 euros. O prêmio será entregue em 24 e 25 de abril, em Amsterdã. Foi na cidade que, em 1955, nasceu o World Press Photo como organização independente para promover a imprensa gráfica mundial.