CASO NEYMAR

Neymar defende o pai sobre transferência e diz que descobriu "falsos amigos"

Atacante brasileiro se pronuncia pela primeira vez sobre a sua transferência do Santos para o Barcelona

Neymar e seu pai (à esq.), quando o jogador renovou em 2011 com o Santos.
Neymar e seu pai (à esq.), quando o jogador renovou em 2011 com o Santos.MAURICIO DE SOUZA (DIARIO AS)

O atacante Neymar usou sua conta no Instagram neste domingo para defender o pai, o empresário Neymar da Silva Santos, na polêmica envolvendo a sua transferência do Santos para o Barcelona, no primeiro comentário público do jogador brasileiro sobre o caso Neymar.

Pedindo desculpas ao pai por desobedecê-lo pela “primeira vez”, já que este o havia pedido para que não se pronunciasse e cuidasse apenas de sua recuperação, o atleta disse ainda ter descoberto um monte de “falsos amigos”, e que é questão de tempo para perceberem que nada de errado foi feito.

“Queria te agradecer pela forma que você conduziu minha carreira, pelas empresas que criou em torno do meu trabalho e pela forma que você cuidou da nossa família”, disse Neymar. “Se joguei no nosso time do coração (Santos FC) e hoje jogo no meu time dos sonhos (FC Barcelona) devo isso a você. Sei que muita gente está falando um monte de besteiras a nosso respeito, duvidando até do nosso caráter...”, acrescentou.

Logo em seguida, o atacante, que ilustrou o post com uma foto sua ao lado do pai, afirmou que deverá voltar a entrar em campo em mais alguns dias, após ter sofrido no último dia 17 uma torção no "tendão peroneal no seu tornozelo direito" em jogo da Copa do Rei. E que é “questão de tempo pra perceberem que você não fez nada de errado... só foi meu pai na plenitude !! Te amo e tamos juntos !!!!”.

“Pai, quando o (zagueiro) Thiago Silva falou que morreria por mim em campo pensei o mesmo em relação a ele... mas por você não só morreria como daria a vida do meu único filho por vc!! Por isso te peço... volta pra Espanha, tô com saudades !!”

Neste sábado, o Barcelona sofreu sua primeira derrota em casa pelo Espanhol, contra o Valencia. Mas uma possível crise dentro de campo pela derrota não pode ser comparada à gigantesca registrada fora dele, e que levou à renúncia do presidente do clube, Sandro Rosell, no último dia 23. A motivação da demissão foi justamente a aceitação de uma denúncia contra ele por um juiz da Audiência Nacional espanhola, por "apropriação indébita por distração" na contratação de Neymar.

No dia seguinte à renúncia, o corpo diretivo do clube azul-grená explicou em detalhes a operação, que envolveu 57,1 milhões de euros na contratação em si. Mas acordos paralelos, como pagar o pai do jogador por acompanhar e olhar vários atletas do Santos, como contratar os serviços de seu agente comercial ou, entre outros pontos, chegar a um acordo com sua fundação para atuar conjuntamente no Brasil, elevavam o custo da operação a um total de 86,2 milhões.

Rosell alegou estar se sentindo vítima de "ameaças e ataques" que colocam "em risco sua própria família". Insistiu ainda que a contratação do Neymar foi "correta" e atribuiu a denúncia à "inveja de muitos adversários".

Neymar da Silva Santos, por sua vez, realizou uma entrevista coletiva no último dia 28 para falar da transferência do filho para o Barcelona, mas não conseguiu encerrar a polêmica na ocasião. Pela primeira vez, no entanto, admitiu que, por ser agente do atleta, ganhou mais do que o dobro do que o Santos nessa negociação. “Não devo nada às Receitas da Espanha e do Brasil. Espero que acreditem nestes esclarecimentos. Queremos paz”, afirmou.

O Santos já havia demonstrado desconfiança sobre os valores pagos pelo Barça por Neymar. Um diretor do clube afirmou que o clube brasileiro recebeu migalhas. A suspeita dos santistas era a de que não só Rosell respondesse pelo crime de evasão de divisas, mas também outros envolvidos na negociação.

Os diretores do clube brasileiro ouvidos por este jornal já reclamaram da maneira que Neymar da Silva Santos, o pai e agente do atacante, conduziu o processo de venda dele.

Arquivado Em: