Caso Neymar

Neymar publica carta que mostra que o Santos sabia de seu acordo

O documento comprovaria que o time paulista autorizou a negociação da sua transferência desde 2011

Neymar em imagem de junho passado, em sua apresentação ao Barça.
Neymar em imagem de junho passado, em sua apresentação ao Barça. David Ramos (Getty Images)

O jogador de futebol Neymar Júnior usou uma de suas contas no Twitter para publicar um documento que comprovaria que o Santos estava ciente de seu acordo de transferência para o Barcelona desde 2011. A publicação da carta é um gesto de defesa de Neymar, que pretende, com isso, blindar-se contra uma eventual decisão da Fifa que considere sua transferência ao Barça irregular, uma vez que comprovaria que o Santos estava ciente do pré-contrato. No entanto, a carta deveria fazer uma menção ao clube espanhol e ao pagamento de 10 milhões de euros, mas isso não está no documento.

A publicação ocorre um dia após Neymar, empresário e pai do atleta, afirmar em uma coletiva que não houve irregularidade na negociação.

A carta, datada de 8 de novembro de 2011, diz que que o clube autoriza desde aquele momento que o atleta negociasse com qualquer outra entidade desportiva, com a condição de que a eventual transferência ocorresse a partir de 2014. A mudança ocorreu em 2013. Na entrevista de terça-feira, Neymar pai disse que não devia nada para a Receita Federal do Brasil nem para a sua irmã espanhola. “Espero que acreditem nestes esclarecimentos. Queremos paz”, disse ele sobre o Caso Neymar.

Mas como a divergência entre os valores de negociação divulgados inicialmente e os pagos, de fato, são enormes, por enquanto a família Neymar não deve encontrar a paz que deseja. O Barça informou que havia pago 182 milhões de reais (57 milhões de euros), mas a transferência pode ter sido concretizada por 304 milhões de reais (95 milhões de euros).

Quem levou menos na história toda foi o Santos, clube que revelou Neymar. A quantia foi estimada em 17,1 milhões de euros, enquanto a empresa N&N Consultoria Esportiva Empresarial, que foi fundada para gerir a carreira do atleta e é administrada por seu pai, recebeu 40 milhões de euros.

Esse pré-contrato vinha sendo mantido sob segredo até a sexta-feira passada, quando o presidente do clube, Josep Bartomeu, o revelou em uma entrevista coletiva. O caso ainda está sob investigação da Justiça da Espanha e levou à renúncia de Sandro Rosell, que era presidente do clube, no dia 23 de janeiro.

O Ministério Público Federal em Santos também abriu uma investigação para apurar as receitas recebidas pela N&N e se houve sonegação fiscal na transação.

Arquivado Em: