Caso neymar

O Barça admite que a transferência de Neymar chegou a 86,2 milhões de euros

Após a suspensão da cláusula de confidencialidade, o clube alega que a contratação do brasileiro saiu por 57,1 milhões, e atribui o resto da quantia a outros itens

Josep Maria Bartomeu, antes da entrevista coletiva da tarde de hoje.
Josep Maria Bartomeu, antes da entrevista coletiva da tarde de hoje.ALEJANDRO GARCÍA (EFE)

Assim que assumiu a presidência do Barcelona, Josep Maria Bartomeu prometeu responder a todas as perguntas deixadas em aberto por Sandro Rosell, que renunciou ontem a esse cargo alegando motivos pessoais e ameaças à sua família. E Josep Maria Bartomeu, que nomeou Jordi Mestre como seu sucessor no posto de vice-presidente esportivo, ao mesmo tempo em que criou um grupo de trabalho para preparar o referendo de abril a respeito do novo estádio, não faltou com a sua palavra. “Responderei a todas as perguntas, sem limites de tempo”, declarou antes de iniciar a entrevista coletiva. Disse também: “Não me demitirei nem darei um passo atrás se o juiz me imputar no julgamento pelo caso Neymar”. Mas foi Raúl Sanllehí, diretor de futebol, quem esmiuçou a contratação de Neymar, rebatendo ponto por ponto tudo o que foi publicado. “Por isso afirmo com contundência que não mentimos”, afirmou Bartomeu, “e já perdemos Di Stéfano no tapetão, mas Neymar, não. E explicaremos isso graças ao pai do jogador, que nos autorizou a revogar a confidencialidade, porque considera injusto o que aconteceu”. Sanllehí acrescentou: “Não há pior mentira que uma verdade mal explicada. E é grave que alguns números tenham vazado. Mas a transparência é muito importante para nós”. E se prolongou explicando os contratos. “Mas para o juiz vamos explicar o mesmo que hoje, porque é toda a verdade”, acrescentou Bartomeu.

A inscrição e o salário do ‘11’

Neymar ficou encantado com o seu novo clube em 2011, quando o Barça goleou o Santos na final do Mundial de Clubes. Tomou então a decisão de ser blaugrana. O Barcelona, também decidido a tê-lo, chegou a um acordo com a empresa N&N. “Que é Neymar & Nadine, que são seus pais. E o jogador não tem nenhuma ação dessa empresa, que nos comprovou ter o direito de decidir para onde o jogador iria.” O Barcelona pagou 40 milhões de euros (131,4 milhões de reais) por isso.

As cifras do contrato de Neymar, expostas pelo Barça na coletiva de imprensa.
As cifras do contrato de Neymar, expostas pelo Barça na coletiva de imprensa.

“Estávamos tranquilos, mas depois começou a loucura por contratá-lo”, relatou Sanllehí. “Todos os grandes clubes da Europa, e um deles estava disposto a lhes pagar 60 milhões [de euros; 197 milhões de reais], mais os nossos 40.” Ele se refere ao Real Madrid, por mais que não cite nominalmente o arquirrival. “E aumentaram a oferta para 100 milhões [328,4 milhões de reais], mas o jogador recusou, inclusive sabendo que lhe dobrariam o nosso salário.” Assim, o Barça pagou 131,4 milhões de reais à empresa N&N e 56,2 milhões ao Santos pela transferência. Existe, além disso, uma cláusula que prevê o depósito de outros 6,6 milhões se ele for finalista do prêmio Bola de Ouro da Fifa nos próximos anos. Foram incluídos também dois amistosos grátis (um deles já realizado na última edição do Troféu Joan Gamper, com renda destinada ao clube anfitrião). “Se não jogássemos, pagaríamos 4,5 milhões [de euros; 14,8 milhões de reais]”, reconheceu Sanllehí, acrescentando que o descumprimento do contrato não foi cogitado.

“Todos os contratos constam de três itens. O salário fixo, um variável [títulos conquistados] e os signing bonus, que são pela renegociação. Foram 10 milhões de euros [32,8 milhões de reais] declarados como salário, e que pagam imposto de renda como salário”, revelou Sanllehí. Assim, Neymar receberá 186,2 milhões de reais no total – 37,1 milhões por temporada, dos quais, no entanto, são descontados um bônus antecipado, o que dá 28,9 milhões. “E existe a ressalva de que não receberá um adicional pelos primeiros títulos”, acrescentou o dirigente.

Outro ponto é a comissão do agente. “O Barça não trabalha com agentes”, observou o diretor de futebol. Mas os dirigentes reconheceram que, embora seja um item à parte, paga-se 1,77 milhão de reais por ano ao pai a título de representação, o que dá um total de quase 8,9 milhões ao longo do contrato. “Nós não pagamos nenhuma comissão a nenhum intermediário na inscrição de Neymar”, explicou Bartomeu, que não inclui o pai de Neymar e o agente André Cury na operação, já que ambos recebem salário do clube.

Os direitos de imagem

Figura universal e fábrica de fazer dinheiro, Neymar “é um cara que fatura por ano 35 milhões de euros [quase 115 milhões de reais] com a sua empresa. E a empresa é a N&N, que é do pai e tem a exclusividade da venda de imagem do jogador”, disse Sanllehí.

Ocorre que o Barça tem três regras para os direitos de imagem de qualquer jogador. A imagem individual sem referência ao clube é negociada pelo jogador, que fica integralmente com os rendimentos. Depois vem a imagem coletiva, onde aparece um grupo de jogadores do clube, e na qual 100% vão para o Barça. Finalmente, há a imagem individual Barça, que é a imagem do jogador vinculada ao Barcelona, e que é negociada caso a caso com o jogador. O clube azul-grená, entretanto, novamente como um item à parte, afirmou pagar 2,6 milhões de reais por ano a um agente comercial, o que dá 13 milhões em cinco anos. “Por enquanto é dinheiro que perdemos, mas calculamos que com nossas fórmulas de direitos de imagem ganharemos 6 ou 10 [milhões de euros, entre 19,7 e 32,8 milhões de reais]”, revelou Sanllehí.

Mais crítico foi o diretor de futebol – “Isso é insultante!” – ao comentar os questionamentos aos projetos sociais do clube envolvendo o jogador. “Nossa Fundação já detectou o Brasil para fazer projetos sociais, e achamos que com Neymar temos um embaixador fantástico.” A respeito disso também houve um acordo em separado, que é de 1,64 milhão de reais por ano durante cinco anos, o que totaliza 8,2 milhões em cinco anos.

Acordo com o Santos

O Barça também assinou um acordo paralelo com o Santos para a contratação de três jogadores das categorias de base. “É um acordo de prospecção, no qual pagamos 7,9 milhões [25,9 milhões de reais] para ter a opção de preferência por eles, as pérolas da base, os novos Neymar”, disse Sanllehí. E, num novo contrato com a N&N, ficou definido que haveria um acompanhamento diário desses garotos. Por isso haverá o pagamento de mais 1,3 milhão de reais, ou cerca de 6,5 milhões em cinco anos. “Isso é independente da transferência”, salientou Bartomeu.

Assim, somados todos os números, o montante da operação e os diversos contratos resultam em um total de 283 milhões de reais, sem contar possíveis bônus, o que elevaria o valor aos 312,3 milhões publicados anteriormente pela imprensa. “Mas o custo da transferência, como sempre dissemos, é de 57,1 milhões [de euros; 187,6 milhões de reais]. E esta diretoria é de homens e mulheres honestos, justos, onde quase sempre priorizamos os interesses do clube em relação às nossas famílias e interesses”. E Sanllehí insistiu: “Não faz sentido somá-los, porque são itens distintos”. Essas cifras e a cláusula de confidencialidade contribuíram para o descrédito de Rosell. “Ele não se demitiu só por isso”, afirmou Bartomeu. “Havia outras razões.”