A China ultrapassa os EUA como líder do comércio mundial em 2013

As exportações do país somam mais 9,7 trilhões de reais Já a inflação em 2013 ficou em 2,6%, abaixo da meta do Governo e o PIB deve crescer 7,6%

Movimento no Porto de Qingdao.
Movimento no Porto de Qingdao.AP

A China acaba de atingir uma meta estatística que a posiciona como a economia mais importante do mundo. Em 2009, conseguiu ser o maior exportador de mercadorias global, depois de duas décadas de vertiginoso crescimento nas vendas para o resto do mundo. E, em 2013, superou a Estados Unidos como primeira potência comercial.

Segundo os dados publicados nesta sexta-feira pela Administração Alfandegária chinesa, o valor total das exportações e importações de bens no ano chegou a 9,75 trilhões de reais (4,16 trilhões de dólares). Nos Estados Unidos, de acordo com os dados reunidos até novembro, o total chega a 8,35 trilhões de reais (3,5 trilhões de dólares). No entanto, diante do resultado chinês, é impossível que alcance o gigante asiático em 2013. 

As trocas comerciais chineses aumentaram 7,6% em relação a 2012 e mais de 10% do comércio mundial de mercadorias é destinada ou tem origem na China. Uma década atrás, essa proporção não chegava a 5%. As exportações da China cresceram 7,9%, para 5,2 trilhões de reais (2,21 trilhões de dólares), enquanto as importações somaram 6,33 trilhões de reais (1,95 trilhões de dólares), uma alta de 7,3%. O superávit comercial de 2013 chega, assim, a um saldo positivo de 620 bilhões de reais (259,8 bilhões de dólares), um incremento de 12,4%.

Além disso, as importações registraram em dezembro uma alta na comparação com o ano anterior de 8,3%, ante o incremento de 5,3% em novembro, o que constata o fortalecimento do consumo chinês, a aposta do Governo de Pequim.

As informações foram divulgadas um dia após o Governo revelar uma alta 2,6% no índice de preços ao consumidor em 2013. O índice caiu meio ponto em dezembro, cifra inferior à meta do Governo de  3,5%, anual, o que afasta o risco de medidas monetárias restritivas.

O mercado prevê que a economia chinesa cresceu 7,6% em 2013, bastante parecido com o aumento de 7,7% em 2012, quando a China registrou seu menor crescimento, prejudicada pela queda da demanda europeia. Os dados oficiais ainda foram divulgados.

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: