Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

As cabeçadas decisivas de Sergio Ramos

Zagueiro, que havia decidido jogo pela Champions na última semana, marcou novamente na vitória contra o Bétis

Sergio Ramos, após gol de cabeça contra o Bétis. AFP

Mais uma vez Sergio Ramos voltou a ser decisivo. Após decidir a classificação contra o Napoli, na terça-feira passada, marcou nos últimos minutos da partida contra o Bétis, cinco dias depois, colocando sua equipe na frente do placar, que terminou em um 2x1 para Real Madrid. Outra vez com sua cabeça, a grande protagonista em grande parte dos sucessos recentes do time de Madri. O capitão dos blancos e suas testadas levam três temporadas decidindo jogos e títulos. Seu primeiro momento marcante foi em Munique, em 2014, quando deu a vaga ao Real a uma final na que certificou sua lenda com outra cabeçada que valeu "La Decima", como é conhecida a 10ª conquista de Champions League. Desde então, não fez mais que prolongar sua série de cabeçadas. Estas são algumas das mais decisivas.

12 de março de 2017. Sua última ação. No Santiago Bernabéu, contra o Bétis, em um jogo que poderia valer a liderança do Campeonato Espanhol para o Real, marca de cabeça aos 36 do segundo tempo e tira o empate do placar. Resultado: vitória por 2 a 1 e liderança garantida da liga.

A comemoração do último gol de Ramos.
A comemoração do último gol de Ramos. Getty Images

7 de março de 2017. Sergio Ramos sobe andares em Nápoles para resgatar o Real Madrid quando mais sofria. Os brancos perdiam por 1 a 0 e estavam a um só gol de ficar fora da Champions quando apareceu o defensor em dois escanteios. Primeiro para empatar o jogo com uma testada forte e depois para fazer o segundo e confirmar a vaga do seu time nas quartas de final com outra finalização que superou o goleiro Reina depois de tocar em Mertens.

Primeiro gol de Sergio Ramos em Nápoles.
Primeiro gol de Sergio Ramos em Nápoles. REUTERS

10 de dezembro de 2016. O Real Madrid ganha no Santiago Bernabéu diante do Deportivo La Coruña (3-2) graças a uma cabeçada de Ramos nos acréscimos, com a qual a equipe chegou ao seu recorde de jogos sem perder.

Ramos celebra seu gol contra o Deportivo nos acréscimos.
Ramos celebra seu gol contra o Deportivo nos acréscimos. AFP

3 de dezembro de 2016. Com o clássico 1 a 0 a favor do Barcelona no minuto 89 no Camp Nou, Ramos arremata de cabeça uma falta cobrada por Modric, marca o 1-1, resgata um ponto, mantém seis pontos de vantagem ao Barcelona e aumenta a sequência de jogos sem perder de Zidane para 33.

Sergio Ramos comemora o gol do empate contra o Barcelona.
Sergio Ramos comemora o gol do empate contra o Barcelona. AFP

10 de agosto de 2016. Como na final da Champions em Lisboa, em 2014, uma cabeçada de Ramos deu ao Madrid a oportunidade de uma prorrogação. Desta vez foi contra o Sevilla. Os blancos conseguiram finalmente sua terceira Supercopa da Europa por 3-2.

O zagueiro cabeceia uma bola em jogo pela Supercopa da Europa, diante do Sevilha.
O zagueiro cabeceia uma bola em jogo pela Supercopa da Europa, diante do Sevilha. REUTERS

20 de dezembro de 2014. Na final do Mundial de Clubes, que o Real Madrid ganhou por 2 a 0, o zagueiro estreou o marcador de cabeça, contra o San Lorenzo, ao finalizar após um escanteio cruzado por Kroos no minuto 36.

Ramos festeja um gol na final do Mundial de Clubes contra o San Lorenzo, em dezembro de 2014.
Ramos festeja um gol na final do Mundial de Clubes contra o San Lorenzo, em dezembro de 2014. REUTERS

16 de dezembro de 2014. Quatro dias antes, na semifinal do Mundial de Clubes, contra os mexicanos do Cruz Azul, Ramos abriu o placar de cabeça e o caminho para a final. O Real Madrid acabou ganhando por 4 a 0.

Sergio Ramos finaliza de cabeça contra o Cruz Azul, na semifinal do Mundial de Clubes.
Sergio Ramos finaliza de cabeça contra o Cruz Azul, na semifinal do Mundial de Clubes. EFE

24 de maio de 2014. Um gol de Ramos na final da Champions contra o Atlético de Madrid, no último suspiro, permitiu ao Real Madrid empatar a partida e chegar a uma prorrogação na qual acabou impondo um 4 a 1. O Atlético, atingido pelo desgaste físico durante o duelo, voltou a cair na lona de Lisboa 40 anos após disputar seu primeira final europeia, contra o Bayern de Munique. Foi o gol da final.

Final da Champions entre o Real Madrid e o Atlético de Madrid, em 2014.
Final da Champions entre o Real Madrid e o Atlético de Madrid, em 2014. Lisboa

29 de abril de 2014. Na partida de volta das semifinais da Champions League, contra o Bayern de Guardiola, em Munique, o decisivo defensor abriu o caminho para a classificação à final com dois gols de cabeça nos primeiros 20 minutos.

Semifinal entre o Real Madrid e o Bayern de Munique, em abril de 2014.
Semifinal entre o Real Madrid e o Bayern de Munique, em abril de 2014. REUTERS

MAIS INFORMAÇÕES