Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Polícia interroga ex-namorado de George Michael

Porta-voz da investigação não descarta que as drogas tenham sido a causa da morte do cantor

Fadi Fawaz, ex-namorado de George Michael, foi interrogado pela polícia para esclarecer o que ocorreu nas horas prévias à morte do cantor, no dia do Natal. Fawaz deu várias versões contraditórias sobre os acontecimentos, dizendo inicialmente que esteve com o astro durante o final de semana para depois afirmar que dormiu em seu carro e deixou Michael, de 53 anos, sozinho na casa dele em Oxfordshire.

Enquanto isso, a polícia confirmou que prossegue com a investigação sobre a morte de George Michael, atualmente realizada em nome do médico forense e que poderia se transformar numa investigação criminal se as provas post-mortem revelarem que o cantor morreu em decorrência de overdose.

A polícia disse ao jornal The Telegraph que a morte do artista é “inexplicável”. Um porta-voz acrescentou: “Se os resultados do exame post-mortem indicarem que algum tipo de atividade criminosa tenha sido a causa, então se transformaria numa investigação criminal. Nos casos em que alguém morre por overdose de drogas, queremos estabelecer quem forneceu essas substâncias.”

Tributo a George Michael, em sua casa ao norte de Londres.
Tributo a George Michael, em sua casa ao norte de Londres. GC Images

Como parte da investigação, a polícia entrou em contato com uma agência de fotografia que fez imagens das pessoas que iam e vinham da casa de Michael em Goring-on-Thames na véspera do Natal, um dia antes de ser encontrado morto.

O intérprete de Last Christmas tinha uma longa história de abuso de drogas, mas sua família negou ter sugerido que ele houvesse consumido heroína. George Michael e Fadi Fawaz estiveram juntos por oito anos, mas colocaram um ponto final à relação em meados de 2015, segundo revelaram amigos do cantor ao jornal The Sun. O protagonismo que o cabeleireiro adotou após a morte do companheiro levanta suspeitas de que busca minutos de fama.

“George confiava em Fadi e dependia dele para muitas coisas, embora estivessem separados por pelo menos 18 meses”, disse uma fonte ao jornal britânico. Por isso, quando todos os meios de comunicação se referiram a Fadi como seu namorado após a morte, houve um certo mal-estar entre as pessoas próximas de George.

MAIS INFORMAÇÕES