Eurocopa: Alemanha e Espanha são favoritas, diz técnico da França

Técnico da França expressa emoção pela estreia na Euro 2016 e aponta a Espanha e a Alemanha como favoritas

Euro 2016 Ampliar foto
Didier Deschamps, durante a conferência de imprensa. Getty Images

O técnico da França, Didier Deschamps, apareceu na sala de imprensa do estádio de Saint-Denis com um sorriso malicioso, como se já não pudesse esconder sua emoção ante o tiro de largada, o duelo inaugural da Euro 2016 (na sexta-feira, às 16 horas) contra a Romênia. Encerrou-se seu périplo de partidas amistosas, já que a seleção francesa estava classificada por ser a organizadora do evento. “Não jogamos partidas oficiais em dois anos. Isto começa e estamos muito esperançosos. É necessário e bom que notemos essas borboletas no estômago”, considerou. “Mas temos de nos distanciar da pressão. Chega o grande dia e temos de mostrar ambição.” Assim entendeu o goleiro Hugo Lloris: “É um evento muito importante, mas não temos de pensar nisso, e sim em sermos capazes de desfrutar para mostrar nosso melhor nível”.

A França enfrentará um adversário dos mais impenetráveis na defesa, a tal ponto que só levou dois gols na fase de classificação. “Espero que jogue como vimos nas últimas partidas. Têm uma organização defensiva muito boa e a habilidade de movimentar a bola com rapidez na transição defesa-ataque”, afirmou o técnico. “São muito sólidos atrás e atacam muito rápido”, acrescentou Lloris. Nada a ver com a França. “Para chegar longe na competição é necessário ter um grande potencial e ir mais alto. E temos, mas precisamos encontrar o equilíbrio com a defesa. Trabalhamos para ser uma equipe eficaz nesta fase”, afirmou. O goleiro complementou: “Trabalhamos muito, sim, mas estou certo de que poderemos também ganhar confiança na defesa através da competição”.

Embora a França costume ser a dominadora em seus duelos, Deschamps não se preocupa excessivamente com a posse. “Não quero dar a bola aos rivais, mas também depende de quem está do outro lado. Com bola você economiza problemas. Mas se não a temos, precisamos ser eficientes também. Isso é o que importa, ser bons nas duas fases do jogo”, argumentou. Enfrentarão a Romênia e têm isso claro. “É uma partida de nível top e temos muito respeito por eles, mas nosso objetivo é ganhar”, explicou Lloris. “Temos confiança”, especificou o treinador. Mas nem assim se sentem favoritos para o cetro europeu. “De modo algum nos sentimos assim. Se nos comparamos com a Espanha e a Alemanha... Nós jogamos em casa e isso é algo positivo, mas por ora não há nada feito.” Deschamps concordou: “Pelos resultados dos últimos anos, a Alemanha, que ganhou a Copa, e a Espanha, que também a conquistou, além das Eurocopas. Estou totalmente de acordo com Lloris.

Deschamps e seu assistente, Guy Stephan. ampliar foto
Deschamps e seu assistente, Guy Stephan. AFP

Iordanescu tem um plano

A comitiva romena chegou tarde ao estádio de Saint-Denis e o técnico Iordanescu, seco em suas respostas, apontava o relógio ao chefe de imprensa a todo o momento, reclamando que tinham de iniciar a sessão preparatória antes do jogo inaugural. “É um orgulho e uma honra começar um torneio tão grande e diante de um rival como este. Nossa preparação acaba hoje e esperamos mostrar que estamos prontos para o desafio”, disse o treinador. E embora tenha aliviado a pressão ao apontar a França como uma das favoritas para levantar o troféu, não se entregou antes do tempo. “Temos trabalhado com o vídeo para preparar um plano. Comparar o ataque das duas seleções é difícil porque eles têm muito potencial e perderam uma partida das últimas 10. Têm jogadores tremendos cheios de talento.”

Com força na defesa, Iordanescu não quer surpresas. “Haverá muita pressão sobre meus jogadores em um estádio lotado e que incentivará a França. Por isso, espero um rival agressivo desde o princípio. Mas meus jogadores estão preparados para isso. Seguiremos o plano que preparamos juntos”, esclareceu.

MAIS INFORMAÇÕES