Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Monstros e malvados arrasam a bilheteria em 2015

Faturamento mundial do cinema no ano que passou atingiu recorde de 152 bilhões de reais

‘Star Wars’, ‘Jurassic World’ e o ‘boom’ nas salas da China levaram ao resultado histórico

É uma questão de força. Dos vilões, dos jedis e dos dinossauros. Dos Estados Unidos e da China. Os filmes e os mercados mais poderosos são a chave para entender o recorde que a bilheteria mundial do cinema bateu em 2015: mais de 35,3 bilhões de euros (cerca de 152 bilhões de reais) faturados ao longo de 12 meses, a cifra mais alta da história, segundo dados provisórios – e sujeita a aumentar – divulgados pela empresa Rentrak. Além disso, o ano que acabou de terminar destrona 2014, o recorde anterior, com 34,1 bilhões de euros (mais de 146 bilhões de reais).

Os restos de Darth Vader, em 'Star Wars: O despertar da Força'.

Na verdade, o dado não deveria surpreender. Se “refugiado” é a palavra do ano segundo a Fundéu BBVA [fundação que promove o bom uso do espanhol nos meios de comunicação e todo ano analisa e incorpora novas palavras ao vocabulário da língua], para o mundo do cinema teria de ser “recorde”. E portanto o resultado final é apenas a consequência de alguns meses extraordinários para a bilheteria mundial. Até mesmo antes, só de olhar o calendário de estreias e o tradicional lançamento de sequências, muitos especialistas previam um ano espetacular: Velozes e Furiosos 7, Jogos Vorazes: A esperança – Parte final; 007 contra Spectre (o novo de James Bond), Os Vingadores: A era de Ultron e Missão Impossível: Nação Secreta prometiam uma batalhas de titãs na bilheteria. E assim foi: pela primeira vez na história, cinco filmes arrecadaram mais de 1 bilhão de euros (cerca de 4,3 bilhões de reais) em um ano. Mas, acima de tudo, estavam os dois reis.

Em junho, Jurassic World, último capítulo da saga iniciada em 1993 pelo mago Spielberg com Jurassic Park, trouxe um novo dinossauro aterrador, o Indominus Rex, e resultados igualmente monstruosos nas bilheterias: entre eles, a melhor estreia da história do cinema em todo o mundo, com 480 milhões de euros (mais de 2 bilhões de reais) arrecadados no primeiro fim de semana. Realmente, o filme com Colin Trevorrow terminou 2015 como o de maior bilheteria do ano: 1,554 bilhões de euros (6,8 bilhões de reais) de receita no mundo, segundo o site Box Office Mojo.

No entanto, o reinado dos dinossauros durou até há algumas semanas. Em dezembro, um meteorito cinematográfico arrasou os predadores pré-históricos e praticamente todos os recordes de bilheteria existentes até então. Star Wars: O despertar da Força, sétimo e esperadíssimo – para usar um eufemismo – filme da saga galáctica, tomou conta das sala e levou o cinema a uma nova esperança. A lista dos recordes que o filme quebrou daria para uma série de matérias então basta citar dois: com mais de 483 milhões de euros (cerca de 2 bilhões de reais) superou Jurassic World como melhor estreia de todos os tempos no mundo; e com 690 milhões de euros (cerca de 2,9 bilhões de reais) só nos EUA, está a ponto de se tornar – talvez hoje mesmo – o filme de maior bilheteria da história do país.

Assim, O despertar da Força superará Avatar, o filme que ainda detém a marca ambicionada pelos jedis: o filme de maior receita da história, 2,6 bilhões de euros (11,18 bilhões de reais), segundo a Box Office Mojo. Star Wars precisará de toda a sua Força para cumprir a missão, já que até o momento arrecadou pouco mais da metade: cerca de 1,4 bilhão de euros (cerca de 6 bilhões de reais). No entanto, muitos analistas dão a ultrapassagem por certa e destacam um país chave onde ainda o filme de J. J. Abrams não estreou: a China.

Um dos dinossauros de 'Jurassic World'.
Um dos dinossauros de 'Jurassic World'.

China, um gigante

As salas do gigante asiático faturaram no ano passado 6,3 bilhões de euros (cerca de 27 bilhões de reais), um aumento de 49% em relação a 2014, como informa Variety. A revista arrisca também duas previsões: estima que a bilheteria de 2016, mesmo com o duelo entre Batman e Super-Homem, dificilmente poderá igualar a de 2015; e, citando vários especialistas, calcula que em 2017 a China será o maior mercado cinematográfico do mundo. No momento, o país asiático tem de se conformar em olhar de baixo para o líder: os Estados Unidos confirmaram o primeiro lugar na bilheteria planetária com um recorde nacional (mais de 43,8 bilhões de reais). Ou seja: os dois países responderam por 46% da renda de entradas de cinema no mundo.

Os 10 campeões de bilheteria

Jurassic World. 1,553 bilhão de euros (6,67 bilhões de reais), segundo o site Box Office Mojo.

Velozes e Furiosos. 1,41 bilhão de euros (6,06 bilhões de reais)

Star Wars: O Despertar da Força. 1,407 bilhão de euros (6,02 bilhões de reais)

Vingadores: A Era de Ultron. 1,308 bilhão de euros (5,62 bilhões de reais)

Minions. 1,077 bilhão de euros (4,63 bilhões de reais)

007 contra Spectre. 805 milhões de euros (3,46 bilhões de reais)

Inside Out. 797 milhões de euros (2,7 bilhões de reais).

Missão Impossível: Nação Secreta. 635 milhões de euros (2,73 bilhões de reais).

Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 2. 591 milhões de euros (2,54 bilhões de reais)

Marte. 554 milhões de euros (2,38 bilhões de reais).

Pela primeira vez na história, cinco filmes superaram no ano passado 1 bilhão de euros (4,3 bilhões de reais) de arrecadação.

A renda dos filmes top ten de maior bilheteria de 2015 representou 30% do total mundial.

As salas de cinema da Chine e dos EUA responderam por 46% da arrecadação do planeta.

MAIS INFORMAÇÕES