Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Maggie Gyllenhaal, “muito velha” para um homem de 55 anos

Atriz de 37 anos critica Hollywood: “primeiro me senti mal, depois dei risada”

Maggie Gyllenhaal
A atriz Maggie Gyllenhaal. Cordon Press

Hollywood defende com unhas e dentes seus estereótipos mesmo que receba fortes críticas por isso. A última polêmica da indústria do cinema envolve a atriz Maggie Gyllenhaal. A indicada ao Oscar reclamou durante uma entrevista ao portal norte-americano The Wrap pela forma como a meca do cinema trata a imagem da mulher em comparação aos homens. “Existem alguns aspectos realmente decepcionantes sobre o fato de ser uma atriz em Hollywood. Tenho 37 anos e recentemente me disseram que era muito velha para interpretar a amante de um homem de 55 anos. Fiquei completamente surpresa. Primeiro me senti mal, depois fiquei aborrecida e finalmente dei risada”, confessou a atriz.

Gyllenhaal não quis dizer o nome do filme e mesmo tendo ficado incomodada pelo argumento dado para não ganhar o papel, sente-se otimista. “Existem muitas atrizes que estão fazendo um trabalho incrível, interpretam mulheres de verdade. Busco com muita esperança papéis com tramas fascinantes”, afirmou.

O fato é que para Hollywood já é um costume contratar atrizes muito mais jovens para interpretar as amantes de seus pares masculinos. Não é algo novo, em 1958 o filme Vertigo mostrou um casal interpretado por James Stewart e Kim Novak no qual ele tinha o dobro da idade dela. Pouco a pouco, entretanto, a luta de mulheres como Meryl Streep e Patricia Arquette para que a indústria aceite e crie personagens para mulheres mais velhas tem ganhado terreno. O novo filme da saga de James Bond, Spectre, é a prova. A atriz de 50 anos, Monica Bellucci será a mais velha Bond Girl da história. Mas não podemos deixar de notar o fato de que as outras atrizes do filme, Léa Seydoux e Stephanie Sigman, têm menos de 30 anos.

Maggie Gyllenhaal e Roland Mouret na festa do MET.
Maggie Gyllenhaal e Roland Mouret na festa do MET. Cordon Press

Mas a idade não é o único problema. Durante a última edição do Festival de Cannes, os criadores do thriller Sicario revelaram que sofreram muita pressão por parte dos produtores para mudar o roteiro e substituir a personagem de Emily Blunt, que era uma agente do FBI, por um protagonista masculino. O filme Mad Max: Estrada da Fúria, também recebeu fortes críticas por se considerar que a personagem interpretada por Charlize Theron tem muita importância.

MAIS INFORMAÇÕES