Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

“A prioridade é unir o Brasil”, diz Aécio no discurso da derrota

O tucano alerta Dilma para o desafio de criar um "projeto honrado que dignifique o país"

Aécio discursa em Belo Horizonte ao lado da esposa, Leticia Weber.
Aécio discursa em Belo Horizonte ao lado da esposa, Leticia Weber. EFE

Após a divulgação dos resultados das mais disputadas eleições à presidência desde a redemocratização do Brasil, Aécio Neves fez um breve discurso que encerrou sua campanha pelo PSDB. Ao lado da esposa Letícia Weber, o candidato perdedor apresentava um semblante tranquilo, que, ao contrário do que indicava a reta final de uma polêmica campanha, não denotava frustração ou ressentimento.

O pronunciamento aconteceu em um hotel de Belo Horizonte, a cidade natal de Aécio, com palavras de gratidão aos cerca de 50 milhões de eleitores que votaram nele e uma ressalva à presidenta reeleita, Dilma Rousseff: “A prioridade é unir o Brasil”.

Depois de expressar seu “profundo agradecimento” aos brasileiros que “apostaram no caminho da mudança” e que lhe permitiram “voltar a sonhar”, Aécio disse que já havia ligado para Dilma para parabenizá-la pela vitória e desejar sucesso no próximo governo. “Cumprimentei agora há pouco a presidente reeleita por telefone e desejei sucesso. Ressaltei que a prioridade dela é unir o Brasil e criar um projeto honrado que dignifique o país”. Os apoiadores do candidato derrotado o receberam com gritos de “Aécio, guerreiro, orgulho brasileiro”.

O discurso foi encerrado com a frase “Combati o bom combate, cumpri minha missão e mantive a fé”, que Aécio Neves havia dito já em sua última agenda pública antes da votação do segundo turno, quando visitou o túmulo de seu avô Tancredo e de sua avó Risoleta.

Apesar de ter perdido essas eleições, o tucano tem a maior votação registrada pelo PSDB até hoje. Segundo analistas, a ideia do partido é dar a impressão de unidade, de abrangência nacional da campanha – aspecto que é reforçado pelo tom tranquilo adotado por Aécio neste domingo.