Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

PT quer aumentar a presença de Lula na campanha de Dilma

Ex-presidente participará de atos sem a candidata na região norte

Lula saúda eleitores antes de votar no primeiro turno.
Lula saúda eleitores antes de votar no primeiro turno. EFE

O PT quer intensificar a presença do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na tentativa de alavancar a campanha de reeleição de Dilma Rousseff. Nas próximas semanas o líder petista viajará para Amazonas, Acre e Pará, onde participará de encontros sem a candidata do partido. Na outra semana estará também em Goiás e Pernambuco.

O Acre e Pernambuco foram os únicos Estados onde a candidata Marina Silva, do PSB, venceu no primeiro turno. Terceira colocada no pleito, agora ela declarou apoio a Aécio Neves (PSDB).
Segundo o presidente do PT, Rui Falcão, Lula faz o que pode na campanha. "Ele não está omisso. Tem gravado para a propaganda de TV. Tem participado de vários atos, inclusive sozinho. Temos duas lideranças que podem se dividir para fazer campanha pelo país".

Outra estratégia petista é trazer os seus governadores no Nordeste para fazer campanha em São Paulo, um reduto de migrantes nordestinos que há 20 anos é governado pelo PSDB. No Estado, Aécio ganhou de Dilma.

Nesta terça-feira, dois do governadores nordestinos estiveram na capital paulista, o baiano Jacques Wagner (que cumpriu dois mandatos consecutivos e elegeu seu sucessor) e o piauiense Wellington Dias (eleito pela terceira vez para comandar o Estado, governou entre 2003 e 2010).

A expectativa do PT é que aumente também a participação dos militantes. "Agora é a fase do casa a casa e cara a cara".

MAIS INFORMAÇÕES