Tribuna

Voltei por acaso aos romances de Eça de Queiroz e encontrei o paraíso

Não há escritor que, como o português, tenha rido tão livremente da beataria católica e do ridículo de uma religiosidade mesquinha