Seleccione Edição
Login

O Orgulho LGBT em 20 cidades do mundo

De São Francisco a São Paulo e de Madri a Toronto. As maiores paradas por diversidade e igualdade do coletivo LGTBI do planeta começam a partir de junho, com uma mistura de reivindicação, música, cores e diversão

  • O Stonewall Inn, o bar de Nova York onde o coletivo LGBT rebelou-se contra a violência policia na madrugada do dia 28 de junho de 1969, começando a luta pelos direitos da comunidade nos Estados Unidos e, consequentemente, no mundo ocidental, situa-se na Christopher Street. Por isso, várias celebrações europeias contra a discriminação e a exclusão por orientação sexual sejam chamadas de Christopher Street Day. Elas acontecem principalmente na Alemanha e na Suíça, sendo a mais importante em Berlim. Uma explosão de cor e liberdade que em 2018 tem seu grande momento no dia 22 de julho, com o desfile e a festa final na porta de Brandenburgo (na imagem, o desfile de 2017). Mais informação: csd-berlin.de
    1O Stonewall Inn, o bar de Nova York onde o coletivo LGBT rebelou-se contra a violência policia na madrugada do dia 28 de junho de 1969, começando a luta pelos direitos da comunidade nos Estados Unidos e, consequentemente, no mundo ocidental, situa-se na Christopher Street. Por isso, várias celebrações europeias contra a discriminação e a exclusão por orientação sexual sejam chamadas de Christopher Street Day. Elas acontecem principalmente na Alemanha e na Suíça, sendo a mais importante em Berlim. Uma explosão de cor e liberdade que em 2018 tem seu grande momento no dia 22 de julho, com o desfile e a festa final na porta de Brandenburgo (na imagem, o desfile de 2017). Mais informação: csd-berlin.de
  • No dia 28 de junho, Dia Mundial do Orgulho LGBT, começa em Madri uma festa reivindicativa ou uma reivindicação festiva que é referência na Europa e no mundo (em 2017, a cidade foi anfitriã da quinta edição do World Pride). A programação inclui shows musicais, espetáculos, a famosa corrida de saltos no bairro de Chueca e a eleição do Mister Gay Espanha.  Na foto: uma bandeira do arco-íris na fachada da Prefeitura de Madri, durante o World Pride. Mais informação: madridorgullo.com
    2No dia 28 de junho, Dia Mundial do Orgulho LGBT, começa em Madri uma festa reivindicativa ou uma reivindicação festiva que é referência na Europa e no mundo (em 2017, a cidade foi anfitriã da quinta edição do World Pride). A programação inclui shows musicais, espetáculos, a famosa corrida de saltos no bairro de Chueca e a eleição do Mister Gay Espanha. Na foto: uma bandeira do arco-íris na fachada da Prefeitura de Madri, durante o World Pride. Mais informação: madridorgullo.com
  • A celebração do amor e da diversidade acontece, na maioria dos países, entre junho e agosto. O Orgulho de Barcelona dura 16 dias e conta com conferências, música e diversão. Na foto, um carro alegórico do desfile do ano passado. Mais informação: pridebarcelona.org
    3A celebração do amor e da diversidade acontece, na maioria dos países, entre junho e agosto. O Orgulho de Barcelona dura 16 dias e conta com conferências, música e diversão. Na foto, um carro alegórico do desfile do ano passado. Mais informação: pridebarcelona.org
  • O desfile do maior orgulho do Oriente Médio é celebrado todo dia 8 de junho, durante 21 anos, em Tel Aviv, uma bolha de liberdade para o movimento LGBT em Israel. "Todo verão, pessoas de todos os gêneros, religiões e cores inundam as ruas e se reúnem para celebrar aceitação, amor e alegria", dizem os organizadores. Música, shows, manifestos e carros alegóricos percorrem a cidade entre coloridos grupos de participantes e espectadores, até chegar à praia de Charles Clore, onde, a partir das três da tarde, e até o entardecer, sua já famosa festa acontece na areia. Mais informações: facebook.comtlvpride.
    4O desfile do maior orgulho do Oriente Médio é celebrado todo dia 8 de junho, durante 21 anos, em Tel Aviv, uma bolha de liberdade para o movimento LGBT em Israel. "Todo verão, pessoas de todos os gêneros, religiões e cores inundam as ruas e se reúnem para celebrar aceitação, amor e alegria", dizem os organizadores. Música, shows, manifestos e carros alegóricos percorrem a cidade entre coloridos grupos de participantes e espectadores, até chegar à praia de Charles Clore, onde, a partir das três da tarde, e até o entardecer, sua já famosa festa acontece na areia. Mais informações: facebook.com/tlvpride. Getty Images
  • É apresentado como "o orgulho mais louco e mais divertido do mundo", e faz jus ao seu anúncio com uma sucessão de festas, exposições, cavalgadas, excursões, shows e shows. Cantores, dançarinos e drag queens se vestem com plumas, glitter e lantejoulas. Mais informações: maspalomaspride.es
    5É apresentado como "o orgulho mais louco e mais divertido do mundo", e faz jus ao seu anúncio com uma sucessão de festas, exposições, cavalgadas, excursões, shows e shows. Cantores, dançarinos e drag queens se vestem com plumas, glitter e lantejoulas. Mais informações: maspalomaspride.es Getty Images
  • A região metropolitana de Toronto, em Ontário (Canadá), recebe, entre o final de junho e o início de julho, um dos maiores festivais de Orgulho LGBT do mundo. Várias etapas são montadas com shows e apresentações de DJs, uma feira de rua, performances e festas nos cinemas. O evento também conta com um Desfile de Lésbicas e um Desfile de Transexuais. Seu epicentro é a a rua Igreja e Wellesley, principal 'point' LGBT da cidade. Mais informações: pridetoronto.com
    6A região metropolitana de Toronto, em Ontário (Canadá), recebe, entre o final de junho e o início de julho, um dos maiores festivais de Orgulho LGBT do mundo. Várias etapas são montadas com shows e apresentações de DJs, uma feira de rua, performances e festas nos cinemas. O evento também conta com um Desfile de Lésbicas e um Desfile de Transexuais. Seu epicentro é a a rua Igreja e Wellesley, principal 'point' LGBT da cidade. Mais informações: pridetoronto.com Getty Images
  • A geografia urbana especial de Amsterdã faz com que sua parada do Orgulho LGBT aconteça na água, com dezenas de barcos (quase 80) decorados em vez do típico desfile de carros alegóricos. Eles começam no Scheepvaartmuseum e navegam em direção ao rio Amstel, de onde pegam o canal Prinsengracht, até o canal Westerdok. Todos envolvidos em atividades culturais (como exposições e exibições de filmes) e muitas festas de rua, especialmente nas ruas Reguliersdwarsstraat e Zeedijk, ou nas praças Rembrandtplein e Nieuwmarkt. Mais informações: amsterdamgaypride.nl
    7A geografia urbana especial de Amsterdã faz com que sua parada do Orgulho LGBT aconteça na água, com dezenas de barcos (quase 80) decorados em vez do típico desfile de carros alegóricos. Eles começam no Scheepvaartmuseum e navegam em direção ao rio Amstel, de onde pegam o canal Prinsengracht, até o canal Westerdok. Todos envolvidos em atividades culturais (como exposições e exibições de filmes) e muitas festas de rua, especialmente nas ruas Reguliersdwarsstraat e Zeedijk, ou nas praças Rembrandtplein e Nieuwmarkt. Mais informações: amsterdamgaypride.nl Getty Images
  • Depois da centenária Parada das Rosas de Pasadena, não há em toda a Califórnia uma manifestação mais numerosa do que a celebração do orgulho lésbico, gay, bissexual e transgênero de São Francisco, um dos mais antigos, famosos e maiores do mundo. Este ano, concentrou-se nos dias 23 e 24 de junho, quando o desfile aconteceu no coração da cidade, ao longo da Market Street, testemunhado por dezenas de milhares de espectadores (em 2017 foram 100 mil). Entre os diferentes grupos que o compõem, destacam-se os motociclistas (principalmente lésbicas, embora todos sejam bem-vindos), além das igrejas, políticos e pais, parentes e amigos do coletivo LGBT. Na imagem, a parada no ano passado. Mais informações: sfpride.org
    8Depois da centenária Parada das Rosas de Pasadena, não há em toda a Califórnia uma manifestação mais numerosa do que a celebração do orgulho lésbico, gay, bissexual e transgênero de São Francisco, um dos mais antigos, famosos e maiores do mundo. Este ano, concentrou-se nos dias 23 e 24 de junho, quando o desfile aconteceu no coração da cidade, ao longo da Market Street, testemunhado por dezenas de milhares de espectadores (em 2017 foram 100 mil). Entre os diferentes grupos que o compõem, destacam-se os motociclistas (principalmente lésbicas, embora todos sejam bem-vindos), além das igrejas, políticos e pais, parentes e amigos do coletivo LGBT. Na imagem, a parada no ano passado. Mais informações: sfpride.org Getty Images
  • As comemorações em Sidney, que estão entre as mais importantes, numerosas, divertidas e coloridas do mundo, são uma das poucas exceções que confirmam a regra, pois não comemoram o Dia Internacional do Orgulho LGBT e não acontecem em junho. A cidade australiana vive seu Carnaval Gay e Lésbico entre fevereiro e março. Em 2018, foi comemorado de 16 de fevereiro a 4 de março, com a bandeira do arco-íris acenando na sacada da prefeitura, pessoas trans compartilhando suas histórias em um palco e exposições de arte queer. Além, é claro, de um desfile testemunhado por cerca de 300.000 pessoas que comemoraram o 40º aniversário de uma celebração que  combina a reivindicação com o desejo de se divertir. Mais informações: mardigras.org.au
    9As comemorações em Sidney, que estão entre as mais importantes, numerosas, divertidas e coloridas do mundo, são uma das poucas exceções que confirmam a regra, pois não comemoram o Dia Internacional do Orgulho LGBT e não acontecem em junho. A cidade australiana vive seu Carnaval Gay e Lésbico entre fevereiro e março. Em 2018, foi comemorado de 16 de fevereiro a 4 de março, com a bandeira do arco-íris acenando na sacada da prefeitura, pessoas trans compartilhando suas histórias em um palco e exposições de arte queer. Além, é claro, de um desfile testemunhado por cerca de 300.000 pessoas que comemoraram o 40º aniversário de uma celebração que combina a reivindicação com o desejo de se divertir. Mais informações: mardigras.org.au Getty Images
  • A New York Pride Parade passa pela Quinta Avenida e termina em Greenwich Village, passando pela icônica Stonewall Inn, onde ocorreram as revoltas de 1969 e o início do movimento de liberação LGBT nos Estados Unidos. Ela acompanha o PrideFest, um festival de rua, gratuito, cheio de atividades e shows, que se concentra em torno da Hudson Street, e a Pride Island (na doca 97 do rio Hudson), uma festa gigante com música ao vivo como toque final. O recente NYC Pride 2018 também foi embalado com palestras, uma noite de cinema em família, experiências culinárias para arrecadar fundos e eventos de cosplay. Na imagem, a marcha realizada nas ruas da cidade no dia 24 de junho. Mais informações: nycpride.org
    10A New York Pride Parade passa pela Quinta Avenida e termina em Greenwich Village, passando pela icônica Stonewall Inn, onde ocorreram as revoltas de 1969 e o início do movimento de liberação LGBT nos Estados Unidos. Ela acompanha o PrideFest, um festival de rua, gratuito, cheio de atividades e shows, que se concentra em torno da Hudson Street, e a Pride Island (na doca 97 do rio Hudson), uma festa gigante com música ao vivo como toque final. O recente NYC Pride 2018 também foi embalado com palestras, uma noite de cinema em família, experiências culinárias para arrecadar fundos e eventos de cosplay. Na imagem, a marcha realizada nas ruas da cidade no dia 24 de junho. Mais informações: nycpride.org EFE
  • A Parada do Orgulho LGBT de Vancouver alcançou 650.000 participantes em 2017 e 2018 promete não decepcionar. Será no domingo, dia 5 de agosto, como o ápice colorido de uma semana de atividades. Um deles é o East Side Pride, que é um evento familiar no Grandview Park; um piquenique no Stanley Park ou um café da manhã em memória de Terry Wallace, um dos fundadores da Pride Society da cidade canadense. O grande desfile termina com mais de 100.000 pessoas desfrutando de uma festa gigante com música ao vivo em frente ao oceano, em Sunset Beach. Mais informações: vancouverpride.ca
    11A Parada do Orgulho LGBT de Vancouver alcançou 650.000 participantes em 2017 e 2018 promete não decepcionar. Será no domingo, dia 5 de agosto, como o ápice colorido de uma semana de atividades. Um deles é o East Side Pride, que é um evento familiar no Grandview Park; um piquenique no Stanley Park ou um café da manhã em memória de Terry Wallace, um dos fundadores da Pride Society da cidade canadense. O grande desfile termina com mais de 100.000 pessoas desfrutando de uma festa gigante com música ao vivo em frente ao oceano, em Sunset Beach. Mais informações: vancouverpride.ca Getty Images
  • A associação Christopher Street West de Los Angeles é responsável por organizar o festival, a semana e a parada do orgulho LGBT da cidade norte-americana. O primeiro acontece em vários cenários da cidade californiana; a segunda envolve o Los Angeles Sparks (time da liga feminina profissional dos Estados Unidos), o Dodger Stadium (estádio de beisebol) ou o parque temático da Universal Studios em Hollywood, onde acontece uma festa com DJs; enqanto o terceiro acontece no Santa Monica Boulevard, em West Hollywood (na imagem, a celebração deste ano). Mais informações: lapride.org
    12A associação Christopher Street West de Los Angeles é responsável por organizar o festival, a semana e a parada do orgulho LGBT da cidade norte-americana. O primeiro acontece em vários cenários da cidade californiana; a segunda envolve o Los Angeles Sparks (time da liga feminina profissional dos Estados Unidos), o Dodger Stadium (estádio de beisebol) ou o parque temático da Universal Studios em Hollywood, onde acontece uma festa com DJs; enqanto o terceiro acontece no Santa Monica Boulevard, em West Hollywood (na imagem, a celebração deste ano). Mais informações: lapride.org Getty Images
  • Três milhões de pessoas, segundo os organizadores, participaram da marcha do Orgulho LGBT de São Paulo em 2017, que acontece desde 1997 na Avenida Paulista. A celebração disputa com a de Nova York o título de maior parada do Orgulho do planeta. Oficialmente, as comemorações duram cinco dias (a parada deste ano foi em 3 de junho). Informalmente, há três semanas cheias de debates, filmes, concertos de música, performances, eventos culturais ou mercados de rua. Mais informações: paradasp.org.br
    13Três milhões de pessoas, segundo os organizadores, participaram da marcha do Orgulho LGBT de São Paulo em 2017, que acontece desde 1997 na Avenida Paulista. A celebração disputa com a de Nova York o título de maior parada do Orgulho do planeta. Oficialmente, as comemorações duram cinco dias (a parada deste ano foi em 3 de junho). Informalmente, há três semanas cheias de debates, filmes, concertos de música, performances, eventos culturais ou mercados de rua. Mais informações: paradasp.org.br Getty Images
  • A Cidade do México, a primeira cidade da América Latina a reconhecer o casamento entre pessoas do mesmo sexo, celebra uma festa do Orgulho LGBT que está em ascensão (no ano passado, atraiu cerca de 175 mil pessoas). A festa tem música, diversão e um desfile que este ano aconteceu no dia 23 de junho, no Anjo da Independência, e comemorou quatro décadas de vida sob o slogan "40 anos de liberdade. Nós não vamos desistir!". É tradição que casais se casem durante a marcha, que incorpora cada vez mais letras à diversidade de sua sigla: LGBTTTI (lésbica, gay, bissexual, transgênero, travesti, transexual, interssexual). Na imagem, Melissa Robles, do grupo mexicano Matisse, durante a Parada de 2016. Mais informações: facebook.comMarchaLGBTCDMX
    14A Cidade do México, a primeira cidade da América Latina a reconhecer o casamento entre pessoas do mesmo sexo, celebra uma festa do Orgulho LGBT que está em ascensão (no ano passado, atraiu cerca de 175 mil pessoas). A festa tem música, diversão e um desfile que este ano aconteceu no dia 23 de junho, no Anjo da Independência, e comemorou quatro décadas de vida sob o slogan "40 anos de liberdade. Nós não vamos desistir!". É tradição que casais se casem durante a marcha, que incorpora cada vez mais letras à diversidade de sua sigla: LGBTTTI (lésbica, gay, bissexual, transgênero, travesti, transexual, interssexual). Na imagem, Melissa Robles, do grupo mexicano Matisse, durante a Parada de 2016. Mais informações: facebook.com/MarchaLGBTCDMX/ Getty Images
  • O Orgulho LGBT de Chicago é comemorado em duas fases: um festival (Chicago Pride Fest) de dois dias (16 e 17 de junho), que inclui um programa musical completo, exposições e muita comida e bebida; e o 49º desfile anual, no dia 24 de junho, um desfile de diversidade que reúne cerca de 750.000 espectadores. Mais informações: chicagopride.gopride.com
    15O Orgulho LGBT de Chicago é comemorado em duas fases: um festival (Chicago Pride Fest) de dois dias (16 e 17 de junho), que inclui um programa musical completo, exposições e muita comida e bebida; e o 49º desfile anual, no dia 24 de junho, um desfile de diversidade que reúne cerca de 750.000 espectadores. Mais informações: chicagopride.gopride.com Getty Images
  • Entre os dias 9 de junho e 7 de julho de 2018, Londres saca suas bandeiras de arco-íris para celebrar a diversidade. Um festival de cinema LGBT, peças de teatro, debates, sessões de poesia, muitos concertos e, como prato principal, o desfile formado por milhares de manifestantes, skatistas, dançarinos e cantores que saem da Baker Street, ao longo da Oxford Street e da Regent Street, até a Trafalgar Square. No ano passado, a celebração contou com a presença da Polícia Metropolitana, do serviço de Ambulâncias e dos bombeiros de Londres, que foram homenageados por seu desempenho durante os ataques terroristas na capital e pelo incêndio declarado semanas antes na Torre Grenfell. Mais informações: prideinlondon.org
    16Entre os dias 9 de junho e 7 de julho de 2018, Londres saca suas bandeiras de arco-íris para celebrar a diversidade. Um festival de cinema LGBT, peças de teatro, debates, sessões de poesia, muitos concertos e, como prato principal, o desfile formado por milhares de manifestantes, skatistas, dançarinos e cantores que saem da Baker Street, ao longo da Oxford Street e da Regent Street, até a Trafalgar Square. No ano passado, a celebração contou com a presença da Polícia Metropolitana, do serviço de Ambulâncias e dos bombeiros de Londres, que foram homenageados por seu desempenho durante os ataques terroristas na capital e pelo incêndio declarado semanas antes na Torre Grenfell. Mais informações: prideinlondon.org AGE
  • O Manchester Pride Festival, que acontece de 24 a 27 de agosto de 2018, é o carro-chefe das celebrações LGBT na cidade britânica. Consiste em quatro elementos distintos: o chamado Grande Fim de Semana, com nomes conhecidos na indústria da música e do entretenimento no palco; o desfile (em 25 de agosto); a vigília de velas acesas, no dia 27 de agosto, quando os Jardins Sackville se transformam em um mar de luzes em memória dos que morreram de HIV-Aids; e o Superbia Weekend, gratuito, que exibe atividades de música, esportes, filmes, literatura ou teatro em toda a área metropolitana. Mais informações: manchesterpride.com
    17O Manchester Pride Festival, que acontece de 24 a 27 de agosto de 2018, é o carro-chefe das celebrações LGBT na cidade britânica. Consiste em quatro elementos distintos: o chamado Grande Fim de Semana, com nomes conhecidos na indústria da música e do entretenimento no palco; o desfile (em 25 de agosto); a vigília de velas acesas, no dia 27 de agosto, quando os Jardins Sackville se transformam em um mar de luzes em memória dos que morreram de HIV-Aids; e o Superbia Weekend, gratuito, que exibe atividades de música, esportes, filmes, literatura ou teatro em toda a área metropolitana. Mais informações: manchesterpride.com Getty Images
  • O desfile de Taipé (no último sábado de todo mês de outubro) é a cereja do bolo do Taiwan Pride e se tornou a segunda maior marcha do arco-íris na Ásia, depois da de Tel Aviv. No ano passado, mais de 100.000 pessoas participaram, percorrendo a capital apoiadas por representantes de mais de 20 países, e com um grande sentimento de comemoração, já que, cinco meses antes, o Tribunal Constitucional da ilha havia se pronunciado a favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo. A festa contou também com celebridades locais mostrando seu apoio à comunidade LGBTQI.
    18O desfile de Taipé (no último sábado de todo mês de outubro) é a cereja do bolo do Taiwan Pride e se tornou a segunda maior marcha do arco-íris na Ásia, depois da de Tel Aviv. No ano passado, mais de 100.000 pessoas participaram, percorrendo a capital apoiadas por representantes de mais de 20 países, e com um grande sentimento de comemoração, já que, cinco meses antes, o Tribunal Constitucional da ilha havia se pronunciado a favor do casamento entre pessoas do mesmo sexo. A festa contou também com celebridades locais mostrando seu apoio à comunidade LGBTQI. Getty Images
  • No dia 30 de junho, Paris comemora seu LGBTQI+ Pride, com cerca de 50 carros alegóricos que começam a desfilar de um lugar tão simbólico quanto a Place de la Concorde, em frente à Assembléia Nacional da França. Andam pelo centro histórico da capital francesa, passando pelo museu do Louvre, até chegar à Praça da República, onde começam os shows e acontece o grande desfile, por volta das dez da noite. É quando a festa se muda para Le Marais, conhecido como o bairro LGBT da cidade, com sua rua mais famosa, a Rue Rosiers, cheia de lojas e restaurantes. Mais informações: gaypride.fr
    19No dia 30 de junho, Paris comemora seu LGBTQI+ Pride, com cerca de 50 carros alegóricos que começam a desfilar de um lugar tão simbólico quanto a Place de la Concorde, em frente à Assembléia Nacional da França. Andam pelo centro histórico da capital francesa, passando pelo museu do Louvre, até chegar à Praça da República, onde começam os shows e acontece o grande desfile, por volta das dez da noite. É quando a festa se muda para Le Marais, conhecido como o bairro LGBT da cidade, com sua rua mais famosa, a Rue Rosiers, cheia de lojas e restaurantes. Mais informações: gaypride.fr Getty Images
  • Estocolmo e Gotemburgo serão as anfitriãs do EuroPride 2018. A capital sueca celebra o Orgulho LGBT de 27 de julho a 5 de agosto, enquanto a grande cidade na foz do rio Göta comemora de 14 a 19 de agosto. Se nos anos anteriores o Orgulho de Estocolmo já foi uma grande festa (em 2017 mais de 600.000 pessoas compareceram e houve mais de 600 atividades programadas), sediar o Orgulho Europeu multiplicará o número de participantes. O EuroPride de Gotemburgo coincide com o Kulturkalaset (festival cultural), o maior evento cultural na Escandinávia, com mais de 1.300 propostas que recebem um milhão e meio de visitas. Mais informações: europride2018.comstockholm e europride2018.comgothenburg
    20Estocolmo e Gotemburgo serão as anfitriãs do EuroPride 2018. A capital sueca celebra o Orgulho LGBT de 27 de julho a 5 de agosto, enquanto a grande cidade na foz do rio Göta comemora de 14 a 19 de agosto. Se nos anos anteriores o Orgulho de Estocolmo já foi uma grande festa (em 2017 mais de 600.000 pessoas compareceram e houve mais de 600 atividades programadas), sediar o Orgulho Europeu multiplicará o número de participantes. O EuroPride de Gotemburgo coincide com o Kulturkalaset (festival cultural), o maior evento cultural na Escandinávia, com mais de 1.300 propostas que recebem um milhão e meio de visitas. Mais informações: europride2018.com/stockholm e europride2018.com/gothenburg Getty Images