Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Milhares vão às ruas após atentado que matou mais de 300 na Somália

Manifestação nesta quarta-feira, que pretendia chegar ao local do ataque de sábado, foi reprimida pelas forças policiais do país africano

  • Milhares de pessoas foram às ruas de Mogadíscio, na Somália, para protestar contra os ataques terroristas que deixaram mais de 300 mortos neste sábado
    1Milhares de pessoas foram às ruas de Mogadíscio, na Somália, para protestar contra os ataques terroristas que deixaram mais de 300 mortos neste sábado AFP
  • Recentemente, a Somália saiu de um longo período de instabilidade ao eleger o presidente Mohamed Abdullahi "Farmajo", que conta com amplo apoio também da comunidade internacional. Contudo, os sucessivos ataques do grupo jihadista Al-Shabaab, a pirataria nos mares e a fome têm sido um fator de instabilidade
    2Recentemente, a Somália saiu de um longo período de instabilidade ao eleger o presidente Mohamed Abdullahi "Farmajo", que conta com amplo apoio também da comunidade internacional. Contudo, os sucessivos ataques do grupo jihadista Al-Shabaab, a pirataria nos mares e a fome têm sido um fator de instabilidade REUTERS
  • O protesto desta quarta-feira, que segundo diferentes participantes, foi o maior já visto na história do país, é contrário ao grupo jihadista Al-Shabaab, possível autor do atentado e ligado à Al-Qaeda, que já realizou inúmeros atentados suicídas na região
    3O protesto desta quarta-feira, que segundo diferentes participantes, foi o maior já visto na história do país, é contrário ao grupo jihadista Al-Shabaab, possível autor do atentado e ligado à Al-Qaeda, que já realizou inúmeros atentados suicídas na região REUTERS
  • O grupo jihadistas Al-Shabaab, que começou os ataques ainda em 2007, não assumiu a responsabilidade pelos atentados, mas se acredita que o tipo e método do ataque condiz com o que já foi feito até hoje
    4O grupo jihadistas Al-Shabaab, que começou os ataques ainda em 2007, não assumiu a responsabilidade pelos atentados, mas se acredita que o tipo e método do ataque condiz com o que já foi feito até hoje AFP
  • A intenção dos manifestantes desta quarta-feira, em Mogadíscio, era chegar ao local dos ataques, mas as forças policiais abriram fogo para tentar acabar com a movimentação. Ao menos duas pessoas ficaram feridas
    5A intenção dos manifestantes desta quarta-feira, em Mogadíscio, era chegar ao local dos ataques, mas as forças policiais abriram fogo para tentar acabar com a movimentação. Ao menos duas pessoas ficaram feridas AFP
  • Depois dos protestos desta quarta-feira, o presidente da Somália, Mohamed Abdullahi "Farmajo", organizou um ato em um estádio de Mogadíscio. Durante sua fala, ele pediu para que a população se aliste no exército para "libertar o país africano"
    6Depois dos protestos desta quarta-feira, o presidente da Somália, Mohamed Abdullahi "Farmajo", organizou um ato em um estádio de Mogadíscio. Durante sua fala, ele pediu para que a população se aliste no exército para "libertar o país africano" AFP