Seleccione Edição

As 21 pequenas cidades mais bonitas da Colômbia

De Barichara a Vila de Leyva e da praia de Belém a Monguí, as localidades com mais encantos do país

  • A calma e o silêncio imperam neste município do departamento de Santander. O branco, o verde e o ocre são as cores predominantes de suas ruas, que ainda conservam o estilo andaluz da colônia. Os parques naturais que rodeiam a localidade são um dos atrativos para os visitantes, que a partir de agora encontrarão em Barichara um dos itinerários das Rotas da Paz, elaborados pelo Governo da Colômbia. Os mais ousados poderão saborear as saúvas-cabeça-de-vidro, especialidade típica da zona.
    1A calma e o silêncio imperam neste município do departamento de Santander. O branco, o verde e o ocre são as cores predominantes de suas ruas, que ainda conservam o estilo andaluz da colônia. Os parques naturais que rodeiam a localidade são um dos atrativos para os visitantes, que a partir de agora encontrarão em Barichara um dos itinerários das Rotas da Paz, elaborados pelo Governo da Colômbia. Os mais ousados poderão saborear as saúvas-cabeça-de-vidro, especialidade típica da zona.
  • Dessa cidadezinha vem o sombrero aguadeño, tecido com fibras da palmeira chapéu-panamá, originária da região. Esse acessório, como outras peças de artesanato feitas com a planta, compete com as fazendas de café e os bananais para chamar a atenção do visitante. A trilha sonora é a do ritmo andino do Pasillo. E se a força da natureza não for suficiente, é possível subir os 144 degraus pintados da rua dos Faroles.
    2Dessa cidadezinha vem o sombrero aguadeño, tecido com fibras da palmeira chapéu-panamá, originária da região. Esse acessório, como outras peças de artesanato feitas com a planta, compete com as fazendas de café e os bananais para chamar a atenção do visitante. A trilha sonora é a do ritmo andino do Pasillo. E se a força da natureza não for suficiente, é possível subir os 144 degraus pintados da rua dos Faroles.
  • Não é a cidade dos jogadores, mas é qualificada como a grande fábrica de bolas costuradas à mão. Em cada esquina está localizada uma indústria dedicada à produção desse artigo, exportado para todo o mundo. A temperatura média é de 12 graus centígrados e seus principais atrativos naturais são o rio Morro, que tem a ponte de Calicanto como o melhor lugar para se instalar e vê-lo correr. As sacadas que se projetam em quase todas as casas, e onde se penduram flores, estão em harmonia com as construções feitas totalmente de pedra, como a da igreja principal, a primeira edificação que se vê ao entrar na localidade, declarada em 1980 a mais bonita de Boyacá.
    3Não é a cidade dos jogadores, mas é qualificada como a grande fábrica de bolas costuradas à mão. Em cada esquina está localizada uma indústria dedicada à produção desse artigo, exportado para todo o mundo. A temperatura média é de 12 graus centígrados e seus principais atrativos naturais são o rio Morro, que tem a ponte de Calicanto como o melhor lugar para se instalar e vê-lo correr. As sacadas que se projetam em quase todas as casas, e onde se penduram flores, estão em harmonia com as construções feitas totalmente de pedra, como a da igreja principal, a primeira edificação que se vê ao entrar na localidade, declarada em 1980 a mais bonita de Boyacá.
  • Em sua área urbana vivem 9.000 pessoas. O enclave de Norte de Santander, na cordilheira dos Andes, tem acolhido cada vez mais o turismo. Um dos principais chamarizes para os turistas é que a praia de Belém –que nada tem a ver com uma praia– pode ser considerada a porta de acesso a Los Estoraques, área protegida e singular onde se pode admirar enormes colunas de rochas que sofreram erosão.
    4Em sua área urbana vivem 9.000 pessoas. O enclave de Norte de Santander, na cordilheira dos Andes, tem acolhido cada vez mais o turismo. Um dos principais chamarizes para os turistas é que a praia de Belém –que nada tem a ver com uma praia– pode ser considerada a porta de acesso a Los Estoraques, área protegida e singular onde se pode admirar enormes colunas de rochas que sofreram erosão.
  • Fundada em 1572 com o nome de Vila de Santa María de Leyva, em 1954 foi declarada patrimônio nacional. A conservação de seus edifícios coloniais, sua enorme praça e os campos andinos que rodeiam a localidade fazem dela um dos destinos turísticos imperdíveis da Colômbia, especialmente para quem quer escapar da pressão mundana típica de Bogotá. Situado no município de Boyacá, ao norte da capital colombiana, o deslocamento é relativamente simples em comparação com outros enclaves do país.
    5Fundada em 1572 com o nome de Vila de Santa María de Leyva, em 1954 foi declarada patrimônio nacional. A conservação de seus edifícios coloniais, sua enorme praça e os campos andinos que rodeiam a localidade fazem dela um dos destinos turísticos imperdíveis da Colômbia, especialmente para quem quer escapar da pressão mundana típica de Bogotá. Situado no município de Boyacá, ao norte da capital colombiana, o deslocamento é relativamente simples em comparação com outros enclaves do país.
  • O realismo mágico de Gabriel García Márquez que inunda a Colômbia ganha especial relevância nesta localidade do departamento de Bolívar. Dela fez um bom relato o Nobel colombiano em seu romance O General em Seu Labirinto. A seis horas de Cartagena das Índias (onde Gabo viveu) e às margens do rio Magdalena, Mompox é um dos recantos mais formosos do país. A ardorosa celebração da Semana Santa atrai muitos turistas nesta época do ano
    6O realismo mágico de Gabriel García Márquez que inunda a Colômbia ganha especial relevância nesta localidade do departamento de Bolívar. Dela fez um bom relato o Nobel colombiano em seu romance O General em Seu Labirinto. A seis horas de Cartagena das Índias (onde Gabo viveu) e às margens do rio Magdalena, Mompox é um dos recantos mais formosos do país. A ardorosa celebração da Semana Santa atrai muitos turistas nesta época do ano
  • Do mirante desta localidade do departamento de Quindío se observa grande parte do vale do Cocora, onde se cultiva a palmeira-de-cera, uma das árvores-símbolo da região e da Colômbia. Em suas poucas ruas está concentrada uma pequena representação da arquitetura cafeeira e é comum ver pitorescos veículos pesados da zona rural que se dirigem a algumas fazendas de café da região. Pela rua Real de Salento passeou o libertador Simón Bolívar.
    7Do mirante desta localidade do departamento de Quindío se observa grande parte do vale do Cocora, onde se cultiva a palmeira-de-cera, uma das árvores-símbolo da região e da Colômbia. Em suas poucas ruas está concentrada uma pequena representação da arquitetura cafeeira e é comum ver pitorescos veículos pesados da zona rural que se dirigem a algumas fazendas de café da região. Pela rua Real de Salento passeou o libertador Simón Bolívar.
  • Não poderia ter outro nome. Seu parque principal está repleto de pequenos jardins de rosas que fazem do caminho um tapete de cores no qual seus habitantes se reúnem para tomar café enquanto contemplam o mirante do Cristo Rey, localizado num monte aonde se chega por teleférico em cinco minutos. No passeio pela parte de cima deste povoado, fundado em 1863, o visitante distingue plantações de café, bananais e a água do riacho La Salada.
    8Não poderia ter outro nome. Seu parque principal está repleto de pequenos jardins de rosas que fazem do caminho um tapete de cores no qual seus habitantes se reúnem para tomar café enquanto contemplam o mirante do Cristo Rey, localizado num monte aonde se chega por teleférico em cinco minutos. No passeio pela parte de cima deste povoado, fundado em 1863, o visitante distingue plantações de café, bananais e a água do riacho La Salada.
  • Uma cidade que conseguiu não escorregar para o vazio graças a uma meticulosa arquitetura idealizada em 1852 por Carlos Segismundo de Greiff. O engenheiro sueco traçou uma rigorosa retícula com suas perspectivas para a montanha e os pontos de fuga para o horizonte. Dessa maneira, de qualquer ponto, e em diferentes alturas, as sacadas se abrem para amplas panorâmicas das montanhas do Citará, do Pacífico, dos penhascos andinos da cordilheira Central e do desfiladeiro do Cauca.
    9Uma cidade que conseguiu não escorregar para o vazio graças a uma meticulosa arquitetura idealizada em 1852 por Carlos Segismundo de Greiff. O engenheiro sueco traçou uma rigorosa retícula com suas perspectivas para a montanha e os pontos de fuga para o horizonte. Dessa maneira, de qualquer ponto, e em diferentes alturas, as sacadas se abrem para amplas panorâmicas das montanhas do Citará, do Pacífico, dos penhascos andinos da cordilheira Central e do desfiladeiro do Cauca.
  • Guaduas é a cidade onde nasceu a líder revolucionária Policarpa Salavarrieta, também conhecida como La Pola. “Povo indolente! Quão diferente seria o vosso destino se conhecêsseis o preço da liberdade! Vejam que, embora mulher e jovem, sobra-me coragem para sofrer a morte e mil mortes mais.” Suas palavras inspiraram a elite autóctone local e os camponeses a lutarem contra a hegemonia espanhola. Desde então, essa localidade do departamento de Cundinamarca, a 170 quilômetros de Bogotá, é destino de peregrinação para os que querem conhecer a história de La Pola. Sua arquitetura é uma mescla entre o bahareque (caniços ou paus entrelaçados com terra) e as telhas de barro e zinco. No convento da Soledad, primeira construção colonial da cidade, onde agora está a prefeitura, se alojaram Antonio Nariño, Manuelita Sáenz e Simón Bolívar, entre outros próceres da independência. Do mirante de Piedra se observa o grande rio Magdalena e os picos nevados do Ruiz, Santa Isabel e Tolima, além do salto de Versalles, uma queda d’água de mais de 40 metros de altura.
    10Guaduas é a cidade onde nasceu a líder revolucionária Policarpa Salavarrieta, também conhecida como La Pola. “Povo indolente! Quão diferente seria o vosso destino se conhecêsseis o preço da liberdade! Vejam que, embora mulher e jovem, sobra-me coragem para sofrer a morte e mil mortes mais.” Suas palavras inspiraram a elite autóctone local e os camponeses a lutarem contra a hegemonia espanhola. Desde então, essa localidade do departamento de Cundinamarca, a 170 quilômetros de Bogotá, é destino de peregrinação para os que querem conhecer a história de La Pola. Sua arquitetura é uma mescla entre o bahareque (caniços ou paus entrelaçados com terra) e as telhas de barro e zinco. No convento da Soledad, primeira construção colonial da cidade, onde agora está a prefeitura, se alojaram Antonio Nariño, Manuelita Sáenz e Simón Bolívar, entre outros próceres da independência. Do mirante de Piedra se observa o grande rio Magdalena e os picos nevados do Ruiz, Santa Isabel e Tolima, além do salto de Versalles, uma queda d’água de mais de 40 metros de altura.
  • As casas de bahareque com teto de barro e sacadas coloridas são a paisagem deste lugar, que representa a típica arquitetura antioquenha. No interior das moradias, as fontes de água nos amplos pátios são tão atraentes como a possibilidade de conhecer a cultura do café em um lugar como este, onde seu tratamento é parte do cotidiano. Nas fazendas da cidade ensina-se como cultivar, classificar e tostar os grãos de café, colhidos manualmente.
    11As casas de bahareque com teto de barro e sacadas coloridas são a paisagem deste lugar, que representa a típica arquitetura antioquenha. No interior das moradias, as fontes de água nos amplos pátios são tão atraentes como a possibilidade de conhecer a cultura do café em um lugar como este, onde seu tratamento é parte do cotidiano. Nas fazendas da cidade ensina-se como cultivar, classificar e tostar os grãos de café, colhidos manualmente.
  • Situado na zona mais estreita do vale de Cauca, em Buga, como em muitos municípios colombianos, o destaque é a arquitetura colonial. Um de seus principais atrativos é a basílica do Senhor dos Milagres, para onde acorrem periodicamente colombianos de todas as partes. Em seu interior, protegido por um vidro blindado, desponta um Cristo moreno de pouco mais de um metro e meio, em um crucifixo rico em joias.
    12Situado na zona mais estreita do vale de Cauca, em Buga, como em muitos municípios colombianos, o destaque é a arquitetura colonial. Um de seus principais atrativos é a basílica do Senhor dos Milagres, para onde acorrem periodicamente colombianos de todas as partes. Em seu interior, protegido por um vidro blindado, desponta um Cristo moreno de pouco mais de um metro e meio, em um crucifixo rico em joias.
  • A cerca de 50 quilômetros de Medellín se encontra Santa Fé de Antioquia, a primeira capital deste departamento colombiano, fundada em 1541. A ponte pênsil de Ocidente, de madeira, que cruza o rio Cauca, e construída por um dos arquitetos da nova-iorquina ponte do Brooklyn, dá as boas-vindas a uma localidade de ruas de pedra e coloridas fachadas coloniais. Embora o mar fique a poucas horas, sua proximidade do rio a torna uma cidade ribeirinha com uma dieta à base de peixe e tamarindo. Além de passear pelas ruas ou percorrer de barco o rio Cauca, há a possibilidade de conhecer a história dos povos indígenas da região no museu Juan del Corral ou ver uma grande coleção de estátuas no de Arte Sacra. E com uma temperatura constante que beira os 25ºC.
    13A cerca de 50 quilômetros de Medellín se encontra Santa Fé de Antioquia, a primeira capital deste departamento colombiano, fundada em 1541. A ponte pênsil de Ocidente, de madeira, que cruza o rio Cauca, e construída por um dos arquitetos da nova-iorquina ponte do Brooklyn, dá as boas-vindas a uma localidade de ruas de pedra e coloridas fachadas coloniais. Embora o mar fique a poucas horas, sua proximidade do rio a torna uma cidade ribeirinha com uma dieta à base de peixe e tamarindo. Além de passear pelas ruas ou percorrer de barco o rio Cauca, há a possibilidade de conhecer a história dos povos indígenas da região no museu Juan del Corral ou ver uma grande coleção de estátuas no de Arte Sacra. E com uma temperatura constante que beira os 25ºC.
  • Santa Cruz de Lorica também é chamada de Cidade Antiga e Senhorial. Sua arquitetura é considerada uma relíquia pelos historiadores devido à mistura dos estilos árabe, mudéjar e republicano, resultante da presença de muitos imigrantes, a maioria libaneses. A Praça do Mercado (foto), declarada patrimônio histórico nacional, é parte do circuito obrigatório de quem quer conhecer a essência dessa cidade acolhedora, em cujo centro se destaca a venda de artesanato, por exemplo, os chapéus ‘vueltiao’.
    14Santa Cruz de Lorica também é chamada de Cidade Antiga e Senhorial. Sua arquitetura é considerada uma relíquia pelos historiadores devido à mistura dos estilos árabe, mudéjar e republicano, resultante da presença de muitos imigrantes, a maioria libaneses. A Praça do Mercado (foto), declarada patrimônio histórico nacional, é parte do circuito obrigatório de quem quer conhecer a essência dessa cidade acolhedora, em cujo centro se destaca a venda de artesanato, por exemplo, os chapéus ‘vueltiao’.
  • Percorrer essa cidade de cerca de 100.000 habitantes é passear pela história da Colômbia. Lá, em 1928, aconteceu o Massacre das Bananeiras, o dramático final da revolução de trabalhadores que marcou a vida da cidade. Trata-se de uma cidade rodeada de palafitas, casas de madeira de estilo tradicional, com mais de cem anos de idade habitadas por famílias de pescadores. Ciénaga (ou Pueblo escondido) é promovida pelo Fundo Nacional de Turismo por sua importância arquitetônica e natural. Não é para menos, pois a cidade fica num ponto estratégico do Caribe colombiano e abriga o maior complexo lagunar do país.
    15Percorrer essa cidade de cerca de 100.000 habitantes é passear pela história da Colômbia. Lá, em 1928, aconteceu o Massacre das Bananeiras, o dramático final da revolução de trabalhadores que marcou a vida da cidade. Trata-se de uma cidade rodeada de palafitas, casas de madeira de estilo tradicional, com mais de cem anos de idade habitadas por famílias de pescadores. Ciénaga (ou Pueblo escondido) é promovida pelo Fundo Nacional de Turismo por sua importância arquitetônica e natural. Não é para menos, pois a cidade fica num ponto estratégico do Caribe colombiano e abriga o maior complexo lagunar do país.
  • As ruas com calçamento de pedra e as casas brancas com portas e janelas escuras são a primeira coisa que chama a atenção ao entrar nas ruas estreitas da cidade, localizada a 30 minutos de Bucaramanga, a capital do departamento. Seus edifícios, conservados quase intactos, datam dos séculos XVI, XVII e XVIII e são sua maior atração. Nem a temperatura (sempre acima dos 30ºC) é uma desculpa para deixar de caminhar pela cidade, em cujas esquinas se vende artesanato de barro, palha e tecido feito por mulheres que mantêm viva a tradição das gerações anteriores. O museu de arte sacra e a catedral do Senhor dos Milagres são alguns dos lugares de que mais se orgulham os habitantes de Girón, declarada Monumento Nacional em 1959.
    16As ruas com calçamento de pedra e as casas brancas com portas e janelas escuras são a primeira coisa que chama a atenção ao entrar nas ruas estreitas da cidade, localizada a 30 minutos de Bucaramanga, a capital do departamento. Seus edifícios, conservados quase intactos, datam dos séculos XVI, XVII e XVIII e são sua maior atração. Nem a temperatura (sempre acima dos 30ºC) é uma desculpa para deixar de caminhar pela cidade, em cujas esquinas se vende artesanato de barro, palha e tecido feito por mulheres que mantêm viva a tradição das gerações anteriores. O museu de arte sacra e a catedral do Senhor dos Milagres são alguns dos lugares de que mais se orgulham os habitantes de Girón, declarada Monumento Nacional em 1959.
  • As atividades aquáticas são uma das grandes atrações da cidade, localizada às margens do Rio Magdalena e emoldurada por colinas e montanhas. Sua arquitetura colonial acompanha o passeio pela zona urbana, que tem mais de 30 pontes. No bairro de Perico, dentro de Honda, é fácil se perder em uma paisagem rochosa em que se pode ver arte rupestre de sete séculos atrás. O clima quente é uma desculpa a mais para visitar a praça do Mercado e aproveitar a oferta de frutas e legumes em um ambiente tranquilo.
    17As atividades aquáticas são uma das grandes atrações da cidade, localizada às margens do Rio Magdalena e emoldurada por colinas e montanhas. Sua arquitetura colonial acompanha o passeio pela zona urbana, que tem mais de 30 pontes. No bairro de Perico, dentro de Honda, é fácil se perder em uma paisagem rochosa em que se pode ver arte rupestre de sete séculos atrás. O clima quente é uma desculpa a mais para visitar a praça do Mercado e aproveitar a oferta de frutas e legumes em um ambiente tranquilo.
  • Socorro inspirou a tradicional canção colombiana ‘Pueblito viejo’, foi um lugar-chave da Revolta dos Comuneros e da assinatura da primeira Ata de Independência do país. Em suas ruas cresceu María Antonia Santos Plata, outra heroína da luta contra os espanhóis à qual é dedicada uma das atrações turísticas da cidade, o parque que leva seu nome. A catedral de estilo barroco, de quatro séculos de idade, foi fundamental para a fundação da cidade na época da Colônia. Graças a ela, Socorro recebeu o título de Villa.
    18Socorro inspirou a tradicional canção colombiana ‘Pueblito viejo’, foi um lugar-chave da Revolta dos Comuneros e da assinatura da primeira Ata de Independência do país. Em suas ruas cresceu María Antonia Santos Plata, outra heroína da luta contra os espanhóis à qual é dedicada uma das atrações turísticas da cidade, o parque que leva seu nome. A catedral de estilo barroco, de quatro séculos de idade, foi fundamental para a fundação da cidade na época da Colônia. Graças a ela, Socorro recebeu o título de Villa.
  • O primeiro nome pelo qual foi conhecida a cidade do departamento de Antioquia foi Guamas, dado o grande número dessas árvores que havia na região. As minas de sal das proximidades e a pesca no rio Cauca atraíram os primeiros povoadores desse vale. As melhorias nos acessos a Sopetrán fizeram dela, na última década, um dos destinos mais atraentes para os amantes do ecoturismo.
    19O primeiro nome pelo qual foi conhecida a cidade do departamento de Antioquia foi Guamas, dado o grande número dessas árvores que havia na região. As minas de sal das proximidades e a pesca no rio Cauca atraíram os primeiros povoadores desse vale. As melhorias nos acessos a Sopetrán fizeram dela, na última década, um dos destinos mais atraentes para os amantes do ecoturismo.
  • Se Boyacá é um dos departamentos da Colômbia que reúne alguns dos lugares mais fascinantes do país é graças à cidade de Iza. A conservação da arquitetura colonial é uma das atrações da cidade, além de ser a melhor maneira de chegar ao Lago Tota, o maior da Colômbia. Na imagem, a capela do Salvador, numa das laterais do Parque Principal.
    20Se Boyacá é um dos departamentos da Colômbia que reúne alguns dos lugares mais fascinantes do país é graças à cidade de Iza. A conservação da arquitetura colonial é uma das atrações da cidade, além de ser a melhor maneira de chegar ao Lago Tota, o maior da Colômbia. Na imagem, a capela do Salvador, numa das laterais do Parque Principal.
  • Apesar de pequena (8.000 habitantes), Guatapé tem muito a oferecer. Seu centro histórico é formado por ruas de pedra e casas baixas pintadas com cores vivas. A peculiaridade dessas casas está na parte inferior das paredes, que apresentam todo tipo de figuras, de profissões (camponeses, garçons) a interesses de seus moradores (animais, plantas, restaurantes). Vale a pena caminhar por suas calçadas parando em cada parede. Além disso, a cidade fica ao lado da Rocha de Guatapé, um penhasco íngreme para subir (650 passos), de onde se pode apreciar um lago majestoso adornado com ilhotas verdes.
    21Apesar de pequena (8.000 habitantes), Guatapé tem muito a oferecer. Seu centro histórico é formado por ruas de pedra e casas baixas pintadas com cores vivas. A peculiaridade dessas casas está na parte inferior das paredes, que apresentam todo tipo de figuras, de profissões (camponeses, garçons) a interesses de seus moradores (animais, plantas, restaurantes). Vale a pena caminhar por suas calçadas parando em cada parede. Além disso, a cidade fica ao lado da Rocha de Guatapé, um penhasco íngreme para subir (650 passos), de onde se pode apreciar um lago majestoso adornado com ilhotas verdes.
  • 22