Caso Volkswagen

Volkswagen perde 7,2 bilhões de reais em três meses pelo caso das emissões

Empresa sofre prejuízo no terceiro trimestre, mas mantém lucros no acumulado do ano

Veículos da Volkswagen em Wolfsburgo, sede do grupo automobilístico. / TOBIAS SCHWARZ (AFP)

O maiúsculo escândalo das emissões fez com que a Volkswagen registrasse um trimestre de prejuízo pela primeira vez em mais de 20 anos. A empresa, que neste ano liderou a venda mundial de veículos entre julho e setembro, sofreu um prejuízo bruto (antes de contabilizar impostos, juros e amortizações) de 3,48 bilhões de euros (15 bilhões de reais). O prejuízo líquido foi de 1,67 bilhão de euros (7,2 bilhões de reais), quando no mesmo período de 2014 havia registrado um lucro líquido de 2,97 bilhões (12,8 bilhões de reais, pelo câmbio atual). Apesar de tudo, o mercado, que possivelmente esperava um impacto ainda maior, acolheu positivamente os resultados. Na metade da manhã, as ações da Volkswagen subiam mais de 3%.

A empresa admitiu em setembro que manipulou alguns motores a diesel para burlar testes de emissões de poluentes. A Volkswagen, que enfrentará custos bilionários pela reparação dos veículos afetados, sanções e processos judiciais, previu inicialmente um prejuízo de 6,7 bilhões de euros (28,9 bilhões de reais) por causa do escândalo. Mas as perdas podem ser muito maiores.

Apesar do resultado no terceiro trimestre, a Volkswagen ainda mantém um lucro de 3,99 bilhões de euros (17,2 bilhões de reais) nos nove primeiros meses de 2015. A cifra é 54,1% inferior à obtida um ano antes no mesmo período. O faturamento aumentou 8,5%, chegando a 160,26 bilhões de euros (690,9 bilhões de reais).

“Essas cifras mostram a força do Grupo Volkswagen, mas ao mesmo tempo fica claro o impacto inicial da situação atual. Faremos tudo o que estiver ao nosso alcance para recuperar a confiança que perdemos”, afirmou Matthias Müller, presidente da companhia. Numa viagem a Pequim que começa nesta quarta-feira, Müller informará sobre a situação à chanceler (primeira-ministra) alemã, Angela Merkel. Interessa ao Governo sobretudo calcular as repercussões que a crise da Volkswagen poderá causar para a economia alemã, e descobrir o que a direção da empresa sabia ou não sobre escândalo, que derrubou o executivo-chefe Martin Winterkorn.

MAIS INFORMAÇÕES

A Volkswagen informou que, por causa das acusações relacionadas às irregulares no software usado por alguns motores a diesel, o lucro operacional de 2015 deve ser “significativamente inferior em termos interanuais”.

O faturamento da montadora alemã entre julho e setembro alcançou 51,5 bilhões de euros (222 bilhões de reais), 5,3% acima do dado do mesmo período de 2014. No terceiro trimestre, a empresa vendeu 2,35 milhões de veículos, 3,7% a menos que um ano antes. Nos nove primeiros meses, foram 7,44 milhões de unidades vendidas, 2,7% abaixo da cifra do mesmo período de 2014.

Lucro operacional na Seat

A marca espanhola Seat, pertencente à alemã Volkswagen, obteve um lucro operacional de 12 milhões de euros nos nove primeiros meses do ano (51,7 bilhões de reais), frente ao prejuízo de 82 milhões de euros no mesmo período de 2014.

A matriz informou nesta quarta-feira que a melhora do resultado se deve aos efeitos positivos das taxas cambiais, ao aumento das vendas e à otimização de custos.

Arquivado Em: