Seleccione Edição
Login

Wikipedia expulsa centenas de editores por cobrarem de empresas

A enciclopédia desmantela 381 perfis que escreviam artigos sobre pessoas por dinheiro

Kevin Gorman, primer editor institucional de Wikipedia que trabaja en una universidad.
Kevin Gorman, primeiro editor institucional da Wikipedia.

Jimmy Wales, fundador da maior enciclopédia digital do mundo, afirmou ao EL PAÍS alguns meses atrás que não acreditava na possibilidade de que editores da Wikipedia recebessem algum tipo de remuneração por seu trabalho. “Nossa comunidade nunca nos pediu esse tipo de coisa”, destacou na ocasião. Sabe-se, agora, que 381 perfis de editores foram expulsos da enciclopédia, em sua versão em inglês, sob a acusação de “fraude” e “extorsão”, por cobrarem de empresas e indivíduos para escrever artigos sobre eles.

A Wikipedia autoriza que um editor mantenha laços com as entidades e pessoas sobre as quais escreve, mas isso deve ser explicitado na publicação de um artigo. Não é este o caso dos que foram expulsos, pois esses violentaram o espírito altruísta e colaborativo da web, e de forma organizada. É comum que editores detectem e excluam artigos que descumprem as regras da enciclopédia e que são produzidos para aumentar a importância de entidades ou pessoas que –em uma comparação com a maioria dos outros textos—não o merecem, mas é incomum que o portal determine uma demissão massiva de perfis por considerá-los contas-fantoche ou sockpuppets (contas criadas especificamente para publicar artigos por fora das normas estabelecidas). Este ano, no entanto, já fora desmantelada uma outra rede, a Wiki-PR, formada por 323 contas-fantoche, segundo a revista norte-americana The Atlantic.

Não é comum que a Wikipedia determine uma demissão tão massiva de perfis de edição

A ação contra a Orangemuddy –nome atribuído à rede pela Wikipedia—resultou até o momento na exclusão de 254 artigos produzidos por esses fantoches. A enciclopédia divulgou a lista completa desses artigos e esclareceu que se trata, na sua maioria, de contribuições relacionadas a pequenas empresas e a artistas pouco conhecidos. Depois de feita essa revisão, apenas dois protagonistas dos artigos em questão mereceram a elaboração de um novo texto na enciclopédia, produzidos já sob as suas regras.

O golpe, descoberto por outros editores da Wikipedia, era realizada de forma coordenada de modo a driblar os mecanismos de revisão da enciclopédia: alguns editores aprovavam artigos redigidos por membros da rede, os quais, por sua vez, publicavam e validavam com opiniões positivas o trabalho de edição de novos membros. Depois de publicados os artigos tendenciosos, alguns editores passavam a cobrar dos seus personagens uma taxa de 30 dólares (114 reais) mensais para mantê-los on-line, segundo informa um dos wikipedistas que ajudaram a desmembrar a rede.

Rede com centenas de contas da Wikipedia em inglês. Em verde se veem os ‘fantoches’ e em amarelo, as URL excluídas. ampliar foto
Rede com centenas de contas da Wikipedia em inglês. Em verde se veem os ‘fantoches’ e em amarelo, as URL excluídas. WIKIPEDIA

Miguel García, representante da seção espanhola da enciclopédia, Wikimedia España, avalia ser frequente “a existência de contas com objetivos particulares e de pessoas que estão ali ‘para falar de seu próprio livro’”. Segundo ele, “nunca ocorreu na versão em castelhano um escândalo como esse”.

Apenas 17.000 editores

 A Wikipedia registra mais de três milhões de usuários cadastrados, mas apenas 17.000 são editores ativos, ou seja, colaboradores que produzem pelo menos um artigo a cada três meses. O mecanismo de controle dos conteúdos presentes na enciclopédia é horizontal –qualquer editor pode criticar e propor emendas a qualquer artigo--, mas, ao mesmo tempo, “se respeita a auctoritas dos editores mais destacados, que costumam emitir suas opiniões em foros, abertamente”, observa o wikipedista.

No caso da Wikipedia em espanhol, as discussões sobre os critérios para editar e excluir artigos são abrigadas pelo foro Café. Miguel García admite que “houve muita discussão no último ano a respeito dos editores remunerados”. Parece não ser suficiente que o editor explicite seus vínculos com o personagem de seu artigo: “Embora os editores expulsos tenham feito isso, continuaram descumprindo uma outra norma da comunidade: a objetividade de sua conta”. Apesar da quantidade elevada de expulsões, o representante da Wikipedia España considera a atuação da enciclopédia “eficaz”: “[A rede ] entrou em atividade em abril, e todos já foram excluídos”, afirma.

Ferramentas de busca como o Google destacam os artigos publicados pela Wikipedia. O projeto Wikidata tornou mais fácil para os bots, robôs que executam o rastreamento na Internet, identificar e indexar mais rapidamente os dados incluídos nos artigos. Ter um artigo elogioso na Wikipedia pode se transformar em uma maneira fácil de obter relevância e boa imagem sem necessariamente merecê-las.

A Wikipedia é financiada por doações cuja gestão está a cargo de uma fundação localizada nos Estados Unidos, sede central do projeto. Várias organizações e associações civis de outros países atuam como representantes nacionais. A Wikipedia España reúne cerca de cem associados, quase todos eles editores ativos e membros de plataformas que defendem o software livre e as licenças creative commons. Um estudo do Instituto Smithsonian calcula que, caso fosse posto à venda, o portal atingiria “dezenas de bilhões de dólares”, com um custo de substituição de 6,6 bilhões de dólares (cerca de 25 bilhões de reais).

 

MAIS INFORMAÇÕES