redes sociais

Entramos na grande nave do Facebook

A sede da rede social, projetada por Frank Gehry, não tem escritórios

Sede do Facebook em Menlo Park (Califórnia).R. J. C.

Os vidros dão um toque de luxo, mas são uma das poucas concessões de um espaço muito funcional com capacidade para mais de 5.000 empregados. Assim é a nova sede do Facebook em Menlo Park (Califórnia, EUA), separada da sede anterior apenas por uma estrada, mas radicalmente diferente.

O estacionamento está no nível do chão. No primeiro andar, uma nave transparente de 40.319 metros quadrados, com altura de quase sete metros, abriga os empregados. Os funcionários de marketing, comunicação, mobilidade e segurança já fizeram a mudança de suas escrivaninhas, que podem acomodar como quiserem. Os enxames de locais de trabalho, mesas amplas para seis ou oito pessoas, são unidos por departamentos denominados bairros.

Mark Zuckerberg festeja a entrega do edifício no prazo e dentro do orçamento, algo pouco comum nesse tipo de projeto. A ideia surgiu em 2010, a cargo do arquiteto Frank Gehry, e ficou pronta em abril passado. Aos poucos, de maneira discreta, as portas começam a se abrir aos visitantes.

MAIS INFORMAÇÕES

 Na entrada, um monte de bicicletas com capacetes na cesta frontal. Após a recepção, no primeiro andar, encontramos lanchonetes, geladeiras e aperitivos próximos a espaços para reuniões improvisadas uma ao lado da outra. Não há um único escritório, só bancos corridos. Os mais impacientes percorrem os corredores de patinetes. Também podem ir até uma máquina que distribui teclados e fones de ouvido grátis e para todos os gostos.

 No teto, uma teia de tubos e fios. No extremo norte do edifício, a cantina, com uma infinidade de pratos de todas as latitudes que mudam a cada dia. Você pode pedir hambúrguer ou cachorro quente em um iPad, porque ainda há espaço para uma comida não tão saudável. Não é a regra do lugar, nem o mais recomendável, mas vale tudo para satisfazer os empregados mais exigentes.

 As saladas, feitas na hora ou com as combinações mais frequentes, contêm verduras e hortaliças cultivadas ali perto. A grande surpresa é o terraço, um jardim para passear, contemplar a baía ou fazer ioga na grama.

 John Tehanes, que dirigiu a construção, destaca o esforço realizado para a integração com a paisagem. Também diz que os funcionários devem respeitar os vizinhos se quiserem continuar crescendo. Os demais edifícios ao redor são muito similares, mas o jardim do terraço consegue se perder em meio às árvores do entorno e ao pântano formado no final da baía de São Francisco. Desde seu nascimento há 11 anos em um dormitório da Universidade Harvard, o Facebook expandiu o número de usuários a mais de 1,7 bilhão no mundo todo, além de quase 10.000 empregados e mais de 60 escritórios.

Alguns trabalhadores, de maneira extraoficial, reclamaram da falta de intimidade, do ruído e das constantes interrupções. As paredes de grafite não parecem suficientes para agradá-los.

Arquivado Em: