prêmios oscar

Um Oscar para Jennifer Aniston?

A pressão para que se case e tenha filhos persiste, mas algo de fato mudou na vida da atriz Finalmente começa a deixar para trás a inesquecível Rachel, de ‘Friends’, e desponta como candidata ao grande prêmio do cinema

A atriz norte-americana Jennifer Aniston, no passado mês de novembro.
A atriz norte-americana Jennifer Aniston, no passado mês de novembro.

Há alguns meses, a mera menção de um Oscar para Jennifer Aniston teria sido motivo de piada. No cinema, a sempre Rachel da série Friends serve para comédias leves, como em seu papel em Família do Bagulho, a segunda comédia de maior bilheteria em 2013.

A atriz também serve para vender, contra sua vontade, revistas de fofoca do mundo inteiro, entre outras coisas como a ex-mulher de Brad Pitt e agora noiva do também ator Justin Theorux. Mas o Oscar parecia coisa para outros atores, como Angelina Jolie e seu Invencível ou Pitt e seu filme Corações de Ferro. Pelo menos assim mostravam os letreiros até que Aniston, de 45 anos, mostrou no Festival Internacional de Toronto seu filme mais recente, Cake — Uma Razão para Viver. Uma interpretação sem maquiagem. Uma produção independente filmada em 25 dias sob direção de Daniel Barnz, onde interpreta uma mulher à beira do suicídio, vítima de terríveis dores crônicas.

A crítica define o filme como seu Monster — Desejo Assassino, o longa que deu o Oscar a Charlize Theron. Ou A Última Ceia, que fez o mesmo com Halle Berry. E em Toronto o público ficou de pé para aplaudir um filme que é o ‘bolo’ de qualquer ator. É verdade que Toronto costuma ser agradecido e recebe com aplausos quase todos os filmes que começam ali sua campanha ao Oscar. E que o poder de Aniston em Hollywood a colocou entre as três primeiras atrizes da indústria, segundo a revista Forbes. Um poder que se reflete na fortuna que acumulou durante sua década em Friends e com seus múltiplos patrocínios (SmartWater, Aveeno), que lhe dá dinheiro suficiente para pagar a melhor campanha promocional do mundo.

A Forbes estima sua fortuna em 83,5 milhões de reais. Já tentou o Oscar o ano passado com outro projeto indie que apresentou em Toronto, Sem Direito a Resgate, e não chegou nem perto. Mas desta vez parece que é para valer, levando em conta as indicações de melhor atriz pelo Globo de Ouro, nos prêmios do Sindicato de Atores e Critic’s Choice. Aniston não consegue acreditar. Disse que, ao saber das indicações, ficou boquiaberta. “Ser reconhecida por algo que amo é tão refrescante!”, disse a atriz sobre a nova etapa de sua carreira. Mas como é preciso manter as aparências, Aniston preferiu desviar a conversa para as festas de Natal. “Há quase 15 anos tenho comemorado o Natal com a festa da árvore, onde todos meus amigos fazem seus próprios ornamentos e os penduram. São os melhores presentes, os mais pessoais, feitos com amor.”

Pergunta: Já pensou nas resoluções para o ano novo?

Resposta: Sou do tipo que prefiro não estabelecer metas, porque não gosto que não sejam cumpridas. Tenho muitas coisas em mente para 2015. Mas o melhor, é o que não espero.

P. E o ano do casamento?

R. Uma pergunta que nunca ouvi antes (risos). Há planos, mas não há pressa. Não sentimos que somos menos unidos porque nos falta esse pedaço de papel que diz que estamos casados. A pressão é intensa para que nos casemos, mas prefiro não dar muita atenção ao assunto e seguir adiante com nossas vidas.

P. Adiante com outro filme como o do Oscar. São muitos os que comentam que Cake é seu Monster’s Ball (A Última Ceia).

R. Não sei o que dizer. Uma honra, uma alegria e um momento para reflexão porque Monster’s Ball é um filme fantástico.

P. ¿É o buscava em Cake?

R. Desde que li o roteiro sabia que faria tudo para interpretar o papel de Claire, que seria capaz de ir e voltar à lua para trabalhar com Daniel e que não o decepcionaria.

A pressão da maternidade

“Não gosto da pressão que colocam em mim e nas mulheres, de que fracassaram como mulher porque não tiveram filhos.” Desta maneira Jennifer Aniston expressava seu cansaço ao sentir-se permanentemente questionada de não ter sido mãe, enquanto seu ex-marido Brad Pitt—de quem se divorciou em 2005— e Angelina Jolie têm seis filhos.

Cada aparição da atriz se transforma em uma investigação para determinar se existe uma suspeita de barriga. Mas uma coisa dói mais do que tudo: “A acusação de que coloquei minha carreira acima de meu desejo de ser mãe”, disse recentemente à revista

Allure.

Na entrevista, classificou a afirmação como um insulto e degradante e que inclusive a tenham taxado de egoísta.

P. A ausência de maquiagem nunca a preocupou?

R. Nunca me vi pior. Posso dizer isso. Mas não podia ser de outra maneira. E é o bom de ser ator, que temos um arsenal de personagens em nosso interior.

Se na época de Friends o penteado de Rachel era motivo de manchetes e mudanças nas tendências de moda, agora o corpo de Aniston, junto com o de Gisele Bündchen e o de Penélope Cruz, está entre os mais procurados por aquelas que vão ao cirurgião plástico, indicava uma pesquisa. Ainda assim, Aniston não se importou em abandonar sua invejada forma para ser fiel à sua meta como atriz. Sexista? Ela é a primeira a destacar como a Academia é injusta, ano após ano, por prestar atenção nas intérpretes quando não se mostram atraentes na tela.

Mas a tática parece eficaz a julgar por Theron, Berry, Nicole Kidman e até Cate Blanchett que já levaram a estatueta. Ou pela possível indicação disputada por Julianne Moore, vítima de Alzheimer em Para Sempre Alice, ou Reese Witherspoon, também sem maquiagem e uma mochila nas costas em Wild.

Pergunta. O que pensa da concorrência nesta temporada de prêmios?

Resposta. O simples fato de se falar deste pequeno filme é esmagador. Ainda tenho muitos filmes para ver, mas entre os que vi está Caminhos da Floresta. O trabalho de Emily Blunt é extraordinário. Como o de Meryl Streep, obviamente. Adoro ver mulheres corajosas fazendo trabalhos maravilhosos.

P. Sente falta de seus companheiros de Friends?

R. Sempre serão meus amigos. Aqueles dez anos provavelmente foram os mais importantes da minha carreira e estou muito agradecida. Nos divertimos muito. Temos feito o impossível para nos reunirmos mas não teve jeito. Saio para jantar com Courtney [Cox] e Lisa [Kudrow] frequentemente. Somos uma família. Crescemos juntos.

Embora a imprensa da fofoca apenas se empenhe em ver sua barriga crescer. E ela afinal confessa estar cansada de que digam que tenha priorizado uma carreira em Hollywood em vez da maternidade.

Arquivado Em: