Nova York aposenta suas velhas cabines telefônicas

Cidade apresenta um plano para instalar até 10.000 quiosques com tela ‘touch’, que servirão também como pontos de conexão wi-fi

Ilustração do futuro quiosque wi-fi no Queens.
Ilustração do futuro quiosque wi-fi no Queens.CityBridge

As velhas cabines telefônicas ainda vistas nas ruas de Nova York já têm data para a aposentadoria. Dentro de um ano, os velhos aparelhos com teclas, cabo e fone devem começar a ser substituídos por quiosques inteligentes, mais esbeltos e dotados de telas touch, que formarão uma rede wi-fi na cidade inteira, permitindo o acesso gratuito à Internet.

A metrópole tem atualmente 6.400 telefones públicos instalados. O projeto apresentado pelo prefeito Bill de Blasio prevê a modernização da rede de cabines, com até 10.000 quiosques de alumínio chamados LinkNYC. O novo sistema permitirá fazer chamadas gratuitas para qualquer telefone nos EUA e o consumo de até um gigabyte de dados por mês.

A tela tátil dos terminais, que funcionará com o sistema operacional Android, permitirá ao transeunte o acesso a conteúdos via aplicativos. A cidade espera arrecadar 20 milhões de dólares (52 milhões de reais) com o primeiro ano do contrato, concedido ao consórcio CityBridge. A lateral desses quiosques de quase três metros de altura será reservada para publicidade.

Os criadores desses pontos de conexão à Internet dizem que eles foram concebidos em sintonia com a cidade. Além disso, prometem uma conexão wireless 100 vezes mais rápida que a dos pontos públicos de wi-fi já instalados em Nova York, e 20 vezes mais rápida que a Internet domiciliar.

Mais informações

Moradores e pequenos negócios que tiverem um desses elegantes quiosques nos seus arredores poderão, portanto, receber seu sinal sem problemas. Calcula-se que cada um desses pontos de acesso à Internet conseguirá suportar até 250 usuários simultâneos. “É um importante passo à frente para fazer de Nova York uma cidade mais igual, aberta e conectada”, diz o prefeito democrata.

A essa velocidade de transmissão de dados, será possível fazer chamadas de vídeo sem problema. Outra função dessas cabines telefônicas modernas é servirem como pontos de abastecimento para celulares e tablets. Além disso, nelas será possível acessar diferentes serviços públicos oferecidos pelo município aos seus mais de oito milhões de habitantes.

Segurança

Um dos problemas desses pontos públicos de wi-fi é a sua segurança. O CityBrige afirma que a rede será protegida com uma rede criptografada que reduz sua vulnerabilidade e não permite a comunicação entre dispositivos a ela conectados. Os gestores se comprometem a não usar nem vender informações pessoais dos usuários.

A ideia da prefeitura é que o espaço reservado aos anúncios possa ser utilizado também pelos serviços de emergências para dar informações ao público de maneira eficaz. Esses avisos, segundo a agência de propaganda Titan, serão definidos especificamente para cada bairro onde o quiosque for instalado, sendo muito úteis, por exemplo, caso haja a necessidade de desocupação por emergência.

A instalação dos quiosques começará dentro de um ano, após a conclusão de todos os trâmites iniciais, e a implantação levará seis anos. O contrato do CityBridge vai até 2026. A ideia inicial é operar 7.500 pontos, com a possibilidade de ampliação para 10.000 se a rede tiver sucesso. A essa altura, restarão apenas três velhas cabines em funcionamento, para que esse vínculo histórico não se perca.

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: