Seleccione Edição
Login

O Hamas mostra um de seus ataques a Israel através de seus túneis

O grupo islamista difunde uma de suas incursões a uma torreta militar do Ejército israelense

Um soldado israelense observa um dos túneis. O vídeo contém áudio em espanhol, que narra o trajeto de um palestino por um dos túneis até o ataque ao soldado israelense.

O braço armado do Hamas difundiu nesta terça-feira à noite um vídeo que mostra uma incursão que realizaram vários de seus milicianos na segunda-feira em uma torre militar no território israelense. O ataque terminou com cinco israelenses e um miliciano mortos. No vídeo é possível ver como vários membros do grupo armado palestino saem de um dos túneis abertos sob a fronteira, correm em um campo aberto e chegam até um posto israelense, onde matam um dos soldados. As imagens mostram os milicianos armados com rifles e como se aproximam discretamente disparam contra um soldado.

Os túneis construídos pelo Hamas se converteram no principal campo de batalha desta ofensiva. Israel também difundiu um vídeo de um as passagens subterrâneas que descobriu. O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, salientou que não cessará os ataques até que seu país consiga “a neutralização dos túneis” do Hamas, segundo reiterou na segunda-feira em um comparecimento televisionado, no qual também recalcou que seu Exército está pronto para uma operação mais longa.

Mohammedd Deif, líder do braço armado do Hamas, disse em uma mensagem gravada e difundida pela televisão que continuarão combatendo Israel até o país extinga o bloqueio a Gaza. "A entidade ocupante não terá segurança até que nossa gente viva em liberdade e com dignidade", disse Deif. "Não haverá cessar fogo antes de que a agressão pare [israelense] e o bloqueio seja suspenso. Não aceitaremos soluções provisórias", insistiu.

A ofensiva que começou há 23 dias já provocou a morte a mais de 1.240 palestinos, a maioria civis, 53 soldados israelenses, além de dois civis israelenses e um tailandês. As imagens gravadas e difundidas pelo Exército de Israel mostram o interior de um túnel revestido de cimento, enquanto no vídeo difundido pelo Hamas, os milicianos saem de uma passagem estreita e rústica.

Na madrugada desta quarta-feira, ao menos 16 palestinos morreram e cerca de 90 ficaram feridos durante o ataque a uma escola das Nações Unidas no norte de Gaza, segundo informou o porta-voz do Ministério da Saúde na Faixa, Ashraf Al Qedra, e confirmou um servidor público da ONU à agência France Presse.