99,99% dos aplicativos não serão rentáveis até 2018

Segundo a consultoria Gartner, o mercado de programas do gênero é hiperativo e terá muita concorrência e pouco lucro dentro de alguns anos

Menos de 0,01% dos aplicativos para celulares serão considerados um sucesso econômico por seus desenvolvedores no ano de 2018, conforme um relatório da consultoria de tecnologia Gartner. "O grande número de aplicativos poderia supor que o celular é o aparelho que fará muitas pessoas enriquecer", diz Ken Dulaney, vice-presidente da Gartner. "No entanto, nossa análise mostra que a maioria dos aplicativos para celular não está gerando retorno e que muitos deles não estão desenhados para isso, senão para construir a imagem de uma marca ou só por diversão. Os designers que não saibam ver isso podem se encontrar com a surpresa de que os lucros não vão chegar".

Dulaney qualifica o mercado de aplicativos móveis como "hiperativo", com mais de 200 fornecedores de desenvolvimento de plataformas e milhões de desenvolvedores desses sistemas. Além disso, a abundância de bons exemplares gratuitos eleva as exigências do consumidor de pagar por outras. "Há muitos aplicativos que são gratuitos e que nunca renderam (dinheiro) diretamente. Gartner prevê que para 2017, 94,5% dos downloads serão gratuitos", assinala Dulaney. "Entre os programas de pagamento, 90% são baixados menos de 500 vezes por dia e rendem menos de 2.900 reais ao dia. Isto vai ser pior no futuro, quando haverá mais concorrência, especialmente nos mercados de sucesso".

Na  semana passada, a Apple informou que em 2013 a companhia garantiu ingressos de 10 bilhões de dólares pelo download de aplicativos. Desse montante, 70% foi para os desenvolvedores. Embora o Google Play tenha mais downloads e aplicativos que a AppStore, estima-se que os rendimentos da loja de Apple são 2,5 vezes maiores que os da loja de Google.

Os jogos são os aplicativos mais descarregados e os que que mais rendimentos conseguem, apesar de serem gratuitos. Candy Crash e Puzzle and dragons são os líderes mundiais em 2013.