Maiores e mais baratos, assim serão os tablets de 2014

Modelos de até de 12 polegadas, conteúdo dinâmicos, dois sistemas operacionais em um...

Nanda Ramachandran, vice-presidente de Samsung, apresenta o tablet de 12 polegadas.
Nanda Ramachandran, vice-presidente de Samsung, apresenta o tablet de 12 polegadas.STEVE MARCUS (REUTERS)

Os tablets, que conquistam cada vez mais terreno do computador, evoluem e se renovam para seguir reinando na tecnologia de consumo. Durante a feira CES, a mais importante na área da eletrônica de consumo, foram apontadas algumas tendências sobre os modelos que devem chegar no primeiro semestre deste ano, embora muitos fabricantes reservem as novidades para apresentar durante e próximo grande evento da área, o MWC, a ser realizado em Barcelona.

Na ausência da Apple, que lançou o iPad Mini com tela de retina e o iPad Air em novembro, a Samsung ganhou as atenções. Suas versões Pro focam no profissional que não renuncia ao lazer, mas prefere um só aparelho, tanto do tablet como do celular. Além da melhor definição de tela, há ênfase no conteúdo. O Android continua como sistema. No entanto, à primeira vista, sua interface dinâmica lembra o Windows 8, com seus quadros mostrando informações atualizadas.

A fabricante Asus não se inspirou no Windows, e oferece um modelo com os dois sistemas operativos no mesmo tablet. A Hewlett Packard também vai nessa direção, embora para o diretor da Lenovo, Ginfrancio Lanci, isso só crie confusão no consumidor e redução do seu rendimento.

As sete polegadas se mantêm intactas. Mas haverá melhorias da autonomia combinada com potência para executar jogos e aplicações cada vez mais exigentes. Precisamente o tamanho representa uma dificuldade a mais para baixar os preços sem sacrificar a potência, qualidade e desenho.

A proposta do console Nvidia, com seu chip Tegra K1, de 96 núcleos, obriga a Qualcomm a se igualar, ou até superar a façanha. O mundo do videogame, cada vez mais imerso em computação em nuvem, está pedindo seu lugar como protagonista. Ganha-se em integração com os consoles, em velocidade e, sobretudo, há mais complementos para jogos em tablets.

Em 2014 as vendas de tablets devem superar largamente a de computadores, com uma redução de preços, especialmente das marcas neutras, que vão ganhando espaço. Mas a indústria do tablet enfrenta a concorrência dos smartphones nos países asiáticos. Por isso, a tendência de lançar modelos acima das dez polegadas. E já existe inclusive como é o rumor de que Apple faça.