Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Venezuela disputa final histórica no futebol e técnico apela a Maduro: “Pare as armas”

Seleção sub-20 vai à decisão do Mundial, a primeira do gênero da história do país

Treinador da equipe pede o fim da repressão violenta aos protestos contra o presidente

Venezuela Mundial Sub-20
Dudamel implora a Maduro por cessar-fogo. Fifa

Um feito histórico. Para um país que jamais havia avançado a uma final de competições internacionais de futebol em qualquer categoria, estar na decisão do Mundial sub-20, na Coreia do Sul, não se trata de uma definição exagerada. Nesta quinta-feira, a Venezuela superou o Uruguai nos pênaltis e, enfim, disputará um título de expressão. A euforia pela vitória, porém, não impediu o técnico Rafael Dudamel de chamar a atenção contra a repressão aos protestos de oposição ao governo de Nicolás Maduro em seu país.

Depois da classificação, o ex-goleiro, titular da meta vinotinto entre os anos 90 e 2000, fez um desabafo nas dependências do estádio de Daejeon e cobrou o presidente venezuelano por um cessar-fogo diante das manifestações que já acumulam 66 mortos. “Presidente, pare as armas! Hoje um garoto de 17 anos nos deu alegria. E ontem morreu outro de 17 anos”, disse o treinador em referência a Samuel Sosa, jovem promessa do Deportivo Táchira que marcou o gol de empate aos 46 minutos do segundo tempo, e ao adolescente Neomar Lander, assassinado nesta quarta-feira em um protesto na cidade de Chacao.

Jovem protesta contra Maduro em Caracas. ampliar foto
Jovem protesta contra Maduro em Caracas. Reuters

Para Dudamel, as manifestações contra Maduro, que se espalham pelo país há mais de dois meses, são legítimas e não devem ser reprimidas com excessos pelas autoridades. “A única coisa que esses jovens que saem às ruas querem é uma Venezuela melhor, que sorri e aproveita a vida”, afirmou o técnico.

A comissão técnica da vinotinto acredita que o triunfo no Mundial sub-20 pode ajudar o país a superar os conflitos violentos que marcam o embate entre governo e oposicionistas de Maduro. Além de Samuel Sosa, que garantiu o empate em 1 x 1 no tempo normal, o goleiro Wuilker Farinez foi um dos heróis da classificação ao defender o último pênalti uruguaio, cobrado por De La Cruz. No próximo domingo, a nova geração da Venezuela tem a chance de sua consagração definitiva. A equipe enfrenta a Inglaterra, que superou a Itália na outra semifinal, no duelo pelo título em Suwon. Os venezuelanos estão invictos no torneio.

O goleiro Wuilker Farinez comemora a vitória diante do Uruguai.
O goleiro Wuilker Farinez comemora a vitória diante do Uruguai. Fifa

MAIS INFORMAÇÕES