Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Os aplicativos mais caros do mundo

Um 'app' para iOS custa 999,99 euros e para fazer seu ‘download’ é preciso provar possuir um patrimônio superior a um milhão de libras

Os aplicativos mais caros do mundo

Durante o ano de 2016 foram feitos 90 bilhões de downloads a partir das lojas de aplicativos móveis, de acordo com dados da App Annie. Isso fez com que alguns desenvolvedores faturassem 89 bilhões de dólares (cerca de 283,11 bilhões de reais) graças à publicidade inserida em seus produtos, bem como ao montante desembolsado pelos usuários tanto pelos apps pagos quanto pelas compras integradas em alguns aplicativos. Por seu lado, o Google e a Apple também ficaram com um pedaço do bolo e, entre ambos, levaram cerca de 15 bilhões de dólares em comissões por canalizar essas vendas em suas respectivas lojas.

Esses números irão crescer nos próximos anos: a App Annie estima que em 2020 a receita do mercado mundial de aplicativos móveis atingirá 189 bilhões de dólares, valor que aumentaria se os usuários comuns, acostumados a um preço médio de 3,59 euros pelos apps pagos, decidissem fazer download de algum dos seguintes aplicativos, os mais caros do mundo.

Os apps mais caros para iOS

Quando um desenvolvedor põe à venda um aplicativo na App Store (ou no iTunes), não pode escolher livremente o seu valor, mas deve escolher entre 87 faixas de preço cujo máximo é 999,99 euros. Às vezes, esse montante pode ser ultrapassado se o uso do aplicativo estiver sujeito à assinatura de um serviço pago ou a compras adicionais.

1. BarMax

Este aplicativo ajuda a preparar o BAR Exam, uma prova obrigatória para quem deseja trabalhar como advogado nos Estados Unidos. O download do BarMax é gratuito, mas para poder utilizar a partir dele todo o conteúdo preparado pelo desenvolvedor é preciso fazer uma compra integrada por 999,99 dólares. Além disso, também inclui outras opções como o acesso a questionários com 1.500 perguntas por um valor adicional de 249,99.

2. CyberTuner

Adaptação para iOS do Reyburn Cyber Tuner, um software que há mais de 20 anos ajuda a fazer afinações profissionais de piano. Custa 999,99 euros com uma assinatura do serviço CyberCare, que inclui atualizações de software e suporte personalizado via telefone ou e-mail. No entanto, uma vez passados os primeiros doze meses, para continuar com os serviços do CyberCare é necessário pagar uma taxa anual de 79,99 euros (se o pagamento não for feito, o usuário pode continuar a usar as opções básicas do CyberTuner).

3. VIP Black

Com preço de 999,99 euros, o VIP Black é conhecido pelo apelido de app do milionário e dá tratamento preferencial e benefícios exclusivos nas transações com as empresas que fazem parte do clube iVIP. Como se não bastasse seu preço proibitivo, para fazer o download é necessário provar possuir um patrimônio superior a 1 milhão de libras.

4. Ignition

Trata-se de um aplicativo do LogMeIn que permite acessar, a partir de um iPhone ou iPad, qualquer computador com sistema operacional Windows ou Mac que tenha sido previamente configurado para facilitar o uso em modo remoto. Além disso, o Ignition dispõe de um gerenciador de arquivos que permite transferir documentos entre os diferentes computadores com os quais estiver sincronizado. Custa 999,99 euros.

5. app.Cash

Criado pela empresa Visiomatic, o app.Cash (em alguns países chamado rock.Kasse) transforma qualquer iPhone ou iPad num TPV (Terminal Ponto de Venda) sensível ao toque, ou seja, essas modernas caixas registradoras que vemos em qualquer estabelecimento de fast food, por exemplo. Com ele é possível gerenciar facilmente o pedido do cliente, imprimir o recibo e manter em dia contas do negócio. Seu preço também é de 999,99 euros.

Os apps mais caros para Android

Em relação ao Google Play, até o final de 2015 o máximo que podia custar um aplicativo nessa loja era 199 euros. No entanto, a partir de então um novo limite para os aplicativos para Android foi estabelecido: 350 euros. Estes são alguns dos desenvolvimentos que atingiram ou se aproximaram desse montante.

1. As joias de Abu Moo

“Você quer comprar um aplicativo caro simplesmente porque pode fazê-lo? Talvez você queira impressionar seus amigos pobres?”. Estas são algumas das mensagens que anunciam essa coleção de seis aplicativos que não servem para absolutamente nada. Cada um deles custa 350 euros e ao fazer download simplesmente mostra na tela do celular a imagem da pedra preciosa escolhida: ametista, água-marinha, rubi, safira, esmeralda ou diamante negro. Quem quiser toda a coleção deve desembolsar 2.100 euros.

2. Most Expensive App

Por incrível que pareça, a verdade é que por esse mesmo preço de 350 euros há muitas outras opções no Google Play que são igualmente inúteis que o Abu Moo, como o Most Expensive App, I’m Rich!, Certify yourself as a rich e similares.

3. Atlas de cirurgias

Baseada na décima edição do Zollinger’s Atlas of Surgical Operations (Atlas Zollinger de cirurgias), referência mundial entre cirurgiões, o aplicativo oferece –por 319,99 euros– todas as informações desse livro publicado pela McGraw-Hill, bem como imagens e um motor de busca para localizar rapidamente os dados sobre uma determinada cirurgia.

4. Atlas de medicina de urgência

Assim como o anterior, o The Atlas of Emergence Medecine (Atlas de medicina de urgência) se dirige à formação de profissionais de medicina e também foi desenvolvido pela Usatine Media a partir de uma publicação da McGraw-Hill. Está à venda por 284.99 euros.

Abaixo dos 250 euros continuamos encontrando outros aplicativos relacionados com os estudos médicos, como o Diseases of the Nails and their Management (Doenças das unhas e seu controle), por 234,99 euros, e o Tropical Diseases (Doenças tropicais), por 219,99 euros.

5. Antivirus Security

Deixando de lado os aplicativos para profissionais da medicina, outra proposta que chama a atenção pelo preço na loja do Google é este antivírus da AndroHelm Security, por 129,99 euros.

MAIS INFORMAÇÕES