Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

‘Todo Feio’ acusa ‘Todo Horroroso’ de ser mais corrupto que ele

Os curiosos apelidos dados pela Odebrecht aos políticos subornados pela empresa

A sede central da empresa Odebrecht em São Paulo, Brasil.
A sede central da empresa Odebrecht em São Paulo, Brasil. REUTERS
Inaldo Leitão com a filha dele
Inaldo Leitão com a filha dele

Caju, Primo, Angorá, Corredor, Misericórdia, Gripado… Para dissimular os subornos que pagou durante anos a políticos brasileiros, a empreiteira Odebrecht tinha um sistema de apelidos. Essa não é a parte mais importante da confissão feita há duas semanas por um executivo da companhia acusado de corrupção; o relevante é que, depois desta, ainda sairão as denúncias de outros 76 diretores. A Delação do fim do mundo, como ficou conhecida, já estremeceu os alicerces da política brasileira pela enorme quantidade de políticos atingidos. Mas os apelidos são o aspecto que mais deu o que falar nas redes sociais. O corpulento deputado Lucio Vieira Lima (PMDB-BA) é o Gigante. Heráclito Fortes (PSB-PI), que tem uma dessas caras com mais mandíbula que testa, e de quem, quando grita na tribuna da Câmara, só se vê uma boca desmedida, é o Boca Mole. Paes Landim (PTB-PI), que completa 80 anos em março, é o Decrépito. Há um Campari, como a bebida, um Botafogo, como o time, e um Babel. E, acima de tudo, há Inaldo Leitão.

Este ex-deputado federal (PL-PB) acusado de ter recebido 100.000 reais em propinas era só mais um na lista. Há políticos suspeitos de terem recebido quantias bem maiores, e outros que foram mais rápido em negar as acusações (todos, afinal, negaram). Mas Leitão acabou sendo o protagonista da semana passada por ser o único a ter desmentido também o apelido. Foi ao Facebook dizer, sobre a alcunha de Todo Feio, “que não é assim”. E argumentou que o executivo da Odebrecht que o acusou é mais corrupto e ainda por cima mais feio que ele próprio, e por isso mereceria o apelido de Todo Horroroso.

A mensagem viralizou nos primeiros dias após a divulgação da megadelação da Odebrecht porque muita gente acha que o apelido é de fato adequado à aparência de Inaldo Leitão. Há também uma senadora, Lídice da Mata (PSB-BA), chamada de Feia, mas ela não se pronunciou a respeito. Passados poucos dias do seu momento de glória, Leitão eliminou seu perfil no Facebook. Quando se aproxima o fim do mundo, tudo o que o corpo pede é uma distração.