Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Expulsas por não usar salto alto em Cannes

Polêmica no festival depois que grupo de mulheres teve acesso negado usar rasteiras

Emily Blunt faz apelo por boicote e pede que todo mundo deixe de usar saltos

Os saltos de Sofia Coppola na edição passada do festival.
Os saltos de Sofia Coppola na edição passada do festival.

Parece que a mácula de festival machista não tem como ser retirada do Festival de Cannes (por mais que tentem consertá-lo projetando um filme dirigido por uma mulher na cerimônia de abertura). Após anos de críticas contra um festival que tem deixado de lado a presença feminina, agora há uma enxurrada de ataques por supostamente ter expulsado de uma projeção um grupo de mulheres que cometeu o erro fatal de não usar salto alto para pisar no tapete vermelho.

O caso foi revelado pela revista especializada Screen Daily, que afirma que um grupo de mulheres na casa dos 50 anos foi expulso da exibição de gala de Carol (filme de Todd Haynes com Cate Blanchett como protagonista) por não calçar salto. As mulheres, muitas delas com problemas médicos que as impedem de usar salto, não puderam comparecer ao festival por usarem sandálias rasteiras. “Uma pessoa que conheço foi rejeitada por usar sandálias rasteiras que eram bonitas, nada a ver com as que se usa na praia. É uma pessoa na casa dos 50. Disseram para que fosse em casa e comprasse sapatos apropriados para voltar”, diz uma fonte anônima à revista.

As fontes, que não tiveram os nomes revelados, não foram as únicas a levantar a voz. Depois da notícia, o diretor do documentário sobre Amy Winehouse, Asif Kapadia, cujo filme será exibido no festival de Cannes, tuitou que sua mulher teve a atenção chamada por não usar saltos, mas pôde entrar na projeção. Outra fonte diz à Screen Daily que “isso aconteceu muitas vezes, inclusive com mulheres mais velhas que não podem usar saltos por motivos médicos. É uma merda”.

A polêmica cresceu tanto que até o diretor do festival, Thierry Fremaux, respondeu no Twitter aos que denunciavam esse abuso. Segundo ele, “os rumores que dizem que em Cannes se exige sapato de salto para as mulheres são infundados”.

Para denunciar esse possível código de vestimenta, a atriz Emily Blunt decidiu boicotar o festival de sua própria maneira. Antes de apresentar no tapete vermelho o filme Sicario nesta terça, fez questão de manifestar claramente sua opinião na entrevista coletiva pela manhã, de acordo com o The Guardian: “Todo mundo deveria usar sapato rasteiro, para ser sincera. Ninguém deveria usar saltos hoje. É muito irritante, bem quando achava que estavam chegando novas ondas de igualdade”. O diretor chegou a brincar com Benicio del Toro e Josh Brolin, coprotagonistas do filme, dizendo que eles deveriam usar saltos.

Curiosamente, Carol, o filme em exibição quando supostamente as mulheres sem salto alto foram proibidas de ingressar, é um dos longas com uma mensagem feminista muito forte. Mas, por mais filmes com poder feminino em sua programação oficial, o festival de Cannes é incapaz de abandonar a marca de evento machista.

Emily Blunt, durante evento com a imprensa nesta manhã no festival.
Emily Blunt, durante evento com a imprensa nesta manhã no festival.

MAIS INFORMAÇÕES