Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

O tempo e o espaço no Seringal Bagaço

O lugar onde nasceu e cresceu Marina Silva não está no mapa, e só é possível chegar de barco

Imagem do Rio Branco.
Imagem do Rio Branco.

A localidade de Breu Velho fica no meio de um imenso seringal chamado Seringal Bagaço, na zona rural de Rio Branco, a 50 quilômetros da capital, na divisa com outro município, o de Porto Acre. Foi lá que nasceu e cresceu Marina Silva, praticamente isolada da zona urbana, separada por um rio e quilômetros e quilômetros de estrada de terra que dão acesso à capital.

Não se trata de um local conhecido por todos na região. Desde Rio Branco, até as proximidades do seringal, ninguém nunca tinha ouvido falar de Breu Velho. Não está no mapa, e poucas pessoas conseguem passar informações precisas sobre a sua localização. Para chegar até lá, é preciso pegar a BR-364 e seguir por estradas de terra e de asfalto até o rio Acre, que tem cerca de 3.300 quilômetros de extensão. Foi esse rio que acabou dando o nome ao Estado. Sua nascente é no Peru e desemboca no município Boca do Acre.

Seu Zé Gomes, de 90 anos, que vive perto do rio, conta que Breu Velho nem deveria existir mais, e que as terras foram compradas e, provavelmente, desfeitas. Marina Silva começou a trabalhar nesse seringal aos dez anos e, aos 15, decidiu deixar o local para viver na zona urbana de Rio Branco e se alfabetizar. Outros acrianos não conseguiram chegar perto de onde o candidato chegou. Com suas casas humildes em meio a uma paisagem de sertão, o tempo ali não passa.