Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Estudo alerta para pequenas fissuras na escultura ‘David’ de Michelangelo

As fraturas nos tornozelos de uma das obras mais importantes da arte se devem a sua própria inclinação, e poderiam colocar em risco a sua integridade

A revelação foi feita por um estudo realizado em conjunto pelo Conselho Nacional de Pesquisa da Itália e a Universidade de Florença

'David', de Michelangelo.
'David', de Michelangelo.

A escultura David, de Michelangelo (1475-1564), uma das obras mais famosas da história da arte, apresenta pequenas fissuras na parte inferior de suas pernas. A causa é a sua própria inclinação, que poderia colocar em risco a integridade da própria escultura, símbolo do Renascimento italiano. Está situada na Galeria da Academia de Florença, e foi feita entre 1501 e 1504.

O estado da escultura foi revelado em um estudo realizado em conjunto pelo Conselho Nacional de Pesquisa da Itália (CNR, na sigla em italiano) e a Universidade de Florença, publicado pela revista Journal Cultural Heritage e divulgado pelos meios de comunicação italianos. Os responsáveis por essa análise assinalam que a inclinação da obra é de 5 graus, e que essa é a causa de que o mármore de seus tornozelos esteja sendo avariado.

O estudo assinala que a escultura, devido a "seu inestimável valor", foi submetida a frequentes análises ao longo dos anos e que já na metade do século XIX tais fissuras foram notificadas. Apesar de essas minúsculas fendas estarem presentes na parte superior de ambas as pernas e no torso, só são perceptíveis a olho nu no tornozelo esquerdo e na lateral direita do tronco.

Um dos pesquisadores, Giacomo Corti, explicou, em declarações publicadas no La Repubblica, que essa inclinação estaria sendo causada pela escassa uniformidade do pedestal sobre a qual a escultura ficou localizada entre 1504 e 1873, período no qual permaneceu ao ar livre em frente ao Palazzo Vecchio (Palácio Velho) de Florença. Nos últimos anos foi alvo de múltiplas limpezas e análises, além de uma disputa, por sua propriedade, entre a prefeitura da cidade e o Estado italiano.

A escultura de David retrata o herói bíblico no momento em que se prepara para enfrentar Golias e foi produzida em mármore branco com 4,10 metros de altura por Michelangelo, sob encargo da Opera del Duomo da Catedral de Santa Maria del Fiore de Florença.

O David é produzido por Michelangelo quando retorna a Florença, entre 1501 e 1504. Ele mesmo conta isso em seu diário: “Quando voltei, me vi famoso. O conselho da cidade me pediu que fizesse um David colossal de um bloco de mármore, danificado!, de quase seis metros”. O artista relata como se enclausurou durante três anos para trabalhar na obra, assim como a sua briga para que a estátua fosse colocada bem em frente ao Palazzo Vecchio, “como um símbolo de nossa república”. O seu pedido foi atendido, embora precisassem de 40 homens e cinco dias de trabalho para mover a obra até o local. Desde 1910, no entanto, o David da Piazza della Signoria é apenas uma cópia.

O original se encontra na Galeria da Academia de Florença e é uma das esculturas mais famosas do mundo. Dizem os historiadores que também foi uma mensagem de Michelangelo aos cidadãos de Florença, para que cada um deles fosse consciente de sua responsabilidade e da sua importância.

MAIS INFORMAÇÕES