_
_
_
_

Facebook incluirá botão “não curti”

Mark Zuckerberg confirma uma das opções mais exigidas pelos usuários

Foto: atlas | Vídeo: El País Vídeo

“Não curto”, em inglês, Dislike. Essa será a próxima grande novidade do Facebook, um botão para mostrar que não gostamos de algo. Durante uma sessão de perguntas e respostas online com os usuários, Mark Zuckerberg revelou, nesta terça-feira, o que há vários anos era solicitado, a opção de expressar desacordo. “As pessoas pediram por anos. Hoje é um dia especial, porque sim, quero confirmar que estamos trabalhando nisso e estamos muito perto de começar com os testes”, confirmou.

O que ele deixou claro é que não quer mudar a filosofia de sua invenção. Não quer a expressão de sentimentos negativos. Nem que as pessoas fiquem deprimidas, apenas que demonstrem empatia. Um ponto de vista que se encaixa em determinadas situações, como quando alguém publica a perda de um ente querido, ou uma demissão, e aparece embaixo uma corrente de “Curtir” que poderia ser confundida com uma comemoração.

Mais informações
Um ‘baby shower’ surpresa para Mark Zuckerberg e sua esposa
Instagram já não é quadrado
Gigantes da tecnologia investem em aplicativos para leitura de notícias
O dia em que o Facebook censurou o sofrimento de um garoto gay
O que acontece com os nossos dados pessoais na internet?

Seguindo a ideia do botão “Não curto” poderiam aparecer outros mais dedicados a expressar outros sentimentos, embora o CEO salientou que querem manter o Facebook o mais simples possível. “É incrivelmente complicado isso de manter algo simples”, disse.

Anos depois de negar essa opção, Facebook, com mais de 1,4 bilhões de usuários ativos, cedeu ao pedido feito de forma mais reiterada.

Em novembro de 2014, Zuckerberg começou a discutir em público através desse formato. Desde então, questionou algumas das regras que regem a Internet, debateu sobre terrorismo e no mês que vem vai se reunir com o primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
_
_