Seleccione Edição
Login

Parem com o torneio Toro de la Vega

É preciso acabar com um espetáculo que se transformou no símbolo de uma brutalidade repugnante

As tradições fazem parte do patrimônio, mas algumas são claramente incompatíveis com os valores de uma sociedade civilizada. Por sorte tem aumentado a consciência de que é preciso respeitar o ambiente no qual vivem os seres humanos, o que exclui violência contra os animais com o único propósito de diversão.

O maltrato com os animais era amplamente aceito na sociedade até poucas décadas atrás. Agora isso é cada vez mais insuportável e a sociedade tem estabelecido normas de proteção. Ao mesmo tempo, muitas tradições cruéis foram abolidas ou abandonadas, como o costume de lançar uma cabra do alto de um campanário para que os espectadores a vissem se espatifar no chão. Agora também é preciso superar comportamentos como o de acossar um animal até matá-lo a lançadas, como ocorre no torneio Toro de la Vega, um ato de desumanidade que coloca essa festa fora dos valores de uma sociedade avançada. E, obviamente, eliminar qualquer ajuda pública a esse tipo de festejo.

É cada vez mais inaceitável não só a inação das autoridades, como seu apoio à manutenção de uma tradição bárbara sob o pretexto da pressão da comunidade e alegando não ser proibido, como faz o prefeito de Tordesillas, um socialista indiferente à opinião do líder de seu próprio partido e que ignora as 120.000 assinaturas contrárias ao torneio conseguidas pelo Partido contra o Maltrato Animal (Pacma). Presa nessa posição, a Prefeitura da cidade castelhana realiza, ano após ano, uma exibição de sadismo na qual um touro é perseguido e atacado com lanças até ser morto. Não é o único lugar da Espanha onde se maltrata por diversão. Acontece também nos correbous de Tarragona – nos quais o animal não é perseguido até a morte, mas sofre da mesma forma – e outros festejos parecidos.

Ao contrário do que seus defensores dizem, o Toro de la Vega não é um assunto meramente local. O torneio se transformou no símbolo de uma brutalidade repugnante e nos restos de um passado em fase de superação. Os organizadores dos festejos previstos para segunda-feira em Tordesillas deveriam cancelá-los, porque o maltrato de um animal por diversão até matá-lo não é uma tradição digna de ser mantida e apresenta uma imagem deplorável da Espanha.

MAIS INFORMAÇÕES