Apple

Apple lança novo iPad Pro e reinventa Apple TV

iPad gigante é apresentado na versão de 12,9 polegadas Facebook Messenger chega ao Apple Watch

O novo iPad.
O novo iPad.BECK DIEFENBACH (REUTERS)

"Vamos fazer grandes anúncios em nossas linhas. Este ano tem sido magnífico", começou Tim Cook, diretor-presidente da Apple. O relógio Apple Watch abriu a apresentação que a empresa da maçã está fazendo no coração de San Francisco. A Apple fechou a praça da prefeitura, o Civic Center, para mostrar suas novidades, entre elas o iPhone 6s e seu novo iPad Pro. De acordo com suas pesquisas, a satisfação dos clientes é de 97%, um número difícil de comparar.

Mais informações

Jeff Williams explicou as novidades do relógio que, em menos de um ano, conta com mais de 10.000 aplicativos. A Apple apresentou o Transit, informações em tempo real sobre o transporte público no pulso. A GoPro, a câmera de aventuras, poderá ser controlada com o relógio, de onde também será possível ver a gravação em tempo real. O Facebook Messenger também vai fazer parte do acessório.

Cameron Powell, da AirStrip, mostrou como o dispositivo pode ajudar o médico a receber nossos sinais vitais em tempo real. Sens4baby foi o mais surpreendente, serve até mesmo para enviar a pulsação do coração de um feto.

O Transit oferecerá no pulso informações em tempo real sobre o transporte público

"O poder do Watch ainda não foi explorado", afirmou o executivo antes de mostrar as novas pulseiras. "São de uma empresa excelente com a qual partilhamos muitas coisas, Hermes", disse tentando usar um sotaque francês. A Apple mantém assim sua visão focada na linha de produtos de alto padrão, no segmento de luxo.

Essa não é a única pulseira nem o único Apple Watch. Também será lançada, com o mercado asiático como prioridade, uma versão dourada com toques rosados. Product Red, totalmente vermelho, é o modelo cujos lucros irão para a fundação de combate à Aids. Em 16 de setembro será lançado o novo sistema operacional; os novos modelos estarão disponíveis a partir desta quarta-feira em todo o mundo.

Assim são as novas pulseiras do Apple Watch.
Assim são as novas pulseiras do Apple Watch.Stephen Lam (AFP)

Cook voltou a falar. "O iPad é a nossa visão do futuro da computação. Uma tela multitouch. Em apenas cinco anos, o iPad revolucionou a forma de trabalhar, de aprender e navegar", disse o executivo, reforçando a aliança com a IBM e com a Cisco para levar o dispositivo ao ambiente de trabalho. "Como podemos levá-lo ainda mais longe? Hoje temos a maior notícia do iPad desde o iPad...". Então mostrou o iPadPro, um tablet de grandes dimensões e o chassis habitual da empresa. 12,9 polegadas.

Phil Schiller, responsável de hardware, detalhou as características do aparelho. "Os jogos serão melhores, a televisão proporcionará uma experiência melhor. Os documentos estarão em tela cheia.” Estreia também o processador A9X, que fornecerá a potência suficiente que a experiência não decepcione.

O editor de vídeo iMovie permite controlar o conteúdo com a mesma agilidade de um Mac. E não pararam por aí: mostraram como o AutoCad, o programa de design por excelência, é capaz de trabalhar sem demora.

A bateria promete ficar 10 horas longe da tomada. Um dos pontos fracos, o som, foi melhorado com quatro alto-falantes. Apesar de ter uma tela maior, pesa menos do que o modelo atual.

A bateria do iPad promete permanecer 10 horas longe da tomada

Se queriam que fosse usado para trabalhar, faltava um teclado. E agora, pela primeira vez, a Apple tem um teclado que se transforma em capa.

Tudo indica que em breve deixará de ter sentido usar um laptop. O Apple Pencil é projetado para desenhar sobre a tela. Um movimento necessário, mas que volta a trair o legado de Steve Jobs, que sempre optou pelo uso dos dedos como uma extensão natural.

Seguindo o roteiro habitual, desenvolvedores convidados subiram ao palco. O que não se esperava é que a Microsoft, o eterno inimigo, fosse a primeira em expor um Office feito desde zero para este suporte. A Adobe foi a seguinte, com um Photoshop especial.

Apple TV

“Vamos a uma tela maior, Apple TV”, disse misterioso Cook. “Vivemos na época dourada da televisão. A inovação chegou. Hoje vamos fazer algo a respeito. Pensamos que o futuro da televisão são os aplicativos. Passamos mais e mais tempo desfrutando conteúdos em Hulu, Netflix e iTunes, através de aplicativos”. A Apple TV, um aparelho de 99 dólares que havia quase sido esquecido se reinventa com Siri como motor de busca e script de programação.

Eddy Cue, vice-presidente de software e serviços de Internet de Apple, ensinou uma de suas novidades: o comando a distância, com uma zona táctil, bem como reconhecimento de voz. Siri, seu assistente virtual, entende se pedimos um filme de ação ou um de James Bond, se quer ser retrocedido quinze segundos ou ir meia hora adiante. Pode-se perguntar inclusive como foi escalada a equipe de futebol que se apresenta, que tempo faz ou que atores se exibem em nossa série favorita.

Eddy Cue apresenta a nova Apple TV.
Eddy Cue apresenta a nova Apple TV.Eric Risberg (AP)

Apple Music, sua rádio, com quase de 30 milhões de canções, também se integra. Cue assumiu que sem os desenvolvedores que façam aplicativos, pouco poderão fazer. Tv OS é o sistema operacional do aparelho que servirá para lhe dar sentido. Por enquanto, será compatível com Hulu, um catálogo de jogos com Guitar Hero, da Activision, um StarWars de tonalidade digital, desenhos… Hipster Whale foi o piscar de olhos indie, com seus pixels gigantes. Na demonstração, usaram o iPhone no lugar do clássico comando.

Pela primeira vez a televisão servirá para comprar. Gilt, uma assinatura que tem 30% das vendas vindas de aparelhos Apple, terá aplicativo próprio para renovar o armário sem se mover do sofá. Chama a atenção o cuidado com as imagens e o detalhe com que se mostram as ofertas. Os vídeos serão em FullHD, a 60 quadros por segundo. O primeiro esporte em nascer neste formato é o beisebol. Apple TV mostra notificações de outras partidas disputadas naquele mesmo mesmo tempo.

O controle virá de série e, no lugar de infravermelhos, usará bluetooth, já não fará falta apontar ao aparelho central. Se ligará à Internet por meio do cabo Ethernet, não wifi. Segundo Cue, o controle terá três meses de autonomia. Seus preços são 149 e 199 dólares, para os aparelhos de 32 e 64 gb. O atual se mantém em 69 dólares.

TV Vos, o sistema operacional, será liberado hoje para os desenvolvedores, e estará à venda em 80 países no final de outubro. Resta saber se terão modelo de assinatura e quais parcerias fechará em cada país.