Fotografia

‘Selfies’ com drones, a última extravagância da vaidade humana

Selfies tiradas com drones controlados pelo próprio fotografado ganham fama na Internet

O texano Álex Chacón fazendo um 'dronie'.
O texano Álex Chacón fazendo um 'dronie'.

Em dezembro passado, a Fundação do Espanhol Urgente (Fundéu BBVA) escolheu selfi, assim, com grafia em castelhano, como a palavra do ano. A própria fundação, que tinha recomendado meses antes, sem muito sucesso, o uso de autofoto, se rendeu diante da “força de penetração na linguagem comum” do vocábulo. Mas, enquanto vovós dos povoados mais remotos posavam para seus celulares, e seus netos começavam a chamar de monopods (que no Brasil são os populares paus de selfies) as hastes extensíveis para se autorretratar, uma nova moda, ainda restrita, ia criando uma nova barbaridade. Agora é a vez dos dronies, nada menos do que selfies tirados de drones controlados pelo próprio fotografado: a última extravagância da vaidade impulsionada pela tecnologia mais inovadora.

MAIS INFORMAÇÕES

Um dos primeiros a ser publicados na web partiu da conta @dronie, que promove o festival de publicidade Cannes Lions, em meados do ano passado. Desde então o festival concentrou sua campanha promocional em imagens do ar e sua timeline está cheia dos dronies mais divertidos.

Álex Chacón (ou, como ele gosta de ser chamado, o rei do selfie) é um texano popular na Internet desde que publicou o vídeo de selfies mais “épico” da história, uma compilação de imagens de sua viagem de moto do Alasca até a Argentina. Este mês, ele voltou a fazê-lo, mas com um drone. Contactado pela associação Inspired Cities, Chacón promove o turismo em Veracruz, México, com alguns dos dronies mais divertidos até agora.

“O ano de 2014 foi o ano do selfie e o de 2015 será o ano do dronie. Não sei se o dronie chegará a ser tão popular porque nem todo mundo é capaz de controlar um robô voador, mas realmente é algo único, então vai chamar a atenção”, afirma por telefone de Austin, Texas, o rapaz que tem cerca de 5.000 seguidores no Twitter. A dificuldade está em que, em vez de ter apenas quatro direções (para cima, para baixo, esquerda, direita), como os helicópteros com controle remoto, esses inventos podem voar sobre si mesmos, dando giros de 360 graus e fazer piruetas nem sempre fáceis de executar.

Para treinar os possíveis pilotos —e numa tentativa de transformar esses aparelhos em brinquedos comuns— a loja espanhola Juguetrónica está montando uma escola de voo, que deve entrar em funcionamento no meio do ano. A equipe da loja recomenda começar com um modelo como o Sky Walker, vendido por cerca de 250 reais. Apesar de não ter câmera, seu design protege as hélices e evita que se quebre ao cair. Fernando Navarro, do departamento de marketing da loja, diz que têm modelos a partir de 125 reais, apesar de um dos mais populares ser o Drone VCam HD, que tem uma câmera e custa mais de 350 euros. “No Natal tínhamos de repô-lo nas prateleiras constantemente”, conta Navarro, e acrescenta que, no início de janeiro, o estoque acabou.

A atual legislação espanhola é muito restritiva com os drones usados com fins comerciais e profissionais e mais permissiva quando usado com fins lúdicos. Nesse último caso, são considerados equipamentos de aeromodelismo e regulamentados pelas normas da Real Federación Aeronáutica Española e das diferentes comunidades autônomas. Segundo essas regras, só podem voar em áreas determinadas, nunca acima dos 100 metros, distantes de grandes concentrações de pessoas e fora das cidades. No entanto, Enrique Rodda, diretor de arte da loja, dá a entender que a norma é aplicada com certa frouxidão: “Há dois tipos de policiais: o que diz que não é permitido voar e o que pergunta onde você comprou”, diz, rindo.

Graças à campanha mundial protagonizada por Chacón, Veracruz agora se divulga como “a capital mundial do dronie” e exibe na web os vídeos compartilhados por seus visitantes. Não é, porém, o único lugar imortalizado do ar por um internauta vaidoso. Esta é uma compilação dos melhores dronies que podem ser encontrados na web:

Os drones mais populares

V. F.

-Para crianças, Drone Ball: Por cerca de 220 reais, é o ideal para principiantes porque traz uma carapaça protetora. Infelizmente, não tem câmera.

-Para o novato em dronies, Drone VCam HD: Traz uma câmera, que é HD e grava os arquivos em um cartão de memória. É rápido e tem as hélices protegidas, por via das dúvidas. Custa 350 reais, com a câmera incluída.

-Para os profissionais do dronie, Nanodrone Skyview FPV: Seu controle remoto tem uma tela que permite a transmissão do vídeo em tempo real e o drone é tão pequeno que cabe na palma da mão. Sai por 640 reais com câmera.

-Para os verdadeiros profissionais, Bebop Drone: Grava vídeo Full HD estabilizado em três eixos e conta com GPS. Voa a partir de seu smartphone, criando um vídeo em tempo real. Tudo por 1.600 reais.

Arquivado Em: