Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

As melhores fotos de indígenas do ano

A poucos dias da primeira Conferência Mundial sobre os Povos Indígenas, a organização Survival International premia as melhores imagens de 2014 e as inclui em seu calendário de 2015

  • Nos dias 22 e 23 de setembro será realizada na sede das Nações Unidas em Nova York a primeira Conferência Mundial sobre os Povos Indígenas. A organização Survival International apresentou o calendário ‘We, the people’ de 2015 com as fotos vencedoras de seu concurso. Esta imagem, feita no estado de Chihuahua, no México, corresponde ao mês de janeiro. Um indígena tarahumara vestido como bailarino Matachines, da dança de mouros e cristãos, durante a peregrinação a San Guadalupe no povoado de Nararachi. O calendário pode ser comprado no seguinte endereço: http:tienda.survival.escollectionscatalogoproductscalendario-2015
    1Nos dias 22 e 23 de setembro será realizada na sede das Nações Unidas em Nova York a primeira Conferência Mundial sobre os Povos Indígenas. A organização Survival International apresentou o calendário ‘We, the people’ de 2015 com as fotos vencedoras de seu concurso. Esta imagem, feita no estado de Chihuahua, no México, corresponde ao mês de janeiro. Um indígena tarahumara vestido como bailarino Matachines, da dança de mouros e cristãos, durante a peregrinação a San Guadalupe no povoado de Nararachi. O calendário pode ser comprado no seguinte endereço: http://tienda.survival.es/collections/catalogo/products/calendario-2015 Survival International
  • Mulheres da etnia igorot em Baguio. Na Cordilheira Central das Filipinas, a narração de histórias está aberta: é uma oportunidade de compartilhar, de surpreender-se e de dar continuidade a seu modo de vida único. Apesar das leis que supostamente protegem seus direitos, a mineração representa uma séria ameaça à sobrevivência de muitas comunidades tribais nas Filipinas.
    2Mulheres da etnia igorot em Baguio. Na Cordilheira Central das Filipinas, a narração de histórias está aberta: é uma oportunidade de compartilhar, de surpreender-se e de dar continuidade a seu modo de vida único. Apesar das leis que supostamente protegem seus direitos, a mineração representa uma séria ameaça à sobrevivência de muitas comunidades tribais nas Filipinas. Survival International
  • Um ancião adi caminha devagar por uma antiga ponte de bambu em Arunachal Pradesh, na Índia.
    3Um ancião adi caminha devagar por uma antiga ponte de bambu em Arunachal Pradesh, na Índia. Survival International
  • No início do outono, uma mulher tibetana corta feno para armazenar durante o longo inverno no platô tibetano perto de Serxu, na região de Kham, Tibete.
    4No início do outono, uma mulher tibetana corta feno para armazenar durante o longo inverno no platô tibetano perto de Serxu, na região de Kham, Tibete. Survival International
  • O curso inferior do rio Omo, no sudoeste da Etiópia, é o lar de oito povos indígenas diferentes que, ao todo, somam cerca de 200.000 pessoas. Entre eles se encontram os surmas. Quando concluídas, as obras da enorme usina hidrelétrica Gibe III, atualmente em construção, destruirão um ambiente frágil e os meios de subsistência das tribos, que mantêm um estreito vínculo com o rio e suas inundações anuais.
    5O curso inferior do rio Omo, no sudoeste da Etiópia, é o lar de oito povos indígenas diferentes que, ao todo, somam cerca de 200.000 pessoas. Entre eles se encontram os surmas. Quando concluídas, as obras da enorme usina hidrelétrica Gibe III, atualmente em construção, destruirão um ambiente frágil e os meios de subsistência das tribos, que mantêm um estreito vínculo com o rio e suas inundações anuais. Survival International
  • Os povos tribais da Índia são frequentemente retratados como atrasados e primitivos pelos meios de comunicação, pelos representantes da indústria e pelos funcionários do Governo, apenas porque seus meios de substistência comunitários são diferentes. Esse preconceito acarreta boa parte do menosprezo e dos maus-tratos enfrentados por esses povos. As sociedades industrializadas os submetem a uma violência genocida, à escravidão e ao racismo de tal forma que são capazes de destituí-los de suas terras, recursos e força de trabalho. Na imagem, um homem santhal no rio Shilabati, Bengala Ocidental, Índia.
    6Os povos tribais da Índia são frequentemente retratados como atrasados e primitivos pelos meios de comunicação, pelos representantes da indústria e pelos funcionários do Governo, apenas porque seus meios de substistência comunitários são diferentes. Esse preconceito acarreta boa parte do menosprezo e dos maus-tratos enfrentados por esses povos. As sociedades industrializadas os submetem a uma violência genocida, à escravidão e ao racismo de tal forma que são capazes de destituí-los de suas terras, recursos e força de trabalho. Na imagem, um homem santhal no rio Shilabati, Bengala Ocidental, Índia. Survival International
  • Nas florestas da ilha de Siberut, Indonésia, os mentawais caçam macacos com zarabatanas e flechas envenenadas.
    7Nas florestas da ilha de Siberut, Indonésia, os mentawais caçam macacos com zarabatanas e flechas envenenadas. Survival International
  • Os kondhs, maior grupo indígena tribal de Odisha (Índia), são conhecidos por sua herança cultural e seus valores centrados no respeito à natureza. A cordilheira de Niyamgiri, no estado de Odisha, é o lar dos dongria kondhs.
    8Os kondhs, maior grupo indígena tribal de Odisha (Índia), são conhecidos por sua herança cultural e seus valores centrados no respeito à natureza. A cordilheira de Niyamgiri, no estado de Odisha, é o lar dos dongria kondhs. Survival International
  • No Brasil existem cerca de 240 povos indígenas que, juntos, somam aproximadamente 900.000 pessoas, ou 0,4% da população do país. Na imagem, um jovem asurini que vive no curso inferior do rio Toncantis, no Pará. Esta fotografia ganhou primeiro lugar no concurso da Survival.
    9No Brasil existem cerca de 240 povos indígenas que, juntos, somam aproximadamente 900.000 pessoas, ou 0,4% da população do país. Na imagem, um jovem asurini que vive no curso inferior do rio Toncantis, no Pará. Esta fotografia ganhou primeiro lugar no concurso da Survival. Survival International
  • No vale do Omo, Etiópia, um homem hamer participa de uma cerimônia de salto sobre o gado.
    10No vale do Omo, Etiópia, um homem hamer participa de uma cerimônia de salto sobre o gado. Survival International
  • No Canadá, os innus mushuau de Labrador foram, em 1967, um dos últimos povos indígenas forçados pelo Governo a abandonar a vida nômade. Muitas famílias ainda permanecem no campo Nutshimit durante vários meses caçando caribus, pescando e colhendo bagas enquanto vivem em suas tendas.
    11No Canadá, os innus mushuau de Labrador foram, em 1967, um dos últimos povos indígenas forçados pelo Governo a abandonar a vida nômade. Muitas famílias ainda permanecem no campo Nutshimit durante vários meses caçando caribus, pescando e colhendo bagas enquanto vivem em suas tendas. Survival International
  • Comunidade de Willoq, em Cusco, Peru. Nos Andes peruanos, os têxteis tradicionais quíchuas são feitos em um tear portátil com lã de alpaca e de ovelha. Os tecidos andinos têm uma rica tradição iconográfica. Os desenhos, transmitidos de geração em geração, são inspirados na agricultura, na fauna e na flora regionais, em fenômenos astrológicos, formas humanas, massas de água e motivos geométricos.
    12Comunidade de Willoq, em Cusco, Peru. Nos Andes peruanos, os têxteis tradicionais quíchuas são feitos em um tear portátil com lã de alpaca e de ovelha. Os tecidos andinos têm uma rica tradição iconográfica. Os desenhos, transmitidos de geração em geração, são inspirados na agricultura, na fauna e na flora regionais, em fenômenos astrológicos, formas humanas, massas de água e motivos geométricos. Survival International