Sabe o que vai na salada perfeita?

A melhor receita verde para levar ao trabalho em uma marmita

Quantas vezes tivemos de nos conformar em levar uma salada para o escritório por falta de tempo para desfrutar de algo mais substancioso? De acordo com um estudo da FOOD, uma organização dedicada à luta contra a obesidade, 37% dos europeus comem no trabalho. Todos aqueles que não têm nem 15 minutos para comer precisam saber que existe uma forma muito saudável de saborear uma gostosa salada, mesmo em circunstâncias adversas.

A primeira coisa a levar em conta são, evidentemente, os ingredientes. Giuseppe Russolillo, presidente da Fundação Espanhola de Endocrinologistas-Nutricionistas (AEDN), coloca que uma boa salada deve conter “alface, tomate, cebola e cenoura”.

Por que estes ingredientes? O tomate e a cebola, observa o especialista, “têm antioxidantes que contribuem para prevenir enfermidades cardiovasculares e certos tipos de câncer”. A alface, rica em água, cumpre a função de hidratar nosso organismo. A cenoura também não deve faltar pois “contém provitamina A, que tem efeitos positivos na pele, no cabelo e nos olhos”. Além disso, recomenda comê-la em rodelas e não ralada, “pois ao ralá-la, as fibras que contém são destruídas”.

O tempero é outra parte crucial do prato e, se o nutricionista não censura os molhos preparados (como o de soja ou o molho caesar), recomenda temperar as saladas com três elementos essenciais. O primeiro deles é o azeite de oliva virgem, já que “é o óleo mais saudável”. O limão também, “pois quando acrescentamos um ingrediente ácido nas hortaliças, conseguimos que elas absorvam melhor suas vitaminas”. Por último, não deveriam faltar ervas aromáticas como o orégano, a salsinha, o coentro, o alecrim, o tomilho... Além de dar sabor, Russolillo explica que seu alto teor de antioxidantes ajuda a prevenir o câncer.

MAIS INFORMAÇÕES

Como fazer para que a salada não chegue murcha ao trabalho

Sabendo quais são os ótimos ingredientes para preparar uma salada, não se pode esquecer que o transporte da comida pode fazer com que ela perca parte de seus nutrientes. Por isso, Maite Pelayo, especialista em segurança alimentar e porta-voz do Instituto Silestone (dedicado ao estudo da higiene na cozinha e banheiro), frisa: “As saladas são alimentos de risco, pois são comidas cruas, mas podem ser saboreadas perfeitamente com certas precauções”.

A norma imprescindível é evitar o choque térmico. Para isso devemos utilizar um recipiente plástico ou marmita que assegure que a temperatura se mantenha estável. “Assim evitamos que se multipliquem microrganismos daninhos às vezes presentes nas hortaliças, por serem alimentos que podem conter restos vindos da terra”, explica. Para os mais sensíveis com a higiene, Pelayo ensina um truque simples: “Depois de lavar bem os ingredientes, podemos deixá-los de molho em uma tigela de água por 4 ou 5 minutos com algumas gotas de água sanitária e, depois, voltar a enxaguá-los muito bem”. Dessa forma, “temos de nos certificar”, coloca, “que a água sanitária seja apta para desinfetar alimentos e bebidas”.

É conveniente levar cada ingrediente separado, e sem cortar, para preparar a salada no escritório e temperá-la na hora de comê-la. “Desse modo, nos asseguramos que os ingredientes “não perderão suas propriedades”, concordam Pelayo e Russolillo. Essas soluções, de fácil aplicação, permitirão aos workaholics levar uma vida mais saudável, mesmo sem tempo para comer.

Arquivado Em: