“Bye bye, Monroe; hello, Troilo”

Apesar do que possam dizer muitos, os EUA não se “retiraram” da América Latina. Sua presença é relevante em questões econômicas, políticas, assistenciais e militares. E os países da zona não devem se enganar