Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Madeline Stuart, a modelo com síndrome de Down, lança sua coleção

Jovem, que desafiou as normas da indústria da moda em 2015, volta a desfilar em Nova York

Madeline Stuart, no desfile da sua grife 21 Reasons Why. REUTERS

Menos de dois anos depois de estrear nas passarelas, Madeline Stuart, uma modelo com síndrome de Down, lançou sua própria grife neste domingo, durante a Semana da Moda de Nova York, embora o desfile não fosse parte do calendário oficial. A modelo australiana, de 20 anos, desafiou as normas da indústria da moda com sua primeira aparição nas passarelas, em 2015, e alterou as percepções sobre as pessoas com síndrome de Down.

“Ela tem a última palavra em tudo, sabe o que quer, tem síndrome de Down e uma deficiência intelectual, mas realmente sabe o que quer afinal”, disse Roseanne Stuart, mãe de Madeline, diretora e colaboradora de design. Os objetos só serão vendidos via Internet.

O nome da coleção, 21 Reasons Why, é uma alusão à própria Stuart, que completa 21 anos em 2017, e ao cromossomo 21, envolvido na síndrome de Down. “Mamãe, eu, modelo”, foram as palavras que a agora manequim, que também sofre de problemas cardíacos, pronunciou há pouco mais de três anos. E o que algumas pessoas teriam encarado como uma história pitoresca, sua mãe levou a sério. Assim começou a luta para realizar o sonho da filha, que tem uma limitada capacidade de expressão oral. "Madeline faz esportes todos os dias da semana, e eu a levo a todas as partes. Ela quer participar de tudo, fez paraquedismo, esqui aquático... Tudo o que eu considere que é seguro para ela”, contou sua mãe.

Madeline Stuart faz selfie com outras modelos. REUTERS

Esse transtorno genético que afeta o desenvolvimento ocorre em aproximadamente 1 a cada 700 nascimentos, segundo os Centros para o Controle de Doenças dos EUA. Cerca de 6.000 bebês nascem com a síndrome de Down a cada ano nos Estados Unidos.

Depois de sua estreia na passarela, Madeline Stuart não olhou para trás e apareceu em desfiles no mundo todo. Depois de Nova York, será vista em Paris, Los Angeles e outras cidades norte-americanas antes de retornar à Austrália no final de abril.

A Semana da Moda de Nova York, um evento semestral que termina na quinta-feira, atrai 100.000 pessoas a seus desfiles e gera 880 milhões de dólares (2,7 bilhões de reais) em faturamento para a cidade.

Madeline Stuart, entre os modelos do desfile da sua marca. REUTERS

MAIS INFORMAÇÕES