Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Jesus Cristo nasceu cinco anos antes de Cristo (se realmente nasceu)

Os especialistas que reconhecem a existência de um pregador judeu chamado Jesus

Contudo, situam seu nascimento entre os anos 6 e 4 antes da Era Comum

A maior parte do planeta não acredita na divindade de Jesus de Nazaré. Existem 4.200 religiões no mundo e bilhões de fiéis adoram deuses próprios, desde os espíritos da natureza ao xintoísmo japonês e o Vishnu do hinduísmo. São 4.200 religiões que se contradizem umas às outras, mas o cristianismo conseguiu seduzir mais do que nenhuma, arrastando 31,5% da população mundial, segundo o Centro de Pesquisas Pew.

Carpinteiro mostra figuras cristãs em uma oficina em Belém, Palestina. Ampliar foto
Carpinteiro mostra figuras cristãs em uma oficina em Belém, Palestina.

Nesta quinta-feira a Igreja católica celebra o Natal, a comemoração litúrgica do suposto nascimento de Jesus em Belém. Mas Cristo não nasceu em 25 de dezembro há 2015 anos. As referências nos evangelhos permitem situar no tempo o real pregador judeu que, segundo a maioria dos acadêmicos, inspirou o cristianismo. Herodes O Grande reinou na Judeia do ano 37 ao ano 4 antes de Cristo (ou antes da chamada Era Comum). Herodes Antipas, seu filho, foi o mandatário desse último ano até 39 depois da Era Comum. E Pôncio Pilatos foi o governador romano da Judeia do ano 26 ao 37.

“Geralmente se calcula que Jesus nasceu algum tempo antes da morte de Herodes O Grande, no ano 4 antes da Era Comum. Uma data entre 6 e 4 antes da Era Comum estaria de acordo com essa informação histórica, segundo o relato de Mateus sobre o nascimento e a tradição de Lucas 3.23 de que Jesus “tinha cerca de 30 anos” no décimo quinto ano do imperador Tibério, estimado no ano 27 ou 28 da Era Comum”, observa o teólogo James Dunn em sua monumental obra Jesus em Nova Perspectiva. O que os Estudos sobre Jesus Histórico Deixaram para Trás.

Ou seja, Cristo nasceu antes de Cristo, é o que diz Dunn, professor de Teologia na Universidade Durham (Reino Unido) e autoridade mundial no estudo do Novo Testamento. Não nasceu há 2015 anos nem tampouco na noite de 25 de dezembro. “E deu à luz seu filho primogênito, e o envolveu em fraldas, e o colocou para dormir em uma manjedoura porque não havia lugar para eles na estalagem. Havia pastores na mesma região que cuidavam de seu rebanho à noite”, narra o evangelho de Lucas. Na cidade palestina de Belém, onde Jesus nasceu, segundo a tradição, os meteorologistas prognosticam para a noite uma temperatura mínima de 4 graus. Como ressaltam os estudiosos, os pastores não levam o gado ao pasto em pleno inverno. O pregador judeu teria nascido, portanto, mais provavelmente na primavera ou no verão, como sugere Edwin D. Freed, professor emérito de estudos bíblicos da Universidade Gettysburg (EUA), no livro The Stories of Jesus' Birth (As Histórias do Nascimento de Jesus).

O evangelho de Lucas sugere que o nascimento de Jesus não foi no inverno, mas na primavera ou verão

Em seu Dicionário da Bíblia, o teólogo britânico W. R. F. Browning recorda que no início a Igreja não celebrava o nascimento de jesus e desconhecia a data. Mas, no século IV, a Igreja de Roma decidiu fixar um dia e designou o 25 de dezembro “porque tinha sido o dia do festival pagão do Sol Invictus, quando o invencível Sol triunfava a cada ano sobre a obscuridade do inverno e os dias voltavam a ser mais longos”.

O polêmico best-seller The Jesus Mysteries: Was the “Original Jesus” a Pagan God? (Os Mistérios de Jesus. O "Jesus Original" era um Deus Pagão?) põe sobre a mesa outra possível origem do 25 de dezembro como data de nascimento de Cristo. Seus autores, o filósofo Tom Freke e o historiador Peter Gandy, defendem que não existiu um Jesus histórico, mas que o personagem surgiu da reinterpretação de outras deidades anteriores, também nascidas de uma virgem em um 25 de dezembro, uma data comum em diferentes religiões por sua proximidade do solstício de inverno no hemisfério norte.

O polêmico best-seller 'Os Mistérios de Jesus' argumenta que Cristo foi só uma reinterpretação de mitos anteriores

Colin Humphreys, físico da Universidade de Cambridge, não tem isso tão claro. Apesar de admitir que o evangelho de Mateus foi escrito no ano 80 depois de Cristo, meio século após a sua morte, Humphreys acredita que muitas de suas referências históricas sejam corretas, incluindo a estrela de Belém, o astro que supostamente guiou os três magos ao lugar de nascimento de Jesus. Em um artigo publicado em 1991 na revista científica Quarterly Journal of the Royal Astronomical Society, Humphreys, apoiando-se em registros astronômicos das antigas civilizações chinesas, propõe que um cometa observado durante 70 dias no ano 5 antes da Era Comum pode ter sido a estrela que Mateus menciona. Jesus teria nascido entre 9 de março e 4 de maio do ano 5 antes de Cristo.

O físico Albert Einstein também opinou sobre a verossimilhança do relato bíblico, em uma carta datada de 3 de janeiro de 1954 e enviada ao filósofo Eric Gutkind. “A Bíblia é uma coleção de lendas honoráveis, embora primitivas, e em qualquer caso bastante infantis”, escreveu o cientista que revolucionou nossa concepção do espaço e do tempo.

MAIS INFORMAÇÕES