Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Bacon faz tanto mal quanto fumar? Tire dúvidas sobre a carne processada

Perguntas e respostas sobre o estudo da OMS e suas implicações para a saúde

1. O que é a carne processada?

O estudo da OMS considera carne processada “qualquer tipo de carne que tenha sido transformada com sal, cura, fermentação ou defumação, para melhorar o sabor e preservar o alimento”. Isto inclui salsichas e hambúrgueres de carne moída e também embutidos. Embora a maioria seja de carne bovina ou suína, esse grupo também inclui embutidos feitos com sangue, carne moída de ave ou vísceras.

2. O que é a carne vermelha?

A OMS considera carne vermelha a que provém do músculo de um mamífero, o que inclui bois, porcos, cordeiros, cabras e cavalos.

3. O que diz estudo da OMS?

O trabalho considera que a carne processada é “carcinogênica para humanos”. Trata-se do chamado grupo 1 de substâncias, que inclui as mais perigosas para a saúde pelos critérios da Agência Internacional para a Pesquisa do Câncer (IARC, na sigla em inglês). Neste grupo há 107 substâncias, entre elas o tabaco, as bebidas alcoólicas e o plutônio. A carne vermelha é “provavelmente carcinogênica para humanos”, considera o mesmo estudo. Isso significa que, embora haja indícios científicos da associação entre o consumo de carne vermelha e o câncer, essa correlação não é tão forte como no caso das carnes processadas.

4. Que tipos de câncer esses alimentos causam?

Em ambos os casos, a associação se dá com o câncer de cólon. O estudo também menciona que há uma relação entre câncer de estômago e o consumo de alimentos processados. Quanto à carne vermelha, também há estudos que confirmaram uma associação com os cânceres de pâncreas e próstata.

5. É preciso parar de comer carne?

Não. A carne vermelha contém nutrientes essenciais. Além disso, os estudos analisados compararam a incidência de câncer entre pessoas com um elevado consumo de carne e outras com consumo baixo. Em todo caso, o risco agregado é baixo. Trata-se de uma questão de dose – o consumo em excesso dessas carnes pode ser prejudicial à saúde, mas um consumo moderado pode não ter consequências. Concretamente, o IARC observa que por cada porção de 50 gramas de carne processada consumida diariamente o risco de câncer colorretal cresce 18%.

6. Hambúrguer faz tanto mal quanto cigarro?

Não. O IARC realiza estudos monográficos sobre diversas substâncias para determinar qual é a sua associação direta com a incidência de certos cânceres. Essas substâncias ficam agrupadas em diferentes categorias, em função do nível de certeza de que essas substâncias estejam diretamente relacionadas a uma maior incidência do câncer. Que a carne processada e o tabaco estejam no mesmo grupo não quer dizer que ambos sejam igualmente nocivos — o cigarro intensifica muito mais o risco de câncer —, e sim que nos dois casos a OMS considera comprovada a correlação entre seu consumo e o maior risco de câncer.

7. Como foi feito o estudo?

O relatório do IARC, conhecido como monográfico, é uma análise de estudos científicos publicados sobre o tema. Um painel de 22 cientistas de 10 países analisou mais de 800 estudos publicados sobre a associação entre o consumo de carne vermelha e processada e o risco de sofrer 12 tipos de câncer. A maioria dos indícios provém de grandes estudos epidemiológicos nos quais se compara a incidência de câncer entre pessoas com alto e baixo consumo desses produtos.

MAIS INFORMAÇÕES