Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Apple corrige erros do iOS 8

Atualização faz o novo sistema operacional funcionar normalmente

Uma imagem do novo iPhone com iOS 8.
Uma imagem do novo iPhone com iOS 8. Getty Images

Menos de 24 horas depois de tirá-lo de circulação, a Apple lançou uma nova versão do iOS, a 8.0.2, com intenção de resolver os problemas do sistema operacional anterior. Entre eles estavam o uso deficiente do sensor de impressões digitais TouchID e dificuldades de conexão a redes wi-fi e de operadoras, sobretudo no caso dos iPhones 6 e 6 Plus. Os teclados de terceiros e as mensagens do iMessage, para envio de SMS entre aparelhos da Apple, também estavam entre os programas afetados.

A atualização pode ser feita via iTunes ou entrando diretamente no menu Ajustes, onde o usuário verifica se já é possível fazer o download nesse aparelho específico. Assim como na versão original do iOS 8, a atualização requer um espaço de armazenamento razoável: ele pesa 1,46 gigabyte.

A falha ainda não causou demissões, mas deixou pelo menos um funcionário na mira. Segundo a Bloomberg, Josh Williams era o responsável pelo controle de qualidade do novo software. Por acaso, foi a mesma pessoa encarregada de outro dos grandes fiascos da Apple, seus mapas. A decepção quando eles passaram a ser incluídos de fábrica foi tamanha que o aplicativo rival, do Google Maps, se tornou o mais baixado do mundo assim que ganhou uma versão atualizada.

Desde a descoberta das falhas, a Apple se limitou a pedir desculpas por intermédio do Recode, um veículo especializado. A magnitude da falha é considerável, levando-se em conta que o iOS 8 já funciona em 46% dos celulares e tablets da Apple, ao passo que 49% mantêm o iOS 7. Os 5% restantes são de aparelhos cujo hardware não permite a atualização.

Na sexta-feira, o iPhone 6, novo modelo de celular da Apple, começou a ser vendido na Espanha. No fim de semana anterior já havia sido a vez dos Estados Unidos, onde ainda há filas para comprá-lo, Austrália, Canadá, França, Alemanha, Hong Kong, Japão, Porto Rico, Cingapura e Reino Unido. Os planos de Tim Cook, executivo-chefe da empresa da maçã, incluem a chegada do iPhone 6 a 115 países antes do final do ano.