Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Alibaba escolhe Wall Street

A gigante do comércio eletrônico chinês espera que uma saída à Bolsa a torne mais global

A Alibaba, rival chinesa da Amazon, dá o primeiro passo para cotar ações em Wall Street, ao anunciar que vai colocar parte do seu capital em um mercado de ativos norte-americano. Não detalha qual nem a quantia envolvida, embora se dê por certo que será uma operação maior que a protagonizada dois anos atrás pelo Facebook. A companhia de comércio eletrônico espera se tornar assim mais global e transparente.

O anúncio não é uma surpresa. Especula-se isso desde setembro, quando começou a cambalear a opção por Hong Kong. Na última semana se dava como certo que o anúncio estaria por chegar. Mas não se espera que o pedido formal ao regulador da Bolsa norte-americana seja feito antes de abril, o que poderia fazer com que começasse a cotar seus papéis para o verão (local).

A cifra que se contemplava até agora era uma arrecadação de cerca de 15 bilhões de dólares, quantidade que superará a do Facebook. Há um grande interesse por essa operação não só porque Alibaba é rival da Amazon, líder no negócio do comércio eletrônico. O Yahoo! conta com uma importante participação na companhia, e com a operação poderia ver incrementado consideravelmente o valor de seu investimento inicial.

A possibilidade de que a Alibaba anunciasse tão cedo sua decisão pelos EUA ficou clara depois de que a Weibo, o equivalente chinês do Twitter, apresentou seus planos para arrecadar 500 milhões de dólares com a colocação de ativos em um mercado dos EUA. A estrutura do capital da Alibaba, que conta com 500 milhões de clientes, dificultou a aprovação dos reguladores na China. Hong Kong foi sua primeira alternativa para a estreia.

MAIS INFORMAÇÕES